A vigilância da qualidade de medicamentos: análise de genfibrozila

Main Article Content

Márcia Lombardo
Jaqueline Kalleian Eserian

Resumo

A qualidade de medicamentos é um requisito determinante da eficácia e da segurança do tratamento. Os Programas governamentais destinados ao monitoramento da qualidade de medicamentos visam detectar problemas nos produtos oferecidos à população, a fim de prevenir agravos à saúde. Este trabalho teve como objetivo analisar a qualidade de comprimidos de genfibrozila 600 mg, um antilipêmico da classe dos fibratos. Medicamentos genéricos provenientes de cinco fabricantes diferentes foram avaliados quanto a parâmetros técnicos e físico-químicos. Os ensaios compreenderam análise de rotulagem, aspecto, variação de peso, identificação de genfibrozila, teor de genfibrozila, uniformidade de doses unitárias e dissolução, com base em compêndios oficiais e documentos normativos. Técnicas de cromatografia líquida de alta eficiência e espectrofotometria no ultravioleta foram utilizadas para quantificar a genfibrozila. Verificou-se que os produtos apresentaram resultados satisfatórios para todos os parâmetros de qualidade avaliados. Tais resultados são importantes para auxiliar as ações de Vigilância Sanitária, bem como qualificar fornecedores do Sistema Único de Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Lombardo, M., & Eserian, J. K. (2021). A vigilância da qualidade de medicamentos: análise de genfibrozila. Revista Brasileira Multidisciplinar, 24(1). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2021.v24i1.763
Seção
Artigos Originais

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Bulário Eletrônico. Disponível em: < http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp>. Acesso em: 17 set. 2019.

AZULINO, A.C.O.; COSTA, M.H.A.; CARVALHO, M.N.; MOREIRA, A.S.; OLIVEIRA, A.F.; PINTO, A.C.G.; MATOS, I.P. Queixas técnicas realizadas pelos profissionais da saúde, relacionadas aos produtos utilizados em Hospital Sentinela de Belém-Pará. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. v.4, n.3, p.13-16, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n.° 71, de 22 de dezembro de 2009. Estabelece regras para a rotulagem de medicamentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 2009. Seção I, pág. 75.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n.°17, de 16 de abril de 2010. Dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 abr. 2010. Seção I, pág. 94-110.

CAON, S.; FEIDEN, I.R.; SANTOS, M.A. Desvios de qualidade de medicamentos em ambiente hospitalar: identificação e avaliação das ocorrências. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. v.3, n.1, p.23-26, 2012.

ESERIAN, J.K.; LOMBARDO, M. Análise da qualidade farmacêutica de medicamentos hipoglicemiantes na eficácia do tratamento de diabetes no âmbito do sistema público de saúde. Cadernos Brasileiros de Medicina. v.XXX, n.3, p.11-18, 2017.

FARMACOPEIA BRASILEIRA. 5 ed. Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Fiocruz, 2010. pt. 1 e 2.

JUNIOR, D.M.P.; PEPE, V.L.E.; OSORIO-DE-CASTRO, C.G.S.; MASSENA, E.P.; PORTELA, M.C.; MIRANDA, M.C.; SILVA, R.S. A definição de medicamentos prioritários para o monitoramento da qualidade laboratorial no Brasil: articulação entre a vigilância sanitária e a Política Nacional de Medicamentos. Cadernos de Saúde Pública. v.24, n.9, p.2081-2090, 2008.

KHAWALI, C.; ANDRIOLO, A.; FERREIRA, S.R.G. Benefícios da atividade física no perfil lipídico de pacientes com diabetes tipo 1. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. v.47, n.1, p.49-54, 2003.

LOMBARDO, M.; ESERIAN, J.K. A análise da qualidade de medicamentos e o papel do laboratório oficial no contexto da saúde pública. Revista de Administração em Saúde. v.17, n.67, p.1-14, 2017.

LOPID. Bula do profissional. Itapevi/SP: Laboratórios Pfizer Ltda, Data do expediente 08/05/2014. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp>. Acesso em: 30 jul. 2019.

LUIZA, V.L.; CASTRO, C.G.S.O.; NUNES, J.M. Aquisição de medicamentos no setor público: o binômio qualidade-custo. Cadernos de Saúde Pública. v.15, n.4, p.769-776, 1999.

MATHEUS, A.S.M.; COBAS, R.A.; GOMES, M.B. Dislipidemias no diabetes melito tipo 1: abordagem atual. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. v.52, n.2, p.334-339, 2008.

SILVA, A.C.P. O Laboratório Oficial na avaliação analítica. In: ROZENFELD, S. Fundamentos da Vigilância Sanitária. 6 ed. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2000. p. 271-301.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes SBD 2014-2015. Disponível em: <https://www.diabetes.org.br/publico/images/2015/area-restrita/diretrizes-sbd-2015.pdf>. Acesso em: 18 set. 2019.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes SBD 2017-2018. Disponível em:< https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf>. Acesso em: 18 set. 2019.

UNITED STATES PHARMACOPEIA. 32th. Rockville: The United States Pharmacopeial Convention, 2009.