Regimes jurídicos fundiários no Brasil e Função Socioambiental da Posse Agrária: a regularização fundiária de populações ribeirinhas da várzea amazônica

Karla Rosane Aguiar Oliveira

Resumo


Durante os diversos regimes jurídicos fundiários da história brasileira, as populações ribeirinhas definiram formas de territorialização específicos e vínculos ancestrais nas calhas dos rios amazônicos, porém historicamente sempre viveram em condição de invisibilidade sócio-política. Em virtude das condições de colonização e apropriação da terra no Brasil, valeram-se do instituto da posse como a única opção de acesso à terra. Com a evolução da legislação e das lutas destas populações, havia a necessidade de promover a regularização fundiária que abarcasse o modo de vida caboclo. Assim, este artigo tem como objetivo contribuir com o debate sobre a questão agrária no Brasil, a partir de revisão de literatura e análise do quadro jurídico envolvido. Para isso, enfoca a Concessão de Direito Real de Uso como um dos instrumentos que proporciona ao Estado a garantia da função social dos bens públicos e a segurança jurídica da posse agrária de populações de várzea da Amazônia.


Palavras-chave


Posse agrária; Regularização fundiária; Concessão de direito real de uso.

Texto completo:

PDF

Referências


ABE, Nilma de Castro. Gestão do patrimônio público imobiliário: aspectos jurídicos da destinação, delimitação, fiscalização e responsabilidade. 2.ed. Belo Horizonte: Fórum, 2013.

ADAMS, Cristina; MURRIETA, Rui; NEVES, Walter. As sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade (Introdução). In:

ADAMS, Cristina; MURRIETA, Rui; NEVES, Walter (orgs). Sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2006. P. 15-44.

ALLEGRETTI, Mary Helena. Reservas Extrativistas: parâmetros para uma política de desenvolvimento sustentável na Amazônia. In: ANTHONY, Anderson et AL; ARNT, Ricardo (Org.). O destino da floresta: reservas extrativistas e desenvolvimento sustentável na Amazônia. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994. 276p.

BECKER, Bertha. Geopolítica da Amazônia. Estudos Avançados, v.53, n. 19, 2005. p. 71-86. Disponível em . Acesso em 30 jan. 2015.

CARVALHO, Vailton Loula de. Formação do Direito Fundiário Brasileiro. São Paulo: Iglu, 1999. 85p.

CRUZ, Manuel de Jesus Masulo da. Territorialização camponesa na várzea da Amazônia.2007. 261f. Tese (Doutorado)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Uso privativo de bem público por particular. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

FERES, João Bosco. Propriedade da terra: opressão e miséria: o meio rural na história social do Brasil. Amsterdam: CEDLA Latin America Studies, 1990. 637pgs.

GOMES, Orlando. Direitos Reais. 8ª ed. Rio de Janeiro: Forense. 1983.

GUIMARÃES, Alberto Passos. Quatro séculos de latifúndio-1963. In: STEDILE, João Pedro (Org.). A questão agrária no Brasil: o debate

tradicional-1500-1960. 2.ed. São Paulo: Expressão popular, 2011. P. 35-77.

MARQUESI, Roberto Wagner. Direitos Reais Agrários e Função Social. 2.ed. Curitiba: Juruá, 2012.202p.

MATTOS NETO, Antônio José de. A questão Agrária no Brasil: aspecto sócio-jurídico. Projeto História, São Paulo, n. 33, p. 97-118, dez. 2006. Disponível em . Acesso em 24

MCGRATH, David G e GAMA, Antônia Socorro Pena da Gama. A situação fundiária da várzea do Rio Amazonas e experimentos de regularização fundiária nos estados do Pará e do Amazonas. In:

BENATTI, José Helder. A questão fundiária e o manejo dos recursos naturais da várzea: análise para a elaboração de novos modelos jurídicos. Manaus: jul 2014. Ibama/ProVárzea, 2005.

RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, Antônio Carlos da Silva; SILVA, Josué da Costa. Seringueiros na Amazônia. COLÓQUIO NACIONAL DO NEER, 2 2006. Disponível em

html>. Acesso em 13 fev. 2015.

TRECCANI, Girolamo Domenico. Regularizar a terra: um desafio para as populações tradicionais de Gurupá, 2006. 725f. Belém: UFPA . Tese (Doutorado). Belém, UFPA, 2006.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i1.340

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340