Caracterização e prevenção das lesões de uma equipe de futebol profissional

Main Article Content

Julio Cesar Dias

Resumo

O futebol vem mantendo um processo evolutivo até os dias de hoje. É o esporte mais praticado no mundo e, paralelamente à expansão desta atividade, cresceram também as lesões traumáticas, do sistema músculo esquelético, uma vez que, com a modernização evoluíram também as questões técnicas, táticas e principalmente físicas, caracterizadas pelas mudanças rápidas de direção, aceleração, desaceleração, resistência, força, agilidade, flexibilidade e principalmente pelo contato físico entre os praticantes. O objetivo deste trabalho foi caracterizar os tipos e quantidade de lesões de atletas de futebol profissional de uma equipe do interior do Estado de São Paulo no período de de 2009 à 2015. Foi realizado um levantamento dos tipos e número de lesões dos atletas através da avaliação funcional do fisioterapeuta da referida equipe e análise dos resultados dos exames de diagnóstico por imagem (radiografia, ultrassonografia e ressonância nuclear magnética). Os resultados apontam um total de 201 lesões, sendo as mais frequentes: muscular (64%),  joelho (18%), tornozelo/pé, (8%), ombro/punho/mão/coluna (2%) e face/costela/púbis/perna( 1%). Em relação ao período estudado observou-se diminuição das  lesões musculares da ordem de 8%. Quanto ao total de lesões ocorreu pequeno aumento em 2013 e um decréscimo de 22% nas temporadas de 2014 e 2015. Estes resultados indicam que as lesões musculares predominam em relação às demais corroborando com a evolução do futebol no que se refere ao aumento do contato e exigência física dos atletas nos treinos e jogos. Entretanto, constatou-se que as lesões individuais e coletiva da equipe  diminuíram em cada temporada à medida que o clube investiu na estrutura clínica e física para prevenção e reabilitação deste atletas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Dias, J. C. (2020). Caracterização e prevenção das lesões de uma equipe de futebol profissional. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 21(3). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2018.v21i3.625
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Julio Cesar Dias

Graduação em Fisioterapia pelo Centro Universitário de Araraquara - UNIARA - 2005 (Araraquara-SP)

Pós Graduação lato sensu em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica pelo Instituto Cohen - Ortopedia, Reabilitação e Medicina Esportiva - 2006 (São Paulo-SP)

Sócio Especialista da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva - SONAFE desde 2007

Formação em Terapia Manual Osteopática pelo Instituto Cefisa - 2008 (Araraquara-SP)

Aprimoramento Profissional em Reeducação Postural Global e Reprogramação Senrório Motora - RPG/RSM pelo Instituto Paulista de Estudos Sistêmicos - IPES - 2010 (Ribeirão Preto-SP)

Pós Graduação lato sensu em Acupuntura Sistêmica pelo Instituto Paulista de Estudos Sistêmicos - IPES - 2013 (Ribeirão Preto-SP)

Pós Graduação stricto sensu Mestrado em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente pelo Centro Universitário de Araraquara - UNIARA - 2016 (Araraquara - SP)

Aprimoramento Profissional em Pilates Clínico e Funcional pelo Instituto Paulista de Estudos Sistêmicos - IPES - 2016 (Ribeirão Preto-SP)

Fisioterapeuta responsável pela equipe de Futebol da Ferroviária de Araraquara de 2008 até 2016

Fisioterapeuta Voluntário dos Jogos Olímpicos Rio 2016

Fisioterapeuta da Prefeitura Municipal de Araraquara desde 2012

Fisioterapeuta da Academia Liv - Centro de Treinamento


Referências

BARBOSA, B. T. C.; CARVALHO, A. M. Incidência de lesões traumato-ortopédicas na equipe do Ipatinga Futebol Clube-MG. Movimentum- Revista Digital Ed. Física, v. 3, n. 1, p. 1-18, 2008.

BARROS, T. L., GUERRA, I., Ciências do futebol, São Paulo: Manole, 2004.

BASTOS, R. S.; VIEIRA, E. M. M.; SIMÕES, C. A. D.; PERES, S. H. C. S.; CALDANA, M. L.; LAURIS, J. R. P.; BASTOS, J. R. M., Odontologia desportiva: proposta de um protocolo de atenção à saúde bucal do atleta, Rev Gaúcha Odontol, v. 6, n. 0, p. 461-468, 2013.

