Lei do bem: um panorama a partir da caracterização das empresas beneficiárias localizadas na região metropolitana de Ribeirão Preto

Main Article Content

Marina Teixeira de Souza

Resumo

O governo federal tem estimulado a inovação por meio de políticas públicas, uma delas é a Lei do Bem, de forma sucinta, a proposta da Lei do Bem é conceder incentivos fiscais às pessoas jurídicas. O objetivo do presente trabalho consiste em traçar um panorama da Lei do Bem ao longo do período de 2006-2014 a partir da caracterização das empresas beneficiárias da Região Metropolitana de Ribeirão Preto e estabelecimento de eventuais relações entre essas empresas visando evidenciar algum padrão de comportamento no acesso ao Programa Lei do Bem. A metodologia utilizada no presente estudo é pesquisa documental, baseada em consulta à fonte primária, os dados foram disponibilizados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) via Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão (e-Sic) e as etapas da pesquisa são: análise e consolidação dos dados encaminhados pelo MCTIC, via e-Sic, em uma única planilha de trabalho; individualização das empresas beneficiárias do programa; consulta junto ao sistema de consulta à Emissão de Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). A principal constatação da pesquisa é que o investimento em pesquisa resulta em notório desenvolvimento para a sociedade e, mais que isso, é um indicador do dinamismo tecnológico e do comprometimento com a inovação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Teixeira de Souza, M. (2020). Lei do bem: um panorama a partir da caracterização das empresas beneficiárias localizadas na região metropolitana de Ribeirão Preto. Revista Brasileira Multidisciplinar, 23(2). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2020.v23i2.737
Seção
Comunicação Breve
Biografia do Autor

Marina Teixeira de Souza, Centro Universitário Estácio de Ribeirão Preto

Doutoranda em Engenharia de Produção na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP). Mestre em Administração de Organizações na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEARP-USP). Bacharel em Administração pelo Centro Universitário UNISEB/Fundação Getulio Vargas (FGV). Extensão da Graduação na Universitat Politecnica de Valencia (Espanha). Docente EAD Uniararas. Docente nos cursos de Gestão da Estácio de Ribeirão Preto. Coordenadora dos cursos de Pós Graduação EAD em Gestão Fiscal e Tributária e Planejamento Tributário Estácio.

Referências

CAGNAZZO, L.; TATICCHI, P.; BOTARELLI, M. Modelo de gestão da inovação: uma revisão de literatura. Revista Administração UFSM, Santa Maria, v.1, n. 3, p. 316-330, 2008.

EMPLASA, Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano. Região Metropolitana de Ribeirão Preto. Disponível em < https://emplasa.sp.gov.br/RMRP>. Acesso em 06/08/2019.

GUEDES, T. J. S.; MÁRIO, P. C. Lei da Inovação Tecnológica e Lei do Bem: qual o papel efetivo de fomento à inovação e à pesquisa no Brasil? Revista Brasileira de Contabilidade, n. 236, p. 9-21, 2019.

LAKATOS, E.M.; MARCONI, M.A. Metodologia do trabalho científico. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1992. 214p.

MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações). Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2014. 86 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2013. 68 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2012. 65 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2011. 53 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2010. 48 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2009. 47 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2008. 45 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2007. 26 p.

_____. Relatório anual de incentivos fiscais - Lei nº11.196/05. Brasília: MCTIC, 2006. 10 p.

PORTER, M. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

SANTOS, B. M. M.; FERREIRA, E. P.; SILVA, E. D. P.; AGUIAR FILHO, A. C. Mensuração da Gestão da Inovação em um banco brasileiro sob a ótica das cinco dimensões da inovação. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 20, p. 149-168, 2019.

SHIMADA, E. Efetividade da Lei do Bem no estímulo ao desenvolvimento em P&D: uma análise com dados em painel. 62f. Dissertação (mestrado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, 2013.

TIDD, J; BESSANT, J. Gestão da inovação. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.