Eficiência Relativa de Empresas do Setor Atacadista/Distribuidor no Brasil

Ana Paula Souza, Oscar Tupy

Resumo


O setor atacadista/distribuidor tem apresentado atualmente um considerável crescimento, devido ao aumento dos pequenos varejos espalhados por todo o país. Introduzido pelos imigrantes europeus, mais especificamente os portugueses, na década de 50, o setor atacadista /distribuidor fortaleceu-se na década de 90, passando por três fases distintas em relação às vendas. A primeira corresponde ao período de 1991 a 1996, época em que a atividade cresceu, significativamente, cerca de 41%, reagindo positivamente à transição e valorização da moeda nacional; a segunda foi de 1996 a 2001, marcada pela estabilidade; já a terceira, de 2002 a 2004, evidencia-se pela volta de crescimento de 31,4%. Este trabalho refere-se a uma análise da eficiência relativa (técnica e de escala) de uma amostra de empresas do setor atacadista /distribuidor no Brasil, utilizando-se dados publicados na Revista Distribuição – Ranking 2005. A eficiência relativa foi avaliada pelo método Data Envelopment Analysis – DEA. Os resultados do trabalho mostraram que o nível de eficiência técnica foi em média 66,3 %, sinalizando às empresas a necessidade de reavaliar cuidadosamente as suas estratégias de gestão, uma vez que, níveis elevados de ineficiência técnica significam uso em excesso de ativos, cujos custos poderão, se repassados ao varejo, elevar os preços dos produtos. Além disso, empresas ineficientes são menos competitivas no mercado.

Palavras-chave


Setor Atacadista/Distribuidor, Eficiência Produtiva, Eficiência Técnica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2006.v10i2.252

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340