Atividade antifúngica do alho (allium sativum) sobre candida albicans

Main Article Content

Juliana Leal Monteiro da Silva
Gabriela Maria Caetano
Giovana Aparecida Garcia
Tauana Brizolari Gonçalves

Resumo

A Candidíase é uma das micoses oportunistas mais comuns da atualidade, devido a sua alta frequência em acometer pessoas imunologicamente comprometidas. Candida albicans é a principal espécie envolvida nas infecções, causando cerca de 60% das manifestações clínicas, que podem variar desde uma infecção localizada de mucosas, até uma doença disseminada, potencialmente fatal. O uso excessivo de fármacos convencionais para o tratamento dessa doença, propicia o surgimento de leveduras resistentes sendo assim, há necessidade de descobrir tratamentos alternativos que sejam eficazes contra o fungo e minimizem os efeitos colaterais. O presente estudo teve como objetivo avaliar a atividade antifúngica “in vitro” do alho, sobre amostra de Candida albicans (ATCC 90028), através de técnica de difusão em ágar e através de análises morfológicas. Foram testadas para isso a ação do alho cortado em lascas, um extrato concentrado de alho e o extrato embebido em papel filtro. Pela técnica de difusão em ágar, todas as variáveis testadas tiveram efeito inibitório sobre a C. albicans, quando comparados com o controle utilizando apenas salina. Com relação aos estudos morfológicos, quando acrescentado o extrato de alho no meio ágar fubá, não houve formação de clamidósporos terminais pela levedura, e quando o extrato foi incubado com soro para induzir a formação de tubos germinativos, também teve efeito inibitório, além de ter ação fungicida quando semeado em ágar Sabouraud, após essa incubação. Sendo assim, o alho (Allium sattivum) teve um efeito antifúngico em todos os testes realizados, inibindo o crescimento e filamentação de Candida albicans.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Monteiro da Silva, J. L., Caetano, G. M., Garcia, G. A., & Gonçalves, T. B. (2021). Atividade antifúngica do alho (allium sativum) sobre candida albicans. Revista Brasileira Multidisciplinar, 24(1). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2021.v24i1.731
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Juliana Leal Monteiro da Silva, Universidade de Araraquara-UNIARA

Professora de Micologia Clinica, da Universidade de Araraquara-UNIARA, Departamento de Ciências da Saúde

Referências

ALANGADEN, G. J. Nosocomial fungal infections: epidemiology, infection control, and prevention. Journal Infectious Disease Clinics of North America, v. 25, p. 201-225, 2011.

AQIL, F. et al. Antifungal activity of medicinal plant extracts and phytocompounds: a review. Research Gate, 2010.

APOLINÁRIO, A. C. et al. Allium sativum. Como agente terapêutico para diversas patologias: uma revisão. Revista de Biologia e Farmácia, v. 03, n. 1, 2008.

BARBEDO, L. S.; SGARBI, D. B. Candidíase. DST – Jornal Brasileiro de Doenças Sexualmente Transmissíveis, v. 22, n. 1, p. 22-38, 2010.

BOATTO, H. F. et al. O Correlação entre os resultados laboratoriais e os sinais e sintomas clínicos dos pacientes com candidíase vulvovaginal e relevância dos parceiros sexuais na manutenção da infecção em São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Ginecologia Obstetrícia, v. 29, n. 2, p. 80-84, 2007.

BURIAN, J. P.; SACRAMENTO, L. V. S.; CARLOS, I. Z. Fungal infection control by garlic extracts (Allium sativum L.) and modulation of peritoneal macrophages activity in murine model of sporotrichosis. Brazilian Journal of Biology, v. 77, n. 4, p. 848-855, 2017.

CASTAÑO, V. T. et al. Anti-Candida albicans activity, cytotoxicity and interaction with antifungal drugs of essential oils and extracts from aromatic and medicinal plants. Revista Associación Colombiana de Infectología, v. 15, n. 3, p. 160-167, 2011.

CAVALCANTI, Y. W.; ALMEIDA, L. F. D.; PADILHA, W. W. N. Atividade antifúngica de tinturas de produtos naturais sobre Candida spp. International Journal of Dentistry, v. 10 n. 1, p. 15-19, 2011.

CHAVES, G. M. et al. Species distribution and virulence factors of Candida sp. Isolated from the oral cavity of kidney transplant recipients in Brazil. Journal Mycopathologia, v. 175, n. 3-4, p. 255-263, 2013.

COLOMBO, A. L. et al. Epidemiology of candidemia in Brazil: nationwide sentinel surveillance of candidemia in eleven medical centers. Journal Clinical of Microbiology, v. 44, p. 2816-2823, 2006.

COLOMBO, A. L.; GUIMARÃES, T. Epidemiologia das infecções hematogênicas por Candida sp. Revista da Sociedade de Medicina Tropical, v. 36, n. 05, p. 599-607, 2003.

