A aplicação do coaching como ferramenta de orientação a egressos do sistema socioeducativo como apoio na construção de projeto de vida fora da criminalidade

Main Article Content

Miguel Sanches Bernardo
Leandro Tortosa Sequeira

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo geral pesquisar de que forma a aplicação do coaching pode ser utilizada como ferramenta para orientação e apoio ao egresso do sistema socioeducativo na construção de seu projeto de vida fora da criminalidade. Para um melhor tratamento dos objetivos e melhor apreciação desta pesquisa a mesma fora bibliográfica, buscou-se temas relacionados à socioeducação, adolescência, coaching, entre outros necessários. A partir da análise de dados foi possível perceber que existe pouca literatura com o tema específico, verificamos que o coaching na socioeducação e algo novo, necessitando ser mais estudado e debatido. Enfim, por meio do estudo realizado, percebeu-se que a socioeducação é uma área que pode ser mais explorada para a utilização do coaching, principalmente na construção e acompanhamento do plano individual de atendimento onde o mesmo planeja como será toda sua caminhada na medida socioeducativa e também como se dará sua reinserção na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Bernardo, M. S., & Tortosa Sequeira, L. (2020). A aplicação do coaching como ferramenta de orientação a egressos do sistema socioeducativo como apoio na construção de projeto de vida fora da criminalidade. Revista Brasileira Multidisciplinar, 23(2). Recuperado de https://revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/790
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Leandro Tortosa Sequeira

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Referências

ABDALLA FILHO, Elias; CHALUB, Miguel; TELLES, Lisieux E. de Barba. Psiquiatria Forense de Taborda. 3. ed. Porto Alegre: Artmed Editora Ltda, 2016. 760 p.

BANDEIRA, Marcos. Atos infracionais e medidas socioeducativas: Uma leitura dogmática, crítica e constitucional. EDITUS – UESC 2006 Ilhéus: Editus, 2006

BRASIL. Constituição Federal. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>

_____. BRASIL. Presidência da República. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Lei 8.069 de 13 de Julho de 1990.

_____. BRASIL. Presidência da República. Secretaria Especial dos Direitos Humanos.Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo-SINASE/ Secretaria Especial dos Direitos Humanos – Brasília-DF: CONANDA, 2006.

CAJATY, Glorita. Coaching na mediação de família. Rio de Janeiro: Editora Jaguatirica, 2017. 54 p.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Panorama Nacional: e execução das medidas socioeducativas de internação.

Programa Justiça ao Jovem. Brasília: STF/CNJ, 2012

_____. CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Panorama Nacional: e execução das medidas socioeducativas de internação. Programa Justiça ao Jovem. Brasília: STF/CNJ, 2012

D'ADDARIO, Miguel. Coaching na educação. 2. ed. Eua: Babelcube Inc, 2016. 407 p. Tradução de: Ana Lúcia Teodoro Dias.

DAVID ANTHONY (Usa). Fundo das Nações Unidas Para A Infância (unicef) (Ed.). SITUAÇÃO MUNDIAL DA INFÂNCIA 2011: Adolescência Uma fase de oportunidades. New York: B&c Revisão de Textos, 2011. 148 p. Edição em português: B&C Revisão de Textos. Disponível em: <https://www.unicef.org/brazil/pt/br_sowcr11web.pdf>. Acesso em: 25 out. 2017.

FORMIGLI, Carlos.Apresentação. In:BANDEIRA, Marcos. Atos infracionais e medidas socioeducativas: Uma leitura dogmática, crítica e constitucional. EDITUS – UESC 2006 Ilhéus: Editus, 2006

HABIGZANG, Luísa Fernanda; DINIZ, Eva; KOLLER, Silva H. (Org.). Trabalhando com adolescentes: Teoria e intervenção psicológica. Porto Alegre: Artmed Editora, 2014. 325 p.

MALUF, M.I.Adolescência:o drama de uma idade. Revista Psique, São Paulo, Ano 5 Edição 104 Fev/Mar 2011 Disponível em: <http://psique.uol.com.br/adolescencia-o-drama-de-uma-idade/>Acesso em: 24 set. 2017.

MARINHO, Fernanda Campos. Jovens Egressos do Sistema Socioeducativo: Desafios à Ressocialização. 2013. 146 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia, Universidade de BrasÍlia, Brasília, 2013. Cap. 46. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/handle/10482/13460>. Acesso em: 24 fev. 2018.

MATO GROSSO. Clênia Goreth. Tribunal de Justiça de Mato Grosso. MPE aposta no coaching e psicologia transpessoal para trabalhar inteligência emocional de adolescentes infratores. Disponível em: <https://www.mpmt.mp.br/conteudo/58/73235/redirect>. Acesso em: 20 fev. 2018.

PERCIA, Andre; SITA, Mauricio. Manual Completo de Coaching: Grandes especialistas apresentam estudos e métodos para a excelência na prática de suas técnicas. São Paulo: Editora Ser Mais, 2011. 406 p.

PEREIRA, Viviann de Almeida; PEREIRA, Rosane Cardoso. COACHING ACADÊMICO: UMA EXPERIÊNCIA PIONEIRA E INOVADORA. In: XI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - EDUCERE 2013, 11., 2013, Curitiba. Anais. Curitiba: Xi Congresso Nacional de Educação - Educere 2013, 2013. p. 14147 - 14155. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2013/8880_5426.pdf>. Acesso em: 13 fev. 2018.

PINTO, Virgínia Cavalcanti; SOUSA, Welison; SAEMI, Mônica. O papel da representação social na construção da identidade adolescente. 2008. Disponível em: <http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/images/Anais_XVENABRAPSO/273.%20o%20papel%20da%20representa%C7%C3o%20social%20na%20constru%C7%C3o%20da%20identidade%20adolescente.pdf>Acesso em: 18 out. 2017.

SARAIVA, João Batista Costa. Compêndio de Direito Penal Juvenil: Adolescente e Ato Infracional. 3.ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006.

SERAFIM, Thaís; MEZZOMO, Frank Antonio; PÁTARO, Cristina Satiê de Oliveira (Org.). Projetos de vida e constituição de identidades juvenis na interface com a religião e a política. Revista Argumento, Paraná, v. 34, n. 87, p.289-301, 2016. Trimestral. Ontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Disponível em: <http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/pa>. Acesso em: 24 fev. 2018.

TEJADAS, Silvia da Silva. Juventude e ato infracional: as múltiplas determinações da reincidência. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. 304 p.