Gestão de suprimentos na pandemia da COVID-19: uma discussão no cenário da farmácia hospitalar

Main Article Content

Débora Santos Lula Barros

Resumo

Os hospitais são responsáveis pela assistência à saúde dos pacientes com enfermidades agudas e/ou crônicas, que apresentam potencial de instabilização clínica e de complicações da sua condição de saúde. Nesse contexto, esse artigo objetivou realizar um referencial teórico sobre a gestão de suprimentos na farmácia hospitalar e, além de apresentar os aspectos conceituais, foram discutidas recomendações em termos de realização desses serviços no enfrentamento à pandemia vigente. Para tanto, foi realizada uma revisão narrativa que inclui o recrutamento de informações por meio de consultas: em artigos científicos advindos de biblioteca eletrônica, em legislações específicas e em livros especializados da área. Todas etapas da logística de medicamentos, seleção, programação, aquisição, armazenamento e distribuição são fundamentais e precisam ter os seus papéis valorizados e discutidos segundo o contexto atual. O acesso aos medicamentos é condição elementar para o uso racional, assim como para a resolubilidade e a eficiência da assistência hospitalar, requisitando dos administradores deste segmento maiores investimentos sobre os serviços farmacêuticos para o devido enfrentamento à pandemia da Coronavirus Disease–19 (COVID-19).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Santos Lula Barros, D. (2022). Gestão de suprimentos na pandemia da COVID-19: uma discussão no cenário da farmácia hospitalar. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 25(2). Recuperado de https://revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/1244
Seção
Artigo de Divulgação

Referências

ALMEIDA, A. A. M.; SANO, H. Função compras no setor público: desafios para o alcance da celeridade dos pregões eletrônicos. Revista de Administração Pública, v. 52, n. 1, p. 89-106, 2018.

ARAÚJO, P. T. B.; UCHÔA, S. A. C. Avaliação da qualidade da prescrição de medicamentos de um hospital de ensino. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, supl. 1, p. 1107-1114, 2011.

ARAÚJO, L. U. et al. Medicamentos genéricos no Brasil: panorama histórico e legislação. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 28, p. 480-492, 2010.

BARROS, G. R. M. R. et al. Impacto financiero de la terapia con antibióticos en la resistencia a múltiples fármacos bacterianos en un hospital de emergencia en Pernambuco, Brasil. Ars Pharmaceutica, v. 61, n. 2, p. 121-126, 2020.

BARROS, D. S. L.; SILVA, D. L. M.; LEITE, S. N. Serviços farmacêuticos clínicos na atenção primária à saúde do brasil. Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 1, 2020.

BERMUDEZ, J. A. Z. et al. Assistência Farmacêutica nos 30 anos do SUS na perspectiva da integralidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, p. 1937-1949, 2018.

BITTENCOURT, R. A. et al. Avaliação da Assistência Farmacêutica em um município no Sul do Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 20, n. 2, p. 310-323, 2017.

BOUÇAS, E. et al. Acreditação no âmbito da assistência farmacêutica hospitalar: uma abordagem qualitativa de seus impactos. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 28, n. 3, e280317, 2018.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm. Acesso em: 11 mar. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.520, de 17 de julho de 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10520.htm. Acesso em: 12 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 4.283, de 30 de dezembro de 2010. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2010/prt4283_30_12_2010.html. Acesso em: 14 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.390, de 30 de dezembro de 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt3390_30_12_2013.html. Acesso em: 15 mar. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l13979.htm Acesso em: 19 mar. 2021.

CAVALLINI, E.M.; BISSON, M.P. Farmácia Hospitalar: um enfoque em sistemas de saúde. 2.ed. São Paulo: Manole, 2010.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA (CFF). Coronavírus. Atuação do farmacêutico frente à pandemia da doença causada pelo coronavírus. 2020. Disponível em: https://www.cff.org.br/userfiles/Coronav%C3%ADrus%20orienta%C3%A7%C3%B5es%20a%20Farm%C3%A1cias%20da%20APS%20no%20SUS%20(1).pdf. Acesso em: 09 mar. 2021.

COSTA, P. H. A. et al. Desatando a trama das redes assistenciais sobre drogas: uma revisão narrativa da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, p. 395-406, 2015.

DANTAS, S. C. C. Farmácia Hospitalar: Farmácia e controle das infecções hospitalares. 2011. Disponível em: https://www.cff.org.br/sistemas/geral/revista/pdf/130/encarte_farmacia_hospitalar.pdf. Acesso em: 11 mar. 2021.

ESHER, A.; COUTINHO, T. Uso racional de medicamentos, farmaceuticalização e usos do metilfenidato. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 8, p. 2571-2580, 2017.

FERREIRA, L. et al. Educação permanente em saúde na atenção primária: uma revisão integrativa da literatura. Saúde em Debate, v. 43, n. 120, p. 223-239, 2019.

