Pesquisa de Bioindicadores em Salsichas Vendidas a Granel em Supermercados do Noroeste Paulista

Bruna Tavares Bruno, Lívia Alegria dos Santos, Cátia Rezende

Resumo


A pesquisa de Escherichia coli e Salmonella spp. nos alimentos é um importante bioindicador higiênicosanitário, indicando contaminação fecal. A salsicha é um alimento muito consumido e de fácil preparo, entretanto, se manipulada de maneira inadequada, pode se tornar uma excelente fonte de contaminação
e proliferação de micro-organismos. Para se analisar a presença dessas bactérias, foram coletadas 32 amostras de salsichas em supermercados de pequeno e grande porte. A análise microbiológica quantitativa para Escherichia coli foi realizada em ágar EMB e para Salmonella spp., em ágar SS. Colônias suspeitas foram identificadas por testes bioquímicos. Do total de amostras coletadas, 50% apresentaram crescimento de Escherichia coli e para Salmonella spp., não houve crescimento. Esses dados comprovam a necessidade de uma maior fiscalização higiênico-sanitária nos estabelecimentos comerciais e uma maior atenção da população aos alimentos que estão sendo ingeridos.


Palavras-chave


Bioindicador; Contaminação; Doenças Intestinais.

Texto completo:

PDF

Referências


BOPP, D.J., SAUDERS, B.D, WARING, A.L., ACKELSBERG, J., DUMAS, N., BRAUNHOWLAND, E., DZIEWULSKI, D., WALLACE,

B.J., KELLY, M., HALSE, T., MUSSER, K.A., SMITH, P.F., MORSE, D.L., LIMBERGER, R.J. Detection, isolation and molecular subtyping of Escherichia coli O157:H7 and Campylobacter jejuni associated with a large waterborne outbreak. Journal of Clinical Microbiology, v. 41, n. 1, p 174-180, 2003.

BRASIL, Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Instrução Normativa nº4, de 31 de março de 2000. Regulamentos técnicos de

identidade e qualidade de carne mecanicamente separada, de mortadela, de linguiça, de salsicha. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, DF, 05 abr. 2000.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). RDC nº 12, de 2 de janeiro de 2001. Regulamento Técnico sobre Padrões

Microbiológicos para Alimentos. Diário Oficial da União, DF, 2001; 2 jan.

BRASIL. Centro de Vigilância Sanitária - Divisão de Doenças e Transmissão Hídrica e Alimentar. In: Manual das Doenças Transmitidas por Alimentos. Brasília – DF, Escherichia coli O157: H7– enterohemorrágica. São Paulo. 2002.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento. Instrução Normativa nº 62, de 26 de agosto de 2003. Oficializa os Métodos Analíticos Oficiais para controle de Produtos de Origem

Animal e Água. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 set. 2003. Seção 1, p. 14.

BRIGIDO, B. M., et al. Queijo minas frescal: avaliação da qualidade e conformidade com a legislação. Rev. Inst. Adolfo Lutz, v.63, n.2, p.177- 185, 2004.

Câmara SAV. Surtos de toxinfecções alimentares no Estado de Mato Grosso do Sul no período de 1998-2001. [Monografia]. Campo Grande (MS): Universidade Federal de Campo Grande; 2002.

DUARTE, A.P. Embutidos defumados. 2005. 32f. Trabalho acadêmico apresentado ao curso de Química de Alimentos, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas - RS, 2005.

FERREIRA, M.G.A.B., SOBRINHO, A .J.C. Avaliação da Qualidade Bacteriológica das Carnes Bovina Moída e Suína (Pernil) “In Natura” e/ ou Refrigerada, em Supermercados, Frigoríficos e Feiras Livres do Município de São Luís, MA. Higiene Alimentar, Mirandópolis - São Paulo, v.17, n.104/105, p. 87-93, jan/fev. 2003.

