Fatores de risco e proteção para a saúde mental na adolescência em cidades pequena

Main Article Content

Larissa Lehmkuhl
Aline Arakawa-Belaunde

Resumo

A temática da proteção e risco para a saúde mental na adolescência tem ganhado cada vez mais relevância. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pontua que um em cada cinco adolescentes no mundo sofre com problemas relacionados à saúde mental. Considerando a determinação social da saúde, entende-se que características do local onde uma pessoa reside, como o porte do município, podem contribuir como um fator de risco ou proteção associado à saúde mental. Por isso, esta revisão objetiva identificar fatores de risco e proteção para a saúde mental na adolescência em cidades pequenas, que são maioria no Brasil. Os resultados foram sintetizados por meio de revisão integrativa. A pesquisa foi realizada no mês de julho de 2020 nas bases de dados Pubmed/ MEDLINE, SCOPUS, Web of Science, PsycINFO, LILACS, BDENF, IndexPsi e SciELO. Do total de 283 estudos encontrados, 20 foram selecionados para compor a presente revisão de literatura. Os fatores de risco e proteção identificados foram categorizados como antropométricos, sociodemográficos, familiares, escolares, interpessoais, individuais e comportamentais que, por fim, puderam ser agrupados em domínios chamados biológico, social e psicológico. Conhecer os fatores de risco e proteção para a saúde mental em um local e para um público específicos é de extrema relevância para o planejamento e execução de ações de promoção de saúde e proteção de agravos, especialmente no âmbito da saúde coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Lehmkuhl, L., & Arakawa-Belaunde, A. (2021). Fatores de risco e proteção para a saúde mental na adolescência em cidades pequena. Revista Brasileira Multidisciplinar, 24(3). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2021.v24i3.1161
Seção
Artigos de Revisão

Referências

BECKER, A. E.; BURWELL, R. A.; GILMAN, S. E.; HERZOG, D. B.; HAMBURG, P. Eating behaviours and attitudes following prolonged exposure to television among ethnic Fijian adolescent girls. British Journal of Psychiatry. v. 180, p. 509-514, 2002.

BRASIL. Lei n.8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1990.

______. Lei n.10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2001.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Caminhos para uma política de saúde mental infanto-juvenil. 2. ed. rev. – Brasília: Ministério da Saúde, 2005. 72p.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica - n. 34: Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 176 p.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2017, 234 p.

BRAUN, V. CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology. v. 3, n.2, p. 77-101, 2006.

BUSS, P. M., PELLEGRINI FILHO, A. A saúde e seus determinantes sociais. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 77-93, 2007.

CAMPOS, A. S.; CAMPOS, E. S.; LOURINHO, L. A.; SOARES, S. L.; FERREIRA, H. S. Indicadores de saúde e atividade física: importância das pesquisas sobre adolescentes escolares. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v. 6, n. 8, p.60963-60981, 2020.

CAPRARA, G. V.; KANACRI, B. P. L.; GERBINO, M.; ZUFFIANO, A.; ALESSANDRI, G.; VECCHIO, G.; CAPRARA, E.; PASTORELLI, C.; BRIDGLALL, B. Positive effects of promoting prosocial behavior in early adolescence: evidence from a school-based intervention. International Journal of Behavioral Development. v. 38, n.4, p. 386–396, 2014.

FERNANDES, P. H. C. O urbano brasileiro a partir das pequenas cidades. Revista Eletrônica Geoaraguaia. V. 8, n. 1, p. 13-31, 2018.

FOCHESATTO, C. F.; GAYA, A.; BRAND, C.; MOTA, J.; BANDEIRA, D. R.; LEMES, V. B.; MARTINS, C. M. L.; GAYA, A. R. Sleep and childhood mental health: role of physical activity and cardiorespiratory fitness. Revista Brasileira de Medicina do Esporte v. 26, n. 1, p. 48-52, 2020.

GAETE, J. OLIVARES, E.; ROJAS-BARAHONA5, C. A.; RENGIFO, M. J; LABBÉ, N.; LEPE, L.; SILVA, M.; YÁÑEZ, C.; CHEN, M. Consumo de tabaco y alcohol en adolescentes de 10 a 14 años de la ciudad de San Felipe, Chile: prevalencia y factores asociados. Revista Médica de Chile. v. 144, p. 465-475, 2016.

GILLIS, B. T.; EL-SHEIKH, M. Sleep and adjustment in adolescence: physical activity as a moderator of risk. Sleep Health. v. 5, p.266–272, 2019.

