A Atropa Belladonna reduz o número de leucócitos em quadro de peritonite aguda em camundongos

Main Article Content

José Alberto Paris Júnior
Ademilson Romero
Andrezza Furquim da Cruz
Miriane Costa Gileno

Resumo

Este trabalho almejou avaliar, através de um modelo de origem animal, a eficácia do remédio homeopático Atropa belladonna, frequentemente prescrito por homeopatas para tratar quadros clínicos caracterizados por manifestações inflamatórias. A peritonite experimental foi induzida com Lipopolissacarídeo (1,0 mg.kg-1), injetado no peritônio de todos camundongos (Swiss machos), pesando entre 25-30g, no primeiro dia de tratamento. Para o tratamento, os camundongos foram divididos em grupos de estudo, sendo tratados, do primeiro ao sétimo dia, com quatro possíveis compostos: solução salina 0,9 %, ou solução hidroalcóolica a 1% , ou A. belladonna nas potências CH 6, 30 e 200, ou com Dexametasona 0,5 mg.Kg-1 (controle anti-inflamatório alopático), sendo que os medicamentos foram adicionados na água de beber dos camundongos. No oitavo dia, os camundongos foram eutanasiados em câmara de CO2. Após, os resultados foram avaliados através de Leucograma, sendo expressos como média e desvio padrão, comparados por Análise de Variância (ANOVA), onde ficou estabelecido o nível de significância de α≤0,05. A contagem global dos leucócitos demonstrou que em todos os grupos tratados com A. belladonna houve uma diminuição do número de leucócitos em relação ao grupo Controle (p<0,0001). Na contagem diferencial em número absoluto houve uma redução de cerca de 50% de linfócitos nos grupos tratados em relação ao grupo Controle (p<0,0001). Concluiu-se que o remédio homeopático Atropa belladonna nas potências 6CH, 30CH e 200CH apresenta eficácia terapêutica no tratamento de manifestações clínicas em quadros inflamatórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Paris Júnior, J. A., Romero, A., Furquim da Cruz, A., & Gileno, M. C. (2018). A Atropa Belladonna reduz o número de leucócitos em quadro de peritonite aguda em camundongos. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 21(3), 102-112. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2018.v21i3.573
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Miriane Costa Gileno, Universidade de Araraquara-Uniara

Departamento de Ciência Biológicas e da Saúde. Cursos de Biomedicina e Famácia. Áreas: Hematologia Clínica, Bioquímica Clínica, Análises Clínicas e Banco de Sangue.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)