Da luta pela terra à luta na terra: a reconstrução da memória de assentados pioneiros no território de Araraquara (SP)

Fernando Henrique Ferreira De Oliveira, Vera Lúcia Silveira Botta Ferrante, Henrique Carmon Duval, Luis Antonio Barone

Resumo


O texto busca compreender as experiências de luta e de permanência na terra no município de Araraquara (SP) a partir do estudo das memórias de famílias pioneiras situadas em dois assentamentos. A pesquisa tem como foco os assentados que buscaram, no acesso à terra, uma possibilidade de mudança de vida. Os assentamentos Bela Vista do Chibarro e o Horto Bueno de Andrade constituem-se como o espaço empírico dessa pesquisa. A memória define-se como o eixo teórico e a história oral, materializada a partir das entrevistas. Foi possível reconstruir algumas narrativas sobre as trajetórias de vida desses assentados no contexto da reforma agrária em Araraquara (SP). Partimos da memória individual para acessar a memória dos grupos explicitando as tensões e os bloqueios presentes na vida desses agricultores. Constatou-se que a luta pela terra se desdobra em múltiplas estratégias utilizadas no cotidiano dos assentamentos, bem como que os agricultores, mesmo enfrentando inúmeras dificuldades, não voltariam atrás na decisão de serem assentados da reforma agrária.


Palavras-chave


memória; pioneiros; assentamentos; reforma agrária.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2018.v21i3.632

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340