FORSYTHE, SJ. Microbiologia da segurança alimentar. Porto Alegre: Artmed, Porto Alegre - RS; 2002.

FORTUNA J. L., FRANCO R. M. Uma revisão epidemiológica das principais alterações microbiológicas em produtos cárneos embutidos. Revista Higiene Alimentar. Mirandópolis – SP 2005; v.19, n.129, p.35-42.

FRANCO, B. D. G. M., LANDGRAF, M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo - SP: Atheneu, 2004.

FRANCO, R.M. Escherichia coli: Ocorrência em suínos abatidos na grande Rio e sua viabilidade experimental em linguiça frescal tipo Toscana. p. 40, Niteroi-RJ, 2002.

GERMANO, M.I.S.; GERMANO, P.M.L.; KAMEI, C.A.K. et al. Manipuladores de Alimentos: Capacitar? É Preciso. Regulamentar? Será Preciso? Higiene Alimentar. Mirandópolis, São Paulo, v. 14,

n. 78/79. 2000.

GIL,J. I. Manual de inspeção sanitária de carnes. 2ª edição. Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

ICMSF. Microorganismos de los alimentos. Acribia: Zaragoza, Espanha; 2002.

JAY, J. M. 2000. Modern Food Microbiology. Aspen Publishers Inc. Maryland, EUA. 6th ed. , p. 511-525.

JAY, J. M. Microbiologia de Alimentos. 6 ed. Porto Alegre: Artmed, Porto Alegre – RS, 2005. 711 p.

KASNOWSKI, M.C. Listeria spp, Escherichia coli: Isolamento, identificação, estudo sorológico e antimicrobiano em corte de carne bovina (alcatra) inteira e moída, p. 32 Niteroi-RJ, 2004.

MANTOVANINI, M., MARTINI, R. O. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Editora Opção, 2006. São Paulo – SP. 68p

MARQUES, S. C., BOARI, C. A., BRCKO, C. C., NASCIMENTO, A. R., PICCOLI, R. H. Avaliação higiênico-sanitária de linguiças tipo frescal comercializadas nos municípios de Três corações e Lavras-MG. Ciência e agrotecnologia, Lavras – MG, v.30, n.6, p.1120-1123, 2006.

MARQUES. C., BROCKO, C. C., JUNQUEIRA, A. C., BOARI, C. A., VALLE, R. H. P. Avaliação Higiênico Sanitária de linguiças tipo frescal

comercializadas no município de Três Corações – MG. Revista Higiene Alimentar, Mirandópolis – SP , v. 17, n. 104/105, p. 110, jan-fev, 2003.

MARTINS, L. L., Avaliação do perfil bacterológico de salsichas tipo “HOT DOG” tradicional e de frango comercializadas nos municípios do Rio de Janeiro e Niterói-RJ com determinação de atividade de água e pH, p. 26 Niteroi-RJ, 2006.

MARTINS, L. L., SANTOS, I. F., FRANCO, R. M., OLIVEIRA, L. A. T., BEZZ, J. Avaliação do perfil bacteriológico de salsichas tipo “hot

dog” comercializadas em embalagens a vácuo e a granel em supermercados dos municípios Rio de Janeiro e Niterói, RJ/Brasil. Departamento de Tecnologia de Alimentos, Faculdade de Veterinária

da Universidade Federal Fluminense/UFF, Rio de Janeiro,RJ/Brasil. Rev. Inst. Adolfo Lutz, São Paulo – SP, 67(3):215-220, 2008.

MATTICK KL, BAILEY RA, JORHENSEN F, HUMPHREY TJ. The prevalence and number of Salmonella in sausage and their destruction by frying, grilling or barbecuing. Journal of Applied Microbiology, Malden – EUA, 2002; 93:541-7.