GOLDBERG, D. A bio-social model for common mental disorders. Acta Psychiatrica Scandinavica. v. 90, suppl. 385, p. 66-70.

GOMES, B. S. de M., BASTOS, S. Q. de A., FERES, F. L. C. Espaços Urbanos Saudáveis e os Determinantes Sociais da Saúde. ABRES – Associação Brasileira de Economia da Saúde. Anais, p. 1-20, 2016.

HAWKINS, J. D.; OESTERLE, S.; BROWN, E. C.; MONAHAN, K. C.; ABBOTT, R. D.; ARTHUR, M. W.; CATALANO, R. F. Sustained decreases in risk exposure and youth problem behaviors after installation of the Communities That Care Prevention System in a randomized trial. Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine. v. 166, n. 2, p. 141-148, 2012.

HAWKINS, J. D.; OESTERLE, S.; BROWN, E. C.; ABBOTT, R. D.; CATALANO, R. F. youth problem behaviors 8 years after implementing the Communities That Care Prevention System: A Community-Randomized Trial. JAMA Pediatrics. v. 168, n. 2, p. 122-129 2014.

HUYNH, Q.; CRAIG, W.; JANSSEN, I.; PICKETT, W. Exposure to public natural space as a protective factor for emotional well-being among Young people in Canada. BMC Public Health. v. 13. 2013.

IBGE - Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Pesquisa nacional de saúde do escolar: 2015. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 132 p.

______. Classificação e caracterização dos espaços rurais e urbanos do Brasil: uma primeira aproximação. Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro: IBGE, 2017, 83p.

IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Ministério da Economia. Fórum Brasileiro de Segurança Pública (org). Atlas da violência: Retratos dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IPEA, 2019. 52p.

KUBOTA, L. C. Discriminação contra os estudantes obesos e os muito magros nas escolas brasileiras. Texto para discussão. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Rio de Janeiro: IPEA, 2014. 38p.

LOPES, C. S.; ABREU, G. A.; SANTOS, D. F.; MENEZES, P. R.; CARVALHO, K. M. B.; CUNHA, C. F.; VASCONCELLOS, M. T. L.; BLOCH, K. V.; SZKLO, M. ERICA: prevalência de transtornos mentais comuns em adolescentes brasileiros. Revista de Saúde Pública. v. 50, suppl 1, p. 1-9, 2016.

ŁUCKA, I; DOMARECKI P., JANIKOWSKA-HOŁOWEŃKO, D.; PLENIKOWSKA-ŚLUSARZ, T.; DOMARECKA M. The prevalence and risk factors of orthorexia nervosa among school-age youth of Pomeranian and Warmian-Masurian voivodeships. Psychiatria Polska. v. 53, n. 2, p. 383-398, 2019.

MALTA, D. C.; OLIVEIRA-CAMPOS, M.; PRADO, R. R.; ANDRADE, S. S. C.; MELLO, F. C. M.; DIAS, A. J. R.; BOMTEMPO, D. B. Uso de substâncias psicoativas, contexto familiar e saúde mental em adolescentes brasileiros, Pesquisa Nacional de Saúde dos Escolares (PeNSE 2012). Revista Brasileira de Epidemiologia. v.17, suppl.1 p. 46-61, 2014.

MARTIN, G.; INCHLEY, J.; MARSHALL, A.; SHORTT, N.; CURRIE, C. The neighbourhood social environment and alcohol use among urban and rural Scottish adolescentes. International Journal of Public Health. v. 64, p. 95-105. 2018.

MAZUR, J.; NAŁĘCZ, H.; KLESZCZEWSKA, D.; MAŁKOWSKA-SZKUTNIK, A.; BORRACCINO, A. Behavioural factors enhancing mental health − preliminary results of the study on its association with physical activity in 15 to 16 year olds. Developmental Period Medicine, v. 4, p. 315-124, 2016.

MENDONÇA F. F.; MATTOS, L. F. A. de; OLIVEIRA, E. B. D. de; DOMINGOS, C. M.; OKAMURA, C. T.; CARVALHO, B. G.; NUNES, E. F. P de.A. Participação dos municípios de pequeno porte no Projeto Mais Médicos para o Brasil na macrorregião norte do Paraná. Ciência & Saúde Coletiva. v. 21, n. 9, p. 2907 - 2925, 2016.

