A Transdisciplinaridade no Ensino Fundamental: A Percepção dos Recursos Hídricos e a Pesquisa-Ação na Educação Ambiental

Janaina Florinda Ferri Cintrão, Flórida Rosa Mali Assêncio, Rejane Braga Biafore, João Alberto da Silva Sé

Resumo


Baseando-nos na idéia de Morin (2002) de que “nenhuma sociedade é capaz de se pensar a si mesma com autonomia e sabedoria, sem a religação dos saberes e do conhecimento”; mas que, instituições educacionais, do ensino fundamental à universidade, responsáveis pela preservação e recriação do patrimônio cultural de cada sociedade, continuam a fortalecer o modelo de fragmentação através da disciplinarização, acreditamos que a Educação Ambiental, por meio da concepção de totalidade, consegue nos desprender desse modelo clássico de fragmentação e disciplinarização; permitindo a aplicação de um enfoque interdisciplinar, tendo o aproveitamento específico de cada área, de modo que se consiga uma perspectiva global da questão ambiental, buscando a construção de um processo permanente e contínuo, de forma holística, durante todas as fases do ensino formal. Na pesquisa de campo – pesquisa-ação (Thiollent, 2002), selecionamos três escolas de Ensino Fundamental, de diferentes municípios (Araraquara, Ibitinga e Itápolis,localizados no interior paulista) e estabelecemos para todos os alunos do quarto ciclo uma relação entre a sensibilização do meio ambiente – bacias hidrográficas e a aquisição de conhecimento ambiental, procurando a conscientização dos problemas ambientais existentes na sua própria comunidade. Esses temas não são passíveis de serem discutidos apenas na sala de aula, transcendem esse espaço na medida em que são vivenciados em diferentes áreas do conhecimento e da educação política para a cidadania – o princípio básico da Educação Ambiental: a idéia de “ensinar a condição humana”, tal qual em Morin (2002). Diversas atividades (aplicação de questionários – antes e após as visitas aos córregos das cidades, coleta e análise físico-química da água e ações solidárias ao meio ambiente, confecção de flanelógrafos e de maquetes, além de jogos educativos, dentre outras), norteadas pela Educação Ambiental para conhecer as bacias hidrográficas inseridas na realidade de cada espaço geográfico e social, foram desenvolvidas no ano de 2003. Concluímos que a Educação Ambiental é primordial no processo de formação desses alunos em cidadãos críticos e atuantes em busca da construção de um mundo melhor, significando não apenas a sobrevivência dos seres, mas a de uma vida digna, saudável e feliz.

Palavras-chave


Transdisciplinaridade; Percepção Ambiental; Recursos Hídricos; Pesquisa-Ação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2005.v9i1.284

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340