Padronização de excipientes para cápsulas gelatinosas duras contendo o extrato seco de Valeriana officinalis

Main Article Content

Marina Do Nascimento
Bruna Galdorfini Chiari Andréo
Thalita Pedroni Formariz Pilon

Resumo

Neste artigo foi realizada a avaliação de quatro diferentes excipientes para encapsulação do extrato seco de Valeriana officinalis¸ sendo para isto empregadas diferentes misturas de componentes convencionalmente empregados para esta finalidade. Os principais fatores que influenciam as propriedades dos pós e consequente enchimento de cápsulas gelatinosas duras são: o fluxo, a ausência de adesão e a coesividade. A determinação da densidade aparente tem como importância a escolha do tamanho adequado da cápsula. O controle de qualidade das cápsulas contendo quatro diferentes tipos de excipiente e o extrato seco de Valeriana officinalis foi realizado através do peso médio e do tempo de desintegração do fármaco em três tipos de meios de dissolução (água, suco de laranja e leite). Os resultados de peso médio das cápsulas contendo quatro diferentes tipos de excipiente e o extrato seco de Valeriana officinalis estão dentro dos limites de variação. Além disso, o tempo de desintegração das cápsulas contendo os quatro diferentes tipos de excipiente e o extrato seco de Valeriana officinalis também estão dentro dos limites aceitáveis de dissolução (30 minutos) nos três meios de issolução. Dessa forma, o extrato seco de Valeriana officinalis, pode ser ingerido com água, suco e leite e também manipulado com os quatro diferentes tipos de excipientes de diferentes polaridades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Do Nascimento, M., Andréo, B. G. C., & Pilon, T. P. F. (2015). Padronização de excipientes para cápsulas gelatinosas duras contendo o extrato seco de Valeriana officinalis. Revista Brasileira Multidisciplinar, 18(2), 167-175. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i2.334
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Marina Do Nascimento, Curso de Farmácia da Universidade de Araraquara – UNIARA

Universidade de Araraquara – UNIARA

Bruna Galdorfini Chiari Andréo, Curso de Farmácia da Universidade de Araraquara – UNIARA

Universidade de Araraquara – UNIARA

Thalita Pedroni Formariz Pilon, Curso de Farmácia da Universidade de Araraquara – UNIARA

Universidade de Araraquara – UNIARA

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA, farmacopéia brasileira, 5. ed., 2010. ALLEN JR, L.V. The art, science, and technology of pharmaceutical compounding. 2nd ed. American Pharmaceutical Association, Washington, 2002. 493p.

ANSEL, H.; ALLEN, J.R.; POPOVICH, N. G. farmacotécnica - formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 6. ed. São Paulo: Premier, 2000. 568p.

AULTON, M.E. Delineamento de formas farmacêuticas. 2. ed. Porto Alegre:Artmed, 2005. 677p. BATISTUZZO, J.A.O.; ITAYA, M.; ETO, Y. formulário Médico farmacêutico. 3. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2006. 603p.

BRITTES, J.M.; MOREIRA, A.C. Estudo de diferentes processos de mistura de pós-usados para o preparo de cápsulas em farmácias magistrais. Revista Contexto & Saúde, v.5, n.10, p. 47-53, 2006.

DE MARIA, E.K.; SANTINHO, A.J.P. Nifedipina manipulada ou especialidade farmacêutica? Estudo in vitro. Revista Eletrônica de farmácia, v.2, p.31 - 36, 2008.

FERREIRA, A.O. Guia prático da farmácia magistral. 3. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2008. v.1. 409p.

FIGER, A.; RICCI-JÚNIOR, E. Estudo do perfil de dissolução de cápsulas manipuladas de diacereína. Revista brasileira de farmácia, v.93, n.3, p. 392-395, 2012. GENNARO, A.R. Remington: a ciência e a prática da farmácia. 20. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 2208 p.

HOGHTON, P.J. The scientific basis for the reputed activity of valerian. Journal of Pharmacy and Pharmacology, London, v.51, p. 505-512, 1999.

LAMOLHA, M.A.; CUNHA, A.G.; CASTRO, I.C.; NERI, I.M.; FERREIRA, M.C. Excipientes préformulados para a manipulação de cápsulas: uma realidade magistral. Revista da Anfarmag, n. 100, p. 48-52, jan/fev/mar, 2014.

PRISTA, L.N.; ALVES, A.C.; MORGADO, R. Tecnologia farmacêutica. 7. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008. 786 p.

VIANA, O.S.; BENIGNO JÚNIOR, J.; SILVA, R.M.F.; DE MEDEIROS, F.P.M.; GRANGEIRO JÚNIOR, S.; DE ALBUQUERQUE, M.M.;ROLIM NETO, P.J. Desenvolvimento de formulações e tecnologia de obtenção de comprimidos revestidos de efavirenz – terapia anti-HIV. Revista brasileira de Ciências farmacêuticas, v. 42, n. 4, p. 505-511, 2006.

ZHAO, F.; MALAYEV, V.; RAO, V.; HUSSAIN, M. Effect of sodium lauryl sulfate in dissolution media on dissolution of hard gelatin capsule shells. Pharmaceutical Research, v.21, n.1, p.144-148, 2004.