A atenção da enfermagem na saúde da criança: revisão integrativa da literatura

Mariana Marques Viera, Maria Carolina Ortiz Whitaker, Ângela Aparecida Costa, Janaína Mery Ribeiro

Resumo


Na infância ocorrem modificações, que influenciam o desenvolvimento e a fase adulta. Por isso, merecem atenção dos serviços de saúde. A assistência deve ser integral, buscando atender as necessidades da criança em diferentes momentos de sua vida. Pensando nisso, questiona-se: qual a preocupação da enfermagem com a saúde da criança na atenção básica à saúde? O objetivo do trabalho foi identificar o conhecimento científico produzido atualmente, sobre a preocupação da enfermagem com a saúde da criança na atenção básica à saúde. Para tanto, foi realizada uma revisão integrativa da literatura com o estabelecimento das palavras-chave para responder à pergunta norteadora: Criança, Atenção Primária à Saúde e Enfermagem; identificadas no DeCS, e no MeSH, utilizadas em
português e inglês. Após a delimitação dos objetivos e questionamentos a serem respondidos, houve uma busca sistemática e integral na Biblioteca Virtual em Saúde, que contempla as bases de dados: LILACS, IBECS, MEDLINE, Biblioteca Cochrane, SciELO e BDENF, de artigos em português e inglês, publicados entre 2003 e 2013. A amostra foi de 18 artigos após a aplicação dos critérios e inclusão e exclusão, como utilizar apenas textos com resumo disponível, que contemplavam a temática estabelecida. Foram excluídos aqueles direcionados a adolescentes, com temáticas específicas, com eixo de estudo centrado em patologias. Trabalhos publicados anteriormente a 2003 não fizeram parte da seleção. A amostra foi dividida em quatro temáticas principais: ‘Avaliação e descrição da estrutura da atenção básica para atender a crianças’, ‘A atenção ao crescimento e desenvolvimento infantil’, ‘Atenção em puericultura a crianças menores de dois anos de idade’ e ‘A estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI)’. O estudo revelou preocupação da enfermagem com o cuidado em puericultura e com a saúde de crianças de até dois anos de idade, fator positivo para a qualidade do cuidado e redução da mortalidade infantil. Para os descritores utilizados não foram encontrados trabalhos com crianças em fase escolar e observou-se a existência de poucas publicações que tratam sobre a articulação entre os serviços. Concluindo, há preocupação da enfermagem com a saúde da criança, porém existem assuntos a serem abordados pela enfermagem para o aprimoramento da qualidade assistencial.


Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, AIDPI: Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância. Ministério da Saúde. Brasília. 2002. Disponível em: Acesso em: 06 Jun. 2013.

BRASIL, Atenção Humanizada ao Recém- nascido de Baixo Peso – Método Canguru. Ministério da Saúde. Brasília. 2002. Disponível em: Acesso em: 08 Ago. 2013.

BRASIL, Contagem Populacional. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm> Acesso em: 28 Ago. 13.

B RASIL , E st a t ut o da Cri a n ç a e do Adolescente. Governo Federal. Brasília. 1990. 181p. Disponível em: Acesso em: 10 Jun. 2013. [1].

BRASIL, Lei 8.080. Governo Federal. Brasília. 1990. Disponível em: Acesso em: 12 Jun. 2013. [2].

BRASIL, Lei 8.142. Governo Federal. Brasília. 1990. Disponível em: Acesso em: 09 Jun. 2013. [3].

FIGUEIREDO, G. L. A.; MELLO. D. F. – A prática de enfermagem na atenção à saúde da criança em Unidade Básica de Saúde. Rev. Latino- Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. v. 11. n. 4. p. 544 a 551. 2003. Disponível em: Acesso em: 15 Ago. 2013.

FRANCO, T. B.; MAGALHÃES, H. M.J. – Integralidade na assistência à saúde: a organização das linhas do cuidado. São Paulo: Hucitec, 2004. 2ª ed.

FUJIMORI, E. (Org.); OHARA, C. V. S. (Org). – Enfermagem e a saúde da criança na atenção básica. Barueri: Manole. 2009.

FURTADO, M. C. C.; BRAZ, J. C.; PINA, J. C.; MELLO, D. F.; LIMA, R. A. G. – A avaliação da atenção à saúde de crianças com menos de um ano de idade na Atenção Primária. Revista Latino-Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. v. 21 n. 2. p. 554 a 561. 2013. Disponível em: Acesso em: 08 Jun. 2013.