BERGSON, H. L., Muscle Injuries: Classification and Healing. In REID, D. C., LIVINGSTONE, C., Sport Injury Assessment and Reabilitation, New York: Edinburgh, 1992. cap. 5, p. 85-101.

BIZZINI, M., Prevenção de lesões com e sem contato no futebol. In: Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva; REIS, F. A., LIMA, P. O. P., organizadores. PROFISIO Programa de Atualização em Fisioterapia Esportiva e Atividade Física: Ciclo 7. Porto Alegra: Artmed Panamericana; 2018. p. 11-58. (Sistema de Educação Continuada a Distância, v. 3).

BOISSEAU, N.; VERMOREL, M.; RANCE, M.; DUCHÉ, P.; PATUREAU-MIRAND, P. Protein requirements in male adolescent soccer players. Eur J Appl Physiol, v. 100, n. 1, p. 27-33, 2007.

CARAZZATO, J. G., Traumatologia Desportiva. In HEBERT, S., XAVIER, R., JUNIOR, A. G. P., FILHO, T. E. P. B., Ortopedia e Traumatologia – princípios e prática, 3ª edição, Porto Alegre: Artmed, 2003, c. 77, p. 1485-1518.

CARAZZATO, J. G., Lesões miotendíneas. In AMATUZZI, M. M., GREVE, J. M. D., CARAZZATO, J. G., Reabilitação em medicina do Esporte, São Paulo: Roca, 2004. c. 4, p. 27-35.

CARVALHO, B., LAVIERI, D., MARQUES, D., MARQUES, J. H., ALMEIDA, P. I., PERRONE, R. (2018) Brasil sofre mais que rivais com lesões e expões grave dor de cabeça de Tite. Disponível em: <https://esporte.uol.com.br/futebol/copa-do-mundo/2018/noticias/2018/06/23/brasil-sofre-mais-que-rivais-com-lesoes-e-expoe-grave-dor-de-cabeca-de-tite.htm. Acesso em: 09 de agosto 2018.

CATELLI, D. S.; KURIKI, H. U.; NASCIMENTO, P. R. C. Lesão esportiva: Um estudo sobre a síndrome dolorosa femoropatelar, Motricidade, v. 8, n. 2, p. 62-69, 2012.

CIBULKA, M. T., Reabilitation of the pélvis, hip, and thigh.; Clinics, Sports Med. v.8, p. 777-803, 1989.

COHEN, M., ABDALLA, R. J., EINISMAN, B., et al.; Lesões Ortopédicas no futebol, Rev. Bras Ortop, v. 32, p. 940-944, 1997.

COHEN, M. OLIVEIRA, G. K., SILVA, R. T. Et al. Lesões Musculares. In COHEN, M., ABDALLA, R. J., Lesões nos Esportes, Diagnóstico, Prevenção e Tratamento. São Paulo: Revinter, 2003. c. 42. p. 615-624.

COITO, J. A. L. Efeitos de um programa de exercícios de reeducação sensório-motor no controle postular e na incidência de lesões músculo-esqueléticas em futebolistas amadores. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências da Fisioterapia) - Faculdade de Motricidade Humana, Lisboa, 2013.

DAL PAI, V., Esporte e lesão muscular, Rev. Brás. Neurol, v. 30, p. 45-48, 1994.

DADEBO, B., WHITE, J., GEORGE, K. P., A survey of flexibility training protocols anda hamstring strains in professional football clubs in England, Br J Sports Med, v.38, p.388–394, 2004.

DIAS JUNIOR, J. C. Abordagens cinesioterapêuticas em pacientes com lesão muscular de membros inferiores, 2006. (Monografia). Universidade São Marcus e Instituto Cohen, de Ortopedia, Reabilitação e Medicina Esportiva, São Paulo.

EJNISMAN, B.; ANDREOLI, C. V.; CARRERA, E. F.; ABDALLA, R. J.; COHEN, M. Lesões músculo esqueléticas no ombro do atleta: mecanismo de lesão, diagnóstico e retorno à prática esportiva, Rev Bras Ortop, V 36, N 10, out 2001.

EMANUEL F. P. Lesões musculares no futebol: tipo, localização, prevenção, reabilitação e avaliação pós lesão. 2007. (Monografia) - Universidade do Porto, Porto.