FERREIRA, L. L. G.; ANDRICOPULO, A. D. Medicamentos e tratamentos para a Covid-19. Estudos Avançados, v. 34, n. 100, p. 7-27, 2020.

FIGUEIREDO, T. A.; SCHRAMM, J. M. A.; PEPE, V. L. E. Seleção de medicamentos essenciais e a carga de doença no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 30, p. 2344-2356, 2014.

FREITAS, M.; MALDONADO, J. M. S. V. O pregão eletrônico e as contratações de serviços contínuos. Revista de Administração Pública, v. 47, n. 5, p. 1265-1281, 2013.

GERLACK, L. F. et al. Gestão da assistência farmacêutica na atenção primária no Brasil. Revista de Saúde Pública da USP, v. 51, supl. 2, 15s, 2017.

GOMES, M.J.V.M.; REIS, A.M.M. Ciências farmacêuticas: uma abordagem em farmácia hospitalar. 2.ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

GRISOTTI, M. Pandemia de Covid-19: agenda de pesquisas em contextos de incertezas e contribuições das ciências sociais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. 2, e300202, 2020.

KARNIKOWSKI, M. G. O. et al. Caracterização da seleção de medicamentos para a atenção primária no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 51, p. 9s, 2017.

LIMA, R. F.; TOLEDO, M. I.; NAVES, J. O. S. Avaliação de serviços farmacêuticos hospitalares: uma revisão integrativa. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 9, n. 2, p. 1-8, 2018.

LOPES, D. M. A. et al. Análise da rotulagem de medicamentos semelhantes: potenciais erros de medicação. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 58, n. 1, p. 95-103, 2012.

MAGARINOS-TORRES, R. et al. Vivenciando a seleção de medicamentos em hospital de ensino. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 35, n. 1, p. 77-85, 2011.

MAGARINOS-TORRES, R. et al. Medicamentos essenciais e processo de seleção em práticas de gestão da Assistência Farmacêutica em estados e municípios brasileiros. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 3859-3868, 2014.

MARIN, N. et al. Assistência farmacêutica para gerentes municipais. In: Assistência farmacêutica para gerentes municipais, p. 1-334, 2003.

MELO, J. R. R. et al. Reações adversas a medicamentos em pacientes com COVID-19 no Brasil: análise das notificações espontâneas do sistema de farmacovigilância brasileiro. Cadernos de Saúde Pública, v. 37, n. 1, e00245820, 2021.

PEREIRA, R. M. Uso racional de medicamentos: fundamentação em condutas terapêuticas e nos macroprocessos da assistência farmacêutica – Planejamento, programação e aquisição: prever para prover. 2016. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1538-planejamento-programacao-e-aquisicao-prever-para-prover-8&category_slug=serie-uso-racional-medicamentos-284&Itemid=965. Acesso em: 15 mar. 2021.

PINTO, V. B. Uso racional de medicamentos: fundamentação em condutas terapêuticas e nos macroprocessos da assistência farmacêutica - Armazenamento e distribuição: o medicamento também merece cuidados. 2016. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&category_slug=serie-uso-racional-medicamentos-284&alias=1540-armazenamento-e-distribuicao-o-medicamento-tambem-merece-cuidados-0&Itemid=965. Acesso em: 16 mar. 2021.

REIS, P. R. C.; CABRAL, S. Más allá de los precios contratados: factores determinantes para la rapidez en las entregas de compras públicas electrónicas. Revista de Administração Pública, v. 52, n. 1, p. 107-125, 2018.

RODRIGUES, F. F.; AQUINO, R.; MEDINA, M. G. Avaliação dos serviços farmacêuticos na Atenção Primária à Saúde no cuidado ao paciente com tuberculose. Saúde em Debate, v. 42, n. spe2, p. 173-187, 2018.

SANTANA, R. S. et al. Indicadores da seleção de medicamentos em sistemas de saúde: uma revisão integrativa. Revista Panamericana de Salud Publica, v. 35, p. 228-234, 2014.

SANTOS-PINTO, C. D. B.; MIRANDA, E. S.; OSORIO-DE-CASTRO, C. G. S. O “kit-covid” e o Programa Farmácia Popular do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 37, n. 2, e00348020, 2021.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR (SBRAFH). Plano de contingência em diversos cenários farmacêuticos no âmbito da pandemia por COVID-19. 2020. Disponível em: http://www.sbrafh.org.br/inicial/wp-content/uploads/2020/05/CT-Covid-19-1-1.pdf. Acesso em: 02 mar. 2021.

SFORSIN, A. C. P. et al. Gestão de compras em farmácia hospitalar. 2012. Disponível em: https://www.cff.org.br/sistemas/geral/revista/pdf/137/encarte_farmAcia_hospitalar_85.pdf. Acesso em: 9 mar. 2021.

SILVA, M. J. S. et al. Avaliação dos serviços de farmácia dos hospitais estaduais do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 12, p. 3605-3620, 2013.

SILVA, M. A. M. et al. Promoção da saúde em ambientes hospitalares. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 3, p. 596-599, 2011.