DARLISANI, Z. et al. In vitro Comparison of Inhibitory Activity of 10 Plant Extracts Against Candida albicans. Australian Journal of Basic and Applied Sciences, v. 5, n. 5, p. 930-935, 2011.

DODDS ASHLEY, E. S. et al. Pharmacology of systemic antifungal agents. Journal Clinical Infectious Diseases, v. 43, p. 28-39, 2006.

FONSECA, G. M. et al. Avaliação da atividade antimicrobiana do alho (Allium sativum Liliaceae) e de seu extrato aquoso. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 3, p. 679-684, 2014.

FREIRE, J. C. P. et al. O. Atividade antifúngica de fitoterápicos sobre espécies de Candida: uma revisão de literatura. Revista Archives of Health Investigations, v. 5, n. 6, p. 307-310, 2016.

GASPARETTO, A.; NEGRI, M. F. N.; PAULA, C. R.; SVIDZINSKI, T. I. Produção de biofilme por leveduras isoladas de cavidade bucal de usuários de prótese dentária. Revista Acta Scientiarum Health Sciences, v. 27, n. 1, p. 37-40, 2005.

GIOLO, M. P.; SVIDZINSKI, T. I. E. Fisiopatogenia, epidemiologia e diagnóstico laboratorial da candidemia. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 46, n. 3, p. 225-234, 2010.

MILANI, H. L. A. et al. Avaliação da atividade antimicrobiana in vitro do alho (Allium sativum) in natura. Revista Acta Scientiae Biological Research, v. 1, n. 1, p. 47-58, 2016.

MIMICA, L. M. J. Diagnóstico de infecção por Candida: avaliação de testes de identificação de espécies e caracterização do perfil de suscetibilidade. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 45, n. 1, p. 17-23, 2009.

ODDS, F. C.; BROWN, A. J.; GOW, N. A. Antifungal agents: mechanisms of action. Journal Trends in Microbiology, v. 11, n. 6, p. 272-279, 2003.

PEIXOTO, J. V. et al. Candidíase- Uma revisão de literatura, Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR, v. 8, n. 2, p. 75-82, 2014.

RIBEIRO, E. L. et al. Aspectos das leveduras de Candida vinculadas as infecções nosocomiais. Revista Newslab, ed. 64, p. 106-128, 2004.

RODRIGUES, M. M. et al. Avaliação in vitro da atividade antifúngica do Allium sativum sobre cepas e Candida albicans isoladas de cavidade bucal. Revista de Periodontia, v. 19, n. 2, p. 124-132, 2009.

SANTOS, M. B. et al. Efeito inibitório in vitro de extrato vegetal de Allium sativum sobre Aspergillus níger Tiegh. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 12, n. 1, p. 13-17, 2010.

SILVA, W. J. Efeito da nistatina, fluconazol e do extrato etanólico de própolis de Apis mellifera sobre propriedades de superfície de resina acrílica. Dissertação – Universidade Estadual de Campinas – Faculdade de Odontologia, Piracicaba. 90 folhas - 2005.

SOUZA, A. E. F.; ARAÚJO, E.; NASCIMENTO, L. C. Atividade antifúngica de extratos de alho e capim-santo sobre o desenvolvimento de Fusarium proliferatum isolado de grão de milho. Revista Fitopatologia Brasileira, v. 32, n. 6, p. 465-471, 2007.

SUDBERY, P.; GOW, N.; BERMAN, J. The distinct morfhogenic states of Candida albicans. Trends Microbiology, v. 12, n.7, p. 317-324, 2004.

TALARMIN, J. P. et al. Candida endocarditis: role of new antifungal agents. Mycoses, v. 52, p. 60-66, 2009.

THOMAS, A.; THAKUR, S.; HABIB, R. Comparison of Antimicrobial Efficacy of Green Tea, Garlic with Lime, and Sodium Fluoride Mouth Rinses against Streptococcus mutans, Lactobacilli species, and Candida albicans in Children: A Randomized Double-blind Controlled Clinical Trial. International Journal of Clinical Pediatric Dentistry, v. 10, n. 3, p. 234–239, 2017.

TOZZO, A. B.; GRAZZIOTION, N. A. CANDIDÍASE VULVOVAGINAL (Vulvovaginal Candidiasis). Revista Perspectiva. v.36, n.133, p.53-62, 2012.

VENTUROSO, L. R. et al. Influência de diferentes metodologias de esterilização sobre a atividade antifúngica de extratos aquosos de plantas medicinais. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 12, n. 4, p. 499-505, 2010.

WHITEWAY, M.; BACHEWICH, C. Morfogênese em Candida albicans. Annual Reviews, v. 61, p. 529-553, 2007.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)