FAULKNER, J. A. et al,- Injury to skeletal muscle fibers during contractions: conditions of occurrency and prevention, Phisical Therapy, v. 73, n. 12, p. 911-920, 1993.

FERREIRA, A. C., MARUJO, A., FOLGADO, H, FILHO, P. G., FERNANDES, J. Programas de Exercício na Prevenção de Lesões em Jogadores de Futebol: uma Revisão Sistemática, Rev Bras Med Esp, v. 21, n. 3, p. 236-241, 2015.

GOMES, M.; VENANCIO, T., A Ciência entra em Campo, Com Ciência, n. 157, 2014.

GOUVEIA, L. A. G.; PASSANHA, A., Nutrição, hidratação e suplementação para os jogadores de futebol, Rev brasil fisiol exerc, v. 10, n. 3, p. 166-171, 2011.

GUERRA, I. P. L. R.; BARROS NETO, T.; TIRAPEGUI, J. Dietary needs of soccer players: a review. Nutrire, n. 28, p.79-90, 2004.

HAWLEY, J. A.; TIPTON, K. D.; MILLARD-STAFFORD, M. L. Promotingtrain- ing adaptations through nutritional interventions. J Sports Sci, v. 24, n. 6, p. 709-721, 2006. HOBSBAWN, E. A Era dos Impérios. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001, p. 256.

HESPEL, P.; MAUGHAN, R. J.; GREENHAFF, P. L. Diet ary supplementsfor football. J Sports Sci, v. 24, n. 7, p. 749-761, 2006.

HENRIQUES, M. A. S. Dor musuclar tardia e Oxigenoterapia Hiperbárica. Rev Militar, n.2565, p. 763-766, 2015.

JÄRVINEN, T. A. H., JÄRVINEN, T. L. N. , KÄÄRIÄINEN, M., KALIMO, H., JÄRVINEN, M., The American Journal of Sports Medicine, v. 33, n. 5, 2005.

KARLSSON, J., SWARD, L., KALEBO, P., Chronic Groin Injuries in Athletes. Recommendations for treatment and reabilitation, USA, Sports Med, P 141-148, 1994.

KLEINPOUL, J. F.; MANN, L.; SANTOS, S. G. Lesões e desvios posturas na prática de futebol jogadores jovens, Fisioterapia e Pesquisa, v. 17, n. 3, p. 236-241, 2010.

KNAPP, E. (2018) Brasil chega ao mata-mata com recorde de lesões em copas. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2018/06/brasil-chega-ao-mata-mata-com-recorde-de-lesoes-em-copas.shtml. Acesso em: 09 de agosto 2018.

LETHO, M. U. K., JARVINEN, M. J., Muscle injuries, their healing process and treatment, Annales Chirurgine el Gybecolo]gine, v. 80, n.2, p. 102-108, 1991.

LUIZ, K. (2017) Como prevenir lesões no futebol com treinamento funcional. Disponível em: <http://keynerluiz.com/lesoes-no-futebol-prevencao/. Acesso em: 21 de novembro 2017.

MARCON, C. A.; SOUZA, A. A. F.; RABELLO, L. M., Atuação Fisioterapêutica nas principais lesões musculares que acometem jogadores de futebol de campo, Rev cient da facu educ e meio amb, n. 6, v. 1, p. 81-98, 2013.

MATTILA, K. J.; NIEMINEM, M. S.; VALTONEN, V. V.; RASI, V. P.; KESÄNIEMI, Y. A.; SYRJÄLÄ, S. L. Association between dental health and acute myocardial infartion. Br Med J, n. 298, p. 779-782, 1989.

NASCIMENTO, H. B.; TAKANASHI, S. Y. L. Lesões mais incidentes no futebol e a atuação da fisioterapia desportiva. 2012. (Monografia). Faculdade Ávila, Goiania.

PALACIO, E. P.; CANDELORO, B. M.; LOPES, A. A.; Lesões nos jogadores de futebol profissional do Marília Atlético Clube: Estudo de coorte histórico do campeonato brasileiro de 2003 a 2005, Rev Bras Med Esporte, v. 15, n. 1, 2009.

PASTRE, C. M.; CARVALHO FILHO, G.; MONTEIRO, H. L.; NETTO JUNIOR, J.; PADOVANI, C. R.; Lesoões desportivas na elite do atletismo brasileiro: estudo a partir da morbidade referida, Rev Bras de Med do Esporte, v. 11, n. 1, p. 43-47, 2005.

