Hematologia dos vertebrados: a série vermelha do sangue

Main Article Content

Luis Gustavo Oliveira Gomes
Jéssica Drielle Fodra
Antonio Carlos Massabni

Resumo

A hematologia compreende o estudo do sangue e seus componentes, tais como glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e plasma. Neste estudo foram indicadas as diferenças entre as estruturas dos glóbulos vermelhos dos vertebrados, como cada um desses grupos realiza as trocas gasosas e como ocorre o transporte de oxigênio. Destacou-se o papel do sangue, responsável pelo transporte de nutrientes, gases, como o oxigênio, e outros componentes, como a hemoglobina. O objetivo foi avaliar a importância do sangue e do transporte de oxigênio para os seres humanos e animais, assim como as diferenças na série vermelha do sangue nas classes de vertebrados, suas características hematológicas e o papel da hemoglobina no transporte de oxigênio. O estudo apontou que a respiração é um processo que consiste na absorção do oxigênio do ambiente e na eliminação do dióxido de carbono do organismo, resultante desse processo aeróbico. A absorção do oxigênio é essencial para todas as classes de animais e seu transporte se dá pela molécula de hemoglobina. Em mamíferos, incluindo o ser humano, os eritrócitos maduros não possuem núcleos, e são incapazes de se reproduzir, isso permite que a célula tenha espaço para armazenar hemoglobina e que os eritrócitos transportem mais oxigênio; já em aves, répteis, anfíbios e peixes os glóbulos vermelhos maduros possuem núcleo e por apresentarem um núcleo, essas células possuem uma característica fundamental, a capacidade de realizar mitose, o que diferencia os eritrócitos dos mamíferos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Gomes, L. G. O., Fodra, J. D. ., & Massabni, A. C. (2021). Hematologia dos vertebrados: a série vermelha do sangue. Revista Brasileira Multidisciplinar, 24(3). Recuperado de https://revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/1160
Seção
Artigo de Divulgação
Biografia do Autor

Luis Gustavo Oliveira Gomes, Universidade de Araraquara (UNIARA) Araraquara, São Paulo, Brasil

Graduação em Medicina Veterinária

Jéssica Drielle Fodra, Universidade de Araraquara UNIARA

Graduação em Farmácia

Referências

ANDREAZZA, J., K. Modelagem e Simulação da Oxigenação Tecidual. Florianópolis, 2003. 130p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

BATISTETI, C., B., B.; CALUZI, J., J.; ARAÚJO, E., S., N., DE.; LIMA, S., G. (2007). O sistema de grupo sanguíneo Rh. Filosofia e História da Biologia, v. 2, p. 85-101.

BERLINCK, J., G., C. (2001). Atlas Visual – O corpo humano. 16ª ed, São Paulo, Ática S.A.

CAPITELLI, R.; CROSTA, L. (2013). Overview of psittacine blood analysis and comparative retrospective study of clinical diagnosis, hematology and blood chemistry in selected psittacine species. Veterinary Clinics of North America: Exotic Animal Practice, Texas, v. 16, p. 71-120.

DEAN, L. (2005). Blood Groups and Red Cell Antigens. Bethesda (MD). National Center for Biotechnology Information (US).

GOULART, C., E., S. (2004). Herpetologia, Herpetocultura e Medicina de Répteis. Rio de Janeiro: LF Livros de Veterinária, p.329.

GUIMARÃES, H., C., T. Os sistemas de grupos sanguíneos kell, kidd e duffy. Universidade Católica de Brasília. [s.d].

HARTENSTEIN, V. (2006). Blood Cells and Blood Cell Development in the Animal Kingdom. Annu. Rev. Cell Dev. Biol. 2006. 22:677–712.

HICKMAN JR, C., P.; ROBERTS, L., S.; KEEN, S.; EINSENHOUR, D., J.; LARSON, A.; ANSON, H. (2006). Princípios Integrados de Zoologia. Ed. 16º. Ed. Guanabara Koogan.

HILDEBRAND, M.; GOSLOW, G. (1995). Análise da Estrutura dos Vertebrados. Ed. 02. Editora Atheneu.

MACLEAY, J., M. (2001). Isoeritrólise neonatal. Journal of Equine Veterinary Science . 21 (3): 106-109. doi: 10.1016 / S0737-0806 (01) 70105-0.

MITCHELL, E. B.; JOHNS, J. (2008). Avian hematology and related disorders. Veterinary Clinics of North America: Exotic Animal Practice, v. 11, p. 501-522.

The man with the golden blood. Mosaic Science. 2014. Disponível em: https://mosaicscience.com/story/man-golden-blood/. Acesso em 28 out 2020.

OLIVEIRA, G. (2001). Fisiopatologia Aplicada. Universidade Federal da Bahia.

OLIVEIRA, M., B., S., C.; RIBEIRO, F., C.; VIZZONI, A., G. (2013). Conceitos básicos e aplicados em imuno-hematologia. Escola Politécnica da Saúde Joaquim Venâncio/Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, RJ.

ORR, R., T. (2000). Biologia dos Vertebrados. 5º ed. Editora Roca.

RANZANI-PAIVA, M. J. T.; SILVA-SOUZA, E. A. T. (2004). Hematologia de peixes brasileiros. (Ed.). Sanidade de organismos aquáticos. São Paulo: Varela.

SADO, R., Y.; CECHIN, F., E. (2016). Aspectos Gerais de Hematologia de Peixes. Técnicas de Manejo Agropecuário Sustentável. Curitiba.

SANTOS, V., S., dos. Tipos de respiração dos animais; Brasil Escola. 2020.

SATAKE, F.; PÁDUA, S., B.; ISHIKAWA, M., M., (2009). Distúrbios morfológicos em células sanguíneas de peixes em cultivo: uma ferramenta prognóstica. Manejo e sanidade de peixes em cultivo. Macapá: Embrapa-Amapá.

SILVA, M., N.; MONTEIRO, M., V., B. (2017). Hematologia Veterinária. Editora ed. Aedi, UFPA.

THRALL, M., A.; WEISER, G.; ALISSON, R., W.; CAMPBELL, T., W. (2015). Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária. – [2. ed.] – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.