MCGARVEY, E. L.; LEON-VERDIN, M.; BLOOMFIELD, K.; WOOD, S.; WINTERS, E.; SMITH, J. Effectiveness of A-CRA/ACC in treating adolescents with cannabis-use disorders. Community Mental Health Journal. v. 50, p. 150-157, 2014.

MONTEIRO, D. S.; MARTINS, R. D.; GOMES, N. P.; MOTA, R. S.; CONCEIÇÃO, M. M.; GOMES, N. R.; NERY, C. L. Fatores associados ao transtorno mental comum em adolescentes escolares. Revista Brasileira de Enfermagem. v. 73, suppl 1, p. 1-8.

OPAS BRASIL – ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Folha informativa – Saúde mental dos adolescentes. s/d. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5779:folha-informativa-saude-mental-dos-adolescentes&Itemid=839>. Acesso em: 01 nov. 2020.

OSGOOD, D. W.; FEINBERG, M. E.; GEST, S. D.; MOODY, J.; RAGAN, D. T.; SPOTH, R. S.; GREENBERG, M.; REDMOND, C. Effects of PROSPER on the influence potential of prosocial versus antissocial. Journal of Adolescent Health, v. 53, p. 174-179, 2013.

OZELLA, S.; AGUIAR, W. M. J. Desmistificando a concepção de adolescência. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 133, p. 97-125, 2008.

PACELEY, M. S.; GOFFNETT, J.; GANDY-GUEDES, M. Impact of victimization, community climate, and community size on the mental health of sexual and gender minority youth. Journal of Community Psychology. p. 1-14, 2017.

PACELEY, M. S.; OKREY-ANDERSON, S.; HEUMANN, M. Transgender youth in small towns: perceptions of community size, climate, and support. Journal of Youth Studies. v. 20, n. 7, p. 822-840, 2017.

PARK, S.; LEE, Y.; JANG, H.; JO, M. Violence Victimization in Korean Adolescents: Risk Factors and Psychological Problems. International Journal of Environmental Research and Public Health. v. 14, n. 5, 541, 2017.

PINHEIRO, K. A. T.; HORTA, B. L.; PINHEIRO, R. T.; HORTA, L. L.; TERRES, N. G.; SILVA, R. A. Common mental disorders in adolescents: a population based cross-sectional study. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 29, n. 3, 2007.

PULVER, A.; DAVISON, C.; PICKETT, W. Time-use patterns and the recreational use of prescription medications among rural and small town youth. The Journal of Rural Health. v. 31, p. 217–228, 2015.

RHEW, I. C.; OESTERLE, S.; COFFMAN, D.; HAWKINS, D. Effects of exposure to the Communities That Care Prevention System on youth problem behaviors in a community- randomized trial: employing an inverse probability weighting approach. Evaluation & the Health Professions. p. 1-20, 2018.

SMOKOWSKI, P. R.; ROSE, R. A.; EVANS, C. B. R.; COTTER, K. L.; BOWER, M.; BACALLAO, M. Familial influences on internalizing symptomatology in Latino adolescents: An ecological analysis of parent mental health and acculturation dynamics. Development and Psychopathology. v. 26, p. 1191–1207, 2014.

SPOTH, R.; REDMOND, C.; CLAIR, S.; SHIN, C.; GREENBERG, M.; FEINBERG, M. Preventing substance misuse through community–university partnerships: randomized controlled trial outcomes 4½ years past baseline. American Journal of Preventive Medicine. v. 40, n. 4, p. 440-447, 2011.

THE TREVOR PROJECT. National Survey on LGBTQ Mental Health. 2019. New York, New York: The Trevor Project. Disponível em: <https://www.thetrevorproject.org/survey-2019/?section=Introduction>. Acesso em: 01 nov. 2020.

TORRACO, R. J. Writing integrative literature reviews: guidelines and examples. Human Resource Development Review. v. 4, n. 3, p. 356-367, 2005.

TU, K. M.; MARKS, B. T.; EL-SHEIKH, M. Sleep and mental health: the moderating role of perceived adolescent-parent attachment. Sleep Health, 2016.

WHITT, A.; GARLAND, E. L. HOWARD, M. O. Helium inhalation in adolescents: characteristics of users and prevalence of use. Journal of Psychoactive Drugs. v. 44, n.5, p. 365-371, 2012.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Relatório Mundial da Saúde. Saúde mental: nova concepção, nova esperança [versão portuguesa] Lisboa: Climepsi Editores, 2002. 206 p.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Child and adolescent mental health policies and plans. Genebra: WHO, 2005, 85 p.