FURTADO, M. C. C.; MELLO, D. F.; PARADA, C. M. G. L.; PINTO, I. C.; REIS, M. C. G.; SCOCHI, C. G. S. – Avaliação da atenção ao recém- nascido na articulação entre maternidade e rede básica de saúde. Rev. Eletr. Enf. [S.l.]. v. 12. n. 4. p. 640 a 646. 2010. Disponível em: Acesso em: 03 Ago. 2013.

GAUTERIO, D. P; IRALA, D. A., CEZAR-VAZ, M. R. – Puericultura em Enfermagem: perfil e principais problemas encontrados em crianças menoresdeumano.RevistaBrasileiradeEnfermagem. Brasília. v. 65. n. 3. p. 508 a 513. 2012. Disponível em: Acesso em: 25 Jun. 2013.

GOLSÄTER, M.; ENSKÄR, K.; LINGFORS, H.; SINDENVALL, B. – Health counseling: parental-oriented health dialogue – an innovation for child health nurses. Journal of Child Health Care. Londres. v. 13. n. 1. p. 75 a 88. 2009. Disponível em:< http://www.ncbi. nlm.nih.gov/pubmed/19240192> Acesso em: 03 Jun. 2013.

HIGUCHI, C. H.; FUJIMORI, E.; CURSINO, E. G.; CHIESA, A. M.; VERISSIMO, M. D. L. O. R.; MELLO, D. F. – Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância na prática de enfermeiros egressos da USP. Revista Gaúcha de Enfermagem. PortoAlegre. v. 32. n. 2. p. 241 a 247. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1983-14472011000200005 > Acesso em: 05 Ago. 2013.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. – Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis. v. 17. n. 4. p. 758 a 764. 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/tce/ v17n4/18.pdf> Acessado em: 20/04/2013.

MELLO, D. F.; TONETE, V. L. P.; SILVA, M. A. I. – A Atenção Básica á Saúde da Criança. In: FUJIMORI, E. (Org.); OHARA, C. V. S. (Org). – Enfermagem e a saúde da criança na atenção básica. Barueri: Manole. 2009. p. 44-60.

MONTEIRO, A. I.; MACEDO, I. P.; SANTOS, A. D. B.; ARAÚJO, W. M. – A enfermagem e o fazer coletivo: acompanhando o crescimento e o desenvolvimento da criança. Rev. Rene. Fortaleza. v. 12. n. 1. p. 73 a 80. 2011. Disponível em: < http:// www.revistarene.ufc.br/vol12n1_pdf/a10v12n1. pdf> Acesso em: 03 Mai. 2013.

MONTEIRO, A. I.; SANTOS, A. D. B.; MACEDO, I. P.; GURGEL, P. K. F.; MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO C. M. – Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis. v. 17. n. 4. p. 758 a 764. 2008. Disponível em: Acesso em: 12 Jun. 2013.

MONTEIRO, A. I.; SANTOS, A. D. B.; MACEDO, I. P.; GURGEL, P. K. F.; CAVALCANTE, J. M. P. –Aexpressão da autonomia do enfermeiro no acompanhamento de crescimento e desenvolvimento da criança. Rev. Enferm. UERJ. Rio de Janeiro. v. 19. n. 3. p. 426 a 431. 2011. Disponível em: < http:// www.facenf.uerj.br/v19n3/v19n3a15.pdf> Acesso em: 20 Abr. 2013.

MOREIRA, M. E. L.; GOLDANI, M. Z. – A criança é o pai do homem: novos desafios para a área de saúde da criança. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. v. 15. n. 2. p. 321 a 327. 2010. Disponível em:

%C3%A9%20o%20pai%20do%20homem.pdf> Acesso em: 20 Jun. 2013.

OLIVEIRA, L. L.; COTA, V. M. R.; REQUEIJO, M. R.; REBOLLEDO, R. S.; PIMENTA, A. F.; LEMOS, S. M. A. – Desenvolvimento infantil: concordância entre a caderneta de saúde da criança e o manual para vigilância do desenvolvimento infantil. Rev. Paulista de Pediatria. São Paulo. v. 30. n. 4. p. 479 a 485. 2012. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103- 05822012000400004&script=sci_arttext> Acesso em: 03 Jun. 2013.

PINA, J. C.; MELLO, D. F.; MISHIMA, S. M.; LUNARDELO, R. - Contribuições da Estratégia Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância ao acolhimento de crianças menores de cinco anos. Acta Paulista de Enfermagem. São Paulo. v. 22. n. 2. p. 142 a 148. 2009. Disponível em: < http://www. scielo.br/pdf/ape/v22n2/a05v22n2> Acesso em: 04 Mai. 2013.

