Perspectivas Teóricas dos Conflitos Socioambientais no Campo do Desenvolvimento

Ana Carolina Rodrigues, Rennan Lanna Martins Mafra

Resumo


O contexto atual, marcado pela inspiração econômica desenvolvimentista no discurso do Estado e pela disputa corporativa empresarial em torno da exploração dos recursos ambientais, impõe a necessidade da discussão acerca da interação sociedade-natureza. A partir dessa constatação, este artigo tem como objetivo discutir as principais perspectivas teóricas em relação à dualidade entre o conflito pelos recursos e o argumento desenvolvimentista.

Palavras-chave


Conflito socioambiental; Recursos escassos; Racionalidade desenvolvimentista

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, Henri. As Práticas Espaciais e o Campo dos Conflitos Ambientais. In. ACSERALD, Henri (Org.). Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume-Dumará: Fundação Heinrich Böll, 2004, p. 13-35.

ACSELRAD, Henri; MELLO, Cecília Campello do A.; BEZERRA, Gustavo das Neves. O que é justiça ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2009. 160 p.

CASTEL-BRANCO, Carlos Nuno. Economia extractiva e desafios de industrialização em Moçambique. In: BRITO Luís de; CASTEL- BRANCO, Carlos N.; CHICHAVA, Sérgio; FRANCISCO, António (Orgs.). Economia extractiva e desafios de industrialização em Moçambique. Maputo, IESE - Instituto de Estudos Socio-Econômicos, 2010, p. 19-110.

CASTORIADIS, Cornelius. Reflexõessobre o desenvolvimento e aracionalidade. In: . Revolução e autonomia: umperfilde Cornelius Castoriadis. Belo Horizonte: Copec, 1981, p. 117-147.

ELIAS, Norbert. Acivilização como transformação do comportamento humano. In: . O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1994, v. I. 277 p.

HARVEY, David. O enigma do capital e as crises do capitalismo. Tradução de João Alexandre Peschanski. São Paulo: Boitempo, 2011. 224p.

MARTINEZ, Allier Joan. O Ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2011. 384 p.

MOSCA, João; SELEMANE, Tomás. El dorado de Tete: os megaprojectos de mineração. Maputo, CIP - Centro de Integridade Pública, 2011. 74 p. MUNIZ, Lenir Moraes. Ecologia Política: o campo de estudo dos conflitos socioambientais. Revista Pós-Ciências Sociais, UFMA, v. 6, n. 12, p. 181-

, 2009.

PAULANI, Leda M. Acrise do regime da acumulação comdominância da valorização financeira e a situação do Brasil. Revista Estudos Avançados, v. 23, n. 66, p. 25-39, jun/2009.

RANCIÈRE, Jacques. Apartilha do sensível: estética e política. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: Eixo/Editora 34, 2005. 69 p.

RIBEIRO, Gustavo L. Poder, Redes e Ideologia no campo do Desenvolvimento. Revista Novos Estudos, CEBRAP, vol. 80, p. 109-125, mar/2008.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. 416 p.

SIMMEL, Georg. Sociologia. In: MORALES FILHO, Evaristo (Org). Simmel. São Paulo: Editora Ática, 1983.

UNAC e Justiça Ambiental. Os Senhores da Terra – Análise Preliminardo Fenómeno de Usurpaçãode Terra em Moçambique. Maputo, Março de 2011. 74 p.

VEYRET, Yvette. Os tipos de risco. In: . Os riscos: o homemcomo agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007a, p 63-80.

VEYRET, Yvette. O risco alimentar na África. In:

. Os riscos: o homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2007b, p. 113-132.

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez. Conflitos ambientais e lutas materiais e simbólicas. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, Editora UFPR, n. 19, p. 145-157, jan/jun, 2009.

VUNJANHE, Jeremias. Impactos sociais da exploração de minerais em Moçambique: o caso da Vale. In: SEMINÁRIO DAPLATAFORMA DA SOCIEDADE CIVIL SOBRE PETRÓLEO, GÁS

E MINERAIS. 24 de fev de 2011, Maputo. Disponívelem

?blogviewid=210& target => acesso em: 11 dez. 2013.

ZOCOLOTO, Graziela Ferrero; CASSIOLATO, José Eduardo. Desenvolvimento tecnológico por origem de capital: a experiência brasileira recente. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, v. 12, n 1, p.133-170, jan/jun 2013.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2014.v17i1.14

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340