PEDRINELLI, A., Incidência de lesões traumáticas em atletas de futebol. 1994. Dissertação (mestrado). FMUSP– Faculdades de medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, p. 170.

PEDRINELLI, A.; RODRIGUES, G. A. C.; THIELE, E. S.; KULLAK, O. P., Estudo epidemiológico das lesões no futebol profissional durante a Copa América de 2011, Argentina, Rev Bras Ortop, v .48, n. 2, p. 131-136, 2013.

PELHAM, T. W.; HOLT, L. E.; STALKER, R. Acupuncture in human Performance. J Strength Cond Res, Canada, v. 15, n. 2, p. 266-271, 2001.

PINTO, S. S., CASTILLO, A. A. Lesão Muscular: Fisiopatología e tratamento, Fisiot Mov. v.12, p.23-36, 1999.

QUEIROZ, R. D.; CARVALHO, R. T.; SZELES, P. R. Q.; JANOVSKY, C.; COHEN, M.; Retorno ao esporte após tratamento cirúrgico de pubeíte em jogadores de futebol profissional, Rev Bras Ortop, v. 49, n. 3, p. 233-239, 2014.

RUBIO, K; GODOY MOREIRA, F. A representação da dor em atletas olímpicos brasileiros. Rev Dor, v. 8, n. 1, p. 926-935, 2007.

SANTOS, V. C.; KAWANO, M. M.; BANJA, R. A. Acupuntura na melhora da performance em atletas juvenis de handebol, Revista Saúde e Pesquisa, v. 1, n. 3, p. 331-335, 2008.

SANTOS, L. R.; MEJIA, D. P. M., Intervenção Fisioterapêutica nas Distensões, contusões e Lacerações musculares. 2013. (Monografia) - Faculdade Ávila, Goiania.

SCHOENFELD, B. J.; CONTRERAS, B., Is Postexercise Muscle Soreness a Valid Indicator of Muscular Adaptations?. Strength & Conditioning Journal, v. 35, n. 5, p. 16-21, 2013.

SILVA, P. R. S.; PEDRINELLI, A.; TEIXEIRA, A. A. A.; ANGELINI, F. J.; FACCI, E.; GALOTTI, R.; GONDO, M. M.; FAVANO, A.; GREVE, J. M. D.; AMATUZZI, M. M., Aspectos descritivos da avaliação funcional de jogadores de futebol, Rev Bras Ortop, v. 37, n. 6, p. 205-210, 2002.

SILVA, R. G. P. Jogadores de futebol de alta competição, com lesões desportivas: a importância atribuída ao enfermeiro. 2009. 129 f. Monografia (6º Curso de Licenciatura em Enfermagem) - Universidade Atlântica, Barcarena.

SILVA, K. K. G. O trabalho para o atleta profissional de futebol: uma perspectiva psicodinâmica. 2010. 185 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiás.

SILVA, A. A. S.; BITTENCOURT, N. F. N.; MENDONÇA, L. M.; TIRADO, M. G.; SAMPAIO, R. F.; FONSECA, S. T. Análise do perfil, funções e habilidades do fisioterapeuta com atuação na área esportiva nas modalidades de futebol e voleibol no Brasil, Rev Bras Fisiot, v. 15, n. 3, p.219-226, 2011.

SILVA, C. L. A Atuação do Profissional de Educação Física: Políticas Públicas de Esporte e Lazer no Contexto Brasileiro, Licere, v. 17, n. 1, 2014.

TAKAHASHI, R. H. Tenis Elbow – exercícios de prevenção. Revista Tênis, n. 68, 2009.

VALENTE, H. G.; MARQUES, F. O.; SOUZA, L. S.; ABIB, R. T.; RIBEIRO, D. C.; Lesão do músculo obturador externo em atletas de futebol profissional, Rev Bras Med Esporte, v. 17, n. 1, 2011.

WILLIANS, J. G. P., SPERRYN, P. N. Sports Medicine. London: Edward Arnold. 2ª edição. 1982, 530p.

WILLIAMS, C.; SERRATOSA, L. Nutrition on match day. J Sports Sci, v. 24, n. 7, p.687-697, 2006.

ZANELLA, A. M; STEFANINI, W. R.; Principais lesões na prática de futebol durante a pré- temporada no campeonato paulista serie A-I, 2003.