PRADO, S. R. L. A. – Integralidade: Um estudo a partir da atenção básica à saúde da criança em modelos assistenciais distintos. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Escola de Enfermagem. Universidade de São Paulo. São Paulo. 2005. Disponível em: < http://www.teses. usp.br/teses/disponiveis/7/7136/tde-27012006- 105705/pt-br.php> Acesso em: 04 Jun. 2013.

ROCHA, S. M. M.; LIMA, R. A. G.; SCOCHI, C. G. S. – Assistência integral à saúde da criança no Brasil: implicações para o ensino e a prática da enfermagem pediátrica. Saúde e Sociedade. São Paulo. 1997. v. 6. n. 1. Disponível em: Acesso em: 01 Set. 2014.

SAPAROLLI, E. C. L.; ADAMI, N. P. – Avaliação da estrutura destinada à consulta de enfermagem à criança na atenção básica. Rev. Esc. Enferm. USP. São Paulo. v. 44. n. 1. p. 92 a 98. 2010. Disponível em: Acesso em: 01 Set. 2014.

SILVA, A. M. – Competências da enfermeira para a atenção à criança na Rede Básica de Saúde. Tese (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós- Graduação em Enfermagem. Porto Alegre. 2012. Disponível em: < http://www.lume. ufrgs.br/handle/10183/55427> Acesso em: 04 Jun. 2013.

SILVA, R. V. G. O.; RAMOS, F. R. S. – O trabalho da enfermagem na alta de crianças hospitalizadas: articulação da atenção hospitalar e básica. Rev. Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre. v. 32. n. 2. p. 309 a 315. 2011. Disponível em: Acesso em: 02 Set. 2014.

SOUSA, F. G. M.; ERDMANN,A. L.; MOCHEL, E. G. – Condições Limitadoras para a Integralidade do Cuidado à Criança na Atenção Básica de Saúde. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis. v. 20 n. 1. p. 263 a 271. 2011. Disponível em: Acesso em: 01 Ago. 2014.

SOUSA, F. G. M.; ERDMANN, A. L.; MOCHEL, E. G. – Modelando a integralidade do cuidado à criança na Atenção Básica de Saúde. Rev. Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre. v. 31 n. 4. p. 701 a 707. 2010. Disponível em: Acesso em: 20 Set. 2014.

SOUSA, F. G. M.; ERDMANN, A. L. – Qualificando o cuidado à criança na Atenção Primária de Saúde. Rev. Brasileira de Enfermagem. Brasília. v. 65. n. 5. p. 795 a 802. 2012. Disponível em: Acesso em: 30 Set. 2013.

SOUSA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. – Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. São Paulo. v. 8. n. 1. p. 102 a 106. 2010. Disponível em: Acesso em: 18 Jun. 2013.

TAYLOR, C. – Developments in child. health surveillance programmes. Nursing Times. Londres. v. 101. n. 27. p. 32. 2005. Disponível em: Acesso em: 02 Ago. 2013.

TOMASI, E.; FACCHINI, L. A.; THUMÉ, E.; PICCINI, R. X.; OSORIO, A.; SILVEIRA, D. S.; SIQUEIRA, F. V.; TEIXEIRA, V. A.; DILÉLIO, A. S.; MAIA, M. F. S. – Características da utilização de serviços de Atenção Básica à Saúde nas regiões Sul e Nordeste: diferenças por modelo de atenção. Ciência & Saúde Coletiva. São Paulo. v. 16. n. 11. p. 4395 a 4404. 2009. Disponível em: < http://www. scielo.br/pdf/csc/v16n11/a12v16n11.pdf> Acesso em: 05 Ago. 2014.

TORRACO, R. J. – Writing Integrative Reviews: Guidelines and Examples. Academy of Human Resource Development. Nebrasca. v. 4. n. 3. p. 356 a 367. 2005. Disponível em: Acesso em: 25 Nov. 2013.

VERISSIMO, M. D. L. O. R.; MELLO, D. F.; BERTOLOZZI, M. R.; CHIESA, A. M.; SIGAUD, C. H. S.; FUJIMORI, E.; LIMA, R. A. G. – A Formação do Enfermeiro e a estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalente na Infância. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília. v. 56. n. 4. p. 396 a 400. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/ pdf/reben/v56n4/a18v56n4.pdf> Acesso em: 04 Nov. 2013.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i1.341

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340