Avaliação da Gestão da Floresta Nacional do Tapajós, Belterra-Pa, na Percepção dos Moradores da Comunidade Maguari

Grace Rente dos Santos, José Barbosa Filho, Lucyanna Moura Coelho

Resumo


A presente pesquisa propôs avaliar a gestão adotada na Floresta Nacional - Flona Tapajós, na Comunidade Maguari, no município de Belterra-PA, de acordo com a percepção dos moradores. Para isso, foi realizada uma pesquisa explorativa constituída, inicialmente, por uma revisão bibliográfica sobre o tema, seguida de uma pesquisa de campo tendo pesquisa de campo tendo como instrumento de coleta de dados a aplicação de 146 questionários/entrevistas aos moradores da Comunidade Maguari. Dentre os moradores entrevistados da Comunidade Maguari, 85% afirmam, do ponto de vista pessoal, que a gestão da Flona Tapajós é eficiente e 76% acreditam que a população local está de acordo com a gestão. Quanto ao grau de aprovação da eficácia da gestão na Flona do Tapajós, 51% disseram ser bom. Grande parte dos entrevistados (92%) reconhece que há limites a respeito do uso dos recursos naturais dentro da Comunidade Maguari. Estes afirmaram que cursos, treinamentos e reuniões são atividades que faltam para a Comunidade Maguari. Os moradores sentem a necessidade de cursos de qualificação profissional, de estarem mais informados com o que acontece em relação à Flona e, principalmente, o que envolve a Comunidade Maguari. As intervenções realizadas na Flona do Tapajós ocorrem por meio de inúmeros projetos e programas direcionados à mudança de comportamento dos moradores de Maguari quanto à preservação e conservação do meio ambiente, mas o modelo de gestão adotada pela Floresta Nacional do Tapajós ainda deixa a desejar, segundo a percepção dos moradores da Comunidade, mesmo com um plano de manejo existente.

Palavras-chave


Unidade de Conservação; Flona-Tapajós; Gestão ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROSO, M. M. Projeto Saúde e Alegria: um ensaio crítico. Cadernos de Gestão pública e cidadania. FVG, Rio de Janeiro, 2003.

BERKES, F.; FOLKE, C. Linking social and ecological systems for resilience and sustainability. Stockholm: Beijer International Institute of Ecological Economics, 1994. 16p. (Beijer Discussion Paper Series, 52).

CROMBERG, M.; GRECO, T. M. Estratégias de Adaptação das comunidades na Floresta Nacional doTapajós. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, , 2008. 19p.

DIEGUES, A. C. Repensando e recriando as formas de apropriação comumdos espaços e recursos naturais. In: VIEIRA, P. F.; WEBWER, J (Org).

Gestão de recursos naturais e desenvolvimento: novos desafios para a pesquisa ambiental. São Paulo: Cortez, 1997. p.407-432.

IBAMA. Plano de Manejo da Floresta Nacional do Tapajós. 2005. 200p.

MCCULLOCH, A. K.; MEIZEN-DICK, R.

Collective action, property rights, and devolution of natural resource management: exchange of knowledge and implications for policy. Washington: IFPRI, 2001. 63p. (CAPRi Working Paper, 11).

MMA– MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE.

Relatório Final: Contribuição das Unidades de Conservação Brasileiras para a Economia Nacional. Rio de Janeiro, 2011.

MORAN, F. Adaptabilidade Humana: Uma Introdução à Antropologia Ecológica. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo, 1994. v.10, 445p.

OSTROM, E. El governo de los bienes comunes: la evolución de las instituciones de acción coletiva.

Cidade do México: Universidade Nacional Autônoma de México, 2000. 395p.

PEREIRA, L. A. da C. Mineração de granito para britagem: uma contribuição ao desenvolvimento regional. Dissertação de mestrado emdesenvolvimento regionale meio ambiente.

Rondônia: UNIR, 2004.

RICHARDS, M. Tragedy of the commons commuity-based forest management in Latin America? London: ODI, 1997. 9p. (Natural Resource Perspectives, 22).

VERÍSSIMO, A. Influência do PROMANEJO sobre políticas públicas de manejo florestal sustentável na Amazônia. Brasília: Ministério do Meio Ambiente (Série Estudos nº 03), 2005.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2014.v17i2.24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340