Desempenho de diferentes tipos de lajes de concreto armado: um estudo considerando suas aplicações em um edifício de salas de aula

Main Article Content

Leandro Vanalli
Felipe Alves Santos
Ygor Moriel Neuberger

Resumo

Na elaboração de projetos na Construção Civil, engenheiros e arquitetos defrontam-se com várias alternativas de sistemas de lajes, as quais podem representar sensíveis resultados no custo e na qualidade da edificação. É notável a indecisão dos profissionais do setor construtivo devido à escassez de parâmetros que possam ser seguidos, de modo que a escolha recaia na que melhor atenderá as exigências da edificação. Diante disto, o presente artigo tem como objetivo analisar o desempenho, em termos de viabilidade econômica e de deslocamentos, de quatro sistemas diferentes de lajes de concreto armado, sendo eles: o de lajes com treliças, com vigotas protendidas, com nervuras bidirecionais e do tipo maciça, por meio do dimensionamento estrutural em função de um projeto modelo de uma edificação destinada para salas de aulas. Para o dimensionamento foi utilizado o software AltoQi Eberick®, em sua versão acadêmica e, a partir dos resultados, as lajes foram orçadas com base nas planilhas SINAPI, utilizadas nacionalmente para a avaliação de financiamentos pela Caixa Econômica Federal, sendo feito o comparativo apontando o sistema estrutural mais viável economicamente para o projeto modelo. Os resultados apontam que as lajes pré-moldadas se mostraram de maior viabilidade econômica, principalmente o sistema em laje treliçada. No entanto, todos os sistemas demonstraram particularidades singulares que são informações importantes para os projetistas em concreto armado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Vanalli, L., Santos, F. A., & Neuberger, Y. M. (2022). Desempenho de diferentes tipos de lajes de concreto armado: um estudo considerando suas aplicações em um edifício de salas de aula. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 25(2), 46-64. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2022.v25i2.988
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Leandro Vanalli, Universidade Estadual de Maringá.

Engenheiro Civil

Mestre em Engenharia de Estruturas

Doutor em Engenharia de Estruturas

Professor do Departamento de Tecnologia - DTC/UEM

Felipe Alves Santos, Universidade do Estado do Mato Grosso - UEMT

Engenheiro Civil

Ygor Moriel Neuberger, Universidade Estadual do Mato Grosso

Especialista em Engenharia Civil

Referências

ALTOQI. Como o Eberick aplica as cargas de vento? 2019. Disponível em: <https://suporte.altoqi.com.br/hc/pt-br/articles/115004593633-Como-o-Eberick-aplica-as-cargas-de-vento->. Acesso em: 19 de mar. de 2020.

ALTOQI. Comparativo entre vinculações de vigas. 5 de mar. de 2020. Disponível em: <https://suporte.altoqi.com.br/hc/pt-br/articles/115001285093-Comparativo-entre-vincula%C3%A7%C3%B5es-de-vigas>. Acesso em: 19 de mar. de 2020.

ALVES, M. R. Manual de ambientes didáticos para graduação. São Carlos: Suprema, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118: Projeto de estruturas de concreto – Procedimento. Rio de Janeiro, 2014. 256 f.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6120: Ações para o cálculo de estruturas de edificações. 2019. Rio de Janeiro, 2019. 66 f.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6123: Forças devidas ao vento em edificações. 1988. Rio de Janeiro, 1988. 66 f.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 2004. Rio de Janeiro, 2004. 105 f.

BAZZO, W. A.; PEREIRA, L. T. V. Introdução a Engenharia – Conceitos, Ferramentas e Comportamentos. Florianópolis: Editora da UFSC, 2006. 270f.

CARVALHO, M. C. Análise comparativa estrutural e econômica entre as lajes maciça, nervurada treliçada e nervurada com cuba plástica em um edifício de 10 pavimentos. 2012. 80 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2012.

CARVALHO, R. C.; FILHO, J. R. D. F. Cálculo e Detalhamento de Estruturas Usuais de Concreto Armado Segundo a NBR 6118: 2014. 4. ed. São Carlos: EdufSCar, 2014. v. 1, 424 f.

COCIAN, L. F. E. Introdução à Engenharia. Porto Alegre: Bookman, 2017. 296 f.

CUNHA, M. O. Recomendações para projeto de lajes formadas por vigotas com armação treliçada. 2012. 145 f. Dissertação – Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, 2012.

KAEFER, L. F. A evolução do concreto armado. São Paulo, 1998. 43 f.

LUCA, M. A. S.; ROMANEL, F. B.; SANCHES, G. H. M.; GONÇALVES, H. S.; PEREIRA, V. A. G.; MOISES, I. C.; OLIVEIRA, J. M. B. A Engenharia no contexto Social: Evolução e Desenvolvimento. Gestão, Tecnologia e Inovação – Revista eletrônica dos Cursos de Engenharia, v. 2, n. 1, p. 1-11, 2018.

MACEDO, G. M.; SAPUNARU, R. A. Uma breve história da engenharia e seu ensino no brasil e no mundo: foco minas gerais. Revista de Engenharia da Universidade Católica de Petrópolis, v. 10, n. 1, p. 39-52, 2016.

Madureira E. L.; Ávila J.I.S.L. Simulação numérica do desempenho mecânico de vigas parede. Revista Ibracon de Estruturas e Materiais, v. 5, n. 6, p. 737-756, 2012.

NAPPI, S.C.B., Análise comparativa entre lajes maciças, com vigotes prémoldados e nervuradas. 1993. 131 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1993.

PADMARAJAIAH, S.K., RAMASWAMY, A. A finite element assessment of flexural strength of prestressed concrete beams with fiber reinforcement. Cement & Concrete Composites, v.24, p.229-241, 2002.

PRADO, E. P. Influência da heterogeneidade do material na simulação computacional de elementos de concreto. 2004. 270 f. Tese de Doutorado – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SÃO PAULO (Município). Decreto nº 57.776, de 7 de julho de 2017. Regulamenta os procedimentos administrativos e executivos e fixa as regras gerais e específicas a serem obedecidas no projeto, licenciamento, execução, manutenção, utilização e fiscalização de obras, edificações, equipamentos, obras complementares, terraços e mobiliários, dentro dos limites dos imóveis em que se situam. Câmara Municipal de São Paulo, São Paulo, SP.

SOUZA, C. G. S.; LOPES, R. C. Estudo comparativo entre laje maciça convencional e lajes nervuradas. 2016. 134 f. Monografia (Engenharia Civil) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

SOUZA, R. A.; ARAUJO, M. J. S. The Progressive Failure of Fifteen Balconies and the Engineering Techniques for their Reconstruction. Engineering Failure Analysis, v. 18, p. 895-906, 2011.

SPOHR, V. H. Análise comparativa: Sistemas estruturais convencionais e estruturas de lajes nervuradas. 2008. 108 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.

STRAMANDINOLI, R. O escritório de projetos estruturais e suas peculiaridades buscando subsídios para o futuro negócio. 2007. 101 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Setor de tecnologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.