CONTROLE DE QUALIDADE DE CÁPSULAS GASTRORRESISTENTES MANIPULADAS CONTENDO DICLOFENACO SÓDICO 50MG

Jéssica Laira Ulian Candido Sant'ana, Layliane Antônia Rodrigues de Freitas

Resumo


A farmácia magistral produz diversos medicamentos e formas farmacêuticas, entre eles está o diclofenaco sódico, um anti-inflamatório que é usado por alguns pacientes por longos períodos e é irritante para a mucosa gástrica, necessitando assim, de um revestimento gastrorresistente para protegêla. Este trabalho teve como objetivo avaliar a uniformidade de peso, características organolépticas e a eficácia do revestimento de cápsulas enterossolúveis de diclofenaco sódico, produzidas em farmácias magistrais e utilizou-se como medicamento referência o Voltaren®. Foram realizadas análises visuais das cápsulas, determinação do peso médio e teste de desintegração em quatro amostras, sendo três manipuladas, identificadas como amostra A, B e C, e o medicamento industrializado, identificado como amostra D. Os resultados obtidos em relação ao aspecto visual e ao peso médio foram satisfatórios, onde todas as amostras continham a quantidade de cápsulas especificadas no rótulo e as mesmas não possuíam rachaduras, deformidades ou colorações variadas e uniformidade quanto ao peso. Os comprimidos do medicamento referência também estavam em conformidade. O resultado da análise do revestimento das cápsulas de todas as farmácias pesquisadas foi insatisfatório não resistindo ao tempo mínimo de duas horas em meio ácido. Já os comprimidos revestidos de referência foram aprovados no teste. Assim, pode-se observar que medicamentos magistrais gastrorresistentes não estão atendendo às especificações para que possam ser aceitos no controle de qualidade nas farmácias. Este resultado é preocupante, uma vez que afeta a eficácia destes medicamentos.


Palavras-chave


a vez que afeta a eficácia destes medicamentos. Palavras-Chave:

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, B. T.; DOMINGUES, G. A. Avaliação da Gastroresistência de Cápsulas Manipuladas em Farmácias Magistrais no Município de Votuporanga, SP. Infarma, v.21, n 11/12, 2009 disponível em http://www.cff.org.br/sistemas/geral/ revista/pdf/124/089a152_infarma.pdf. Acesso em 20 Ago. 2014.

ANFARMAG. Revestimento entérico – uma revisão bibliográfica. Revista Anfarmag, n. 75, p. 13-16, 2008.

ANSEL, H. C.; POPOVICH, N. G.; ALLEN, L. V. Farmacotécnica: formas farmacêuticas & sistemas de liberação de fármacos. 6.ed. São Paulo: Premier, 2000. 568p.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Farmacopeia. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2014

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Farmacopeia. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2014.

BONFILIO, R.; EMERICK, G. L.; NETTO JÚNIOR, A.; SALGADO, H. R. N. Farmácia magistral: sua importância e seu perfil de qualidade. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 34, n. 3, p. 653-664, jul./set., 2010.

BRASIL. Rdc nº 67, de 8 de outubro de 2007. Resolução da Diretoria Colegiada. Rdc Nº 67, de 8 de Outubro de 2007. Dispõe Sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais Para Uso Humano em Farmácias. Brasília, 2007.

BRASIL. Rdc nº 96, de 17 de dezembro de 2008. Resolução da Diretoria Colegiada. Rdc Nº 96, de 17 de Dezembro de 2008. Dispõe Sobre A Propaganda, Publicidade, Informação e Outras Práticas Cujo Objetivo Seja A Divulgação Ou Promoção Comercial de Medicamentos. Brasília, 2008.

BRUNTON, L.L.; CHABNER, B. A,; KNOLLMANN, B. C. As Bases Farmacológicas da terapêutica de Goodman e Gilman.. 12. ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill, 2012. 2112 p.

CASTRO, W. V.; OLIVEIRA, M.A.; NUNAN, E.A.; CAMPOS, L.M.M. Avaliação da qualidade e perfil de dissolução de comprimidos gastroresistentes de diclofenaco sódico 50 mg comercializados no Brasil. Rev. Bras. Farm., v.86, n.1p. 45-50, 2005.

CORTEZ, P. A. M.; FERRARI, G. F. A importância do revestimento entérico em cápsulas de diclofenaco de sódio. Uningá Review, n. 3, p. 5-16, Abr. 2010.

CREMINÁCIO, S. M.; VALENTE, B.; FOPPA, T.; SILVA, S. A. M. Estudo da gastrorresistÍncia induzida pelo formaldeÌdo em cápsulas de gelatina dura contendo alendronato de sódio. Revista Brasileira de Farmácia, p. 264-266, 2008. Disponível em: < http://www.rbfarma.org.br/ files/154_pag_264a266_estudo_gastroresistencia. pdf>. Acesso em: 05 nov. 2014.

DEF. Dicionário de Especialidades Farmacêuticas. DEF, 2006/2007.

FARMACOPEIA BRASILEIRA. 5. ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

FERREIRA, A. O. Guia Prático da Farmácia Magistral. 3 ed. Rio de Janeiro: Pharmabooks. 2009. V1.

MENDONÇA, C. F. V. Desenvolvimento e avaliação de revestimento aplicado a cápsulas de gelatin dura gastro-resistentes em escala magistral, 2010. Dissertação de mestrado. Programa de Pós Graduação em Ciências Farmacêuticas. Sorocaba: Universidade de Sorocaba, 2010.

MARQUES-MARINHO, F. D.; VIANNASOARES, C. D.; CARMO, V. A. S.; CAMPOS, L. M. M. Avaliação da qualidade de pantoprazol cápsulas manipuladas gastro-resistentes. Lat. Am. J. Pharm., v.28,n.6 , p. 899-906, 2009.

RANG, H. P.; DALE, M. M.; RITTER, J. M.; Flower, R. J.; Henderson G. Rang & Dale Farmacologia. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. 808 p.

SANTOS, L. Preparação e avaliação de cápsulas gastro-resistentes de diclofenaco de sódio. Dissertação de mestrado. Programa de PósGraduação em Ciências Farmacêuticas. Porto Alegre: UFRGS, 2005.

SILVA, P. Farmacologia. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 1352 p.

THOMPSON J. E. A Prática Farmacêutica na Manipulação de Medicamentos. Porto Alegre: Artmed, 2006. 575p.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2016.v19i1.366

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340