McCORMICK KE, HAN IY, ACTON JC, SHELDON BW, DAWSON PL. Inpackage pasteurization combined w ith biocideimpregnated films to inhibit Listeria monocytogenes and Salmonella typhimurium in

Turkey Bologna. Journal of Food Science, Ancara, Turquia, 2005; 70(1):52-57.

NASCIMENTO, M.S.; BERCHIERI, Jr. A.; BARBOSA, M.D.; ZANCAN, F.T.; ALMEIDA ORNELLAS, L. H. Técnica Dietética: seleção e preparo dos alimentos. 7ª ed. São Paulo - SP: Atheneu, 2001.

PABST, W.L., ALTWERGG, K., KIND, D., MIRJANIC, S., HARDEGGER, D., NADAL, D. Prevalence of Enteroaggregative Escherichia coli among children with and without diarrhea in Switzerland. Journal of Clinical Microbiology, v. 41, n. 6, p. 2289-2293, 2003.

PAVIA, P. C., BORGES, R. G., PANETTA, J. C. Frequência de quadros gastroentéricos em aeronautas: pressuposta ligação com toxinfecções alimentares. Revista Higiene Alimentar, Mirandópolis – SP v. 14, n. 75, p. 13 – 23, ago., 2000.

PROENÇA, R. P. C. Desafios Atuais na Alimentação Humana. Departamento de Nutrição. Universidade Federal de Santa Catarina. Revista Nexus, Mapleton, Austrália, 2001.

RITTER, R, SANTOS, D., BERGMANN, G.P. Contaminação Bacteriana da Carne Moída Bovina Comercializada em Bancas do Mercado

Público de Porto Alegre, RS. Higiene Alimentar, Mirandópolis,, v.15, n. 85, p. 50- 56, jun. 2001.

SAMUEL CM, VUGIA DJ, KOEHLER KM, MARCUS R, DENNEN V, DAMASKE B, SHIFERAW B, HADLER J, HENAO OL, Angulo FJ. Consumption of risky foods among adults at high risk for severe foodborne diseases: room for improved targeted prevention messages. Journal of Food Safety, Hoboken, New Jersey USA, 2007;

:219-232.

SCARCELLI, E.; PIATTI, R.M. Patógenos Emergentes Relacionados à Contaminação de Alimentos de Origem Animal. Biológico, São Paulo

- SP, v.64, n.2, p.123-127, jul/dez. 2002.

SILVA JUNIOR, E. A. Manual de controle higiênico-sanitário em alimentos. 6. ed. São Paulo - SP: Varela, 2007.

SILVA, N., et al. Manual de métodos de análises microbiológicas de alimentos. 3ª ed. São Paulo: Livraria Varela, 2007.

SILVA, W. P, GANDRA, E. A., DUVAL, E. H., JANTZEN, M. M., TESSMANN, C., LIMA, A.S. Qualidade microbiológica de linguiças mistas do tipo frescal produzidas na cidade de Pelotas (RS). Boletim CEPPA, Curitiba – PR, v.20, n.2, p.257- 266, 2002.

W.A.F. Comparação de meios de enriquecimento e plaqueamento utilizados na pesquisa de Salmonella em carcaças e frangos e fezes de aves. Revista Brasileira de Ciência Avicola, v.2, n.1, p.58-64, 2000.

WINOKUR, P.L., VONSTEIN, D.L., HOFFMAN, L.J., UHLENHOPP, E.K., DOERM, G.V. Evidence for Transfer of CMY-2 AmpC β-lactamase Plasmids between Escherichia coli e Slamonella Isolates from Food Animals and Humans. Antimicrobial Agents and Chemotherapy, v. 45, n. 10, p 2716-2722, 2001.

ZWEIFEL, C., ZYCHOWSKA, M.A., STEPHAN, R. Prevalence and characteristics of shiga toxin-producing Escherichia coli, Salmonella

spp and Campylobacter spp isolated from slaughtered sheep in Switzerland. International Journal of Food Microbiology, v. 92, p. 45-53, 2004.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i1.348

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340