Zoonoses: as doenças transmitidas por animais

Main Article Content

Luís Gustavo Oliveira Gomes
Gabriel Oliveira Gomes
Jéssica Drielle Fodra
Antonio Carlos Massabni

Resumo

As zoonoses são doenças ou infecções que são transmitidas de animais para seres humanos ou vice-versa, por meio de diferentes agentes etiológicos. Com a globalização, e a evolução da humanidade, o ser humano passou a ter mais contato com animais, por causa de alimentação, domesticação, trabalho e transporte, proporcionando o surgimento de inúmeras doenças que podem ser prejudiciais para a saúde pública. A população humana convive tanto com animais domésticos, quanto silvestres, e por isso, alguns desses animais ocupam os centros urbanos e alojam-se próximos a ambientes habitados por seres humanos, trazendo assim, agentes etiológicos diferentes, responsáveis por transmitir doenças consideradas de alto risco, como raiva, leptospirose, criptococose, toxoplasmose, ancilostomíase e febre amarela, incluindo-se também o novo coronavírus Sars-CoV2, causador da atual pandemia que preocupa a população mundial. O presente trabalho tem por objetivo alertar a população e destacar o conhecimento sobre as zoonoses, discutindo a relação entre elas, destacando as de maior importância para a Saúde Pública, e elencando aspectos de prevenção das zoonoses no mundo. Trata-se de uma revisão de literatura não sistemática do tipo narrativa, de caráter qualitativo e como meio de ferramenta de pesquisa. Para a redação do artigo, foram consultados artigos científicos das bases de dados virtuais Google Acadêmico, Science Direct e SciELO, em um período de publicação de quarenta anos. Concluiu-se que as zoonoses apresentam alto risco para a Saúde Pública, o que exige controle e prevenção dessas doenças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Oliveira Gomes, L. G., Oliveira Gomes, G., Drielle Fodra, J., & Massabni, A. C. (2022). Zoonoses: as doenças transmitidas por animais. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 25(2). Recuperado de https://revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/1261
Seção
Artigo de Divulgação

Referências

[FIOCRUZ] FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Combate à epidemia de H1N1: um histórico de sucesso. Centro de Estudos Estratégicos da FIOCRUZ. Ministério da Saúde, Brasil. 2021. Disponível em: https://cee.fiocruz.br/?q=node/1314. Acesso em: 3 abr. 2021.

[OPAS] ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Módulos de Princípios de Epidemiologia para o Controle de Enfermidades. Módulo 2: Saúde e doença na população. Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; Ministério da Saúde, 2010. 48 p.: il. 7 volumes. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/modulo_principios_epidemiologia_2.pdf. Acesso em: 25 mar. 2021.

A VEZ das Vacinas Gênicas. Revista Pesquisa FAPESP. Janeiro de 2021. Ano 22, N. 299. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2021/01/Pesquisa_299-1.pdf. Acesso em: 3 abr. 2021.

ANDRADE, G. M.; MARCHIORI FILHO, M.; BRUNINI, M.; LEONELO NETO, A. RÉ, R. A.; MATOS, A. T. S.; SILVA, C. R.; CARVALHO, F. S. R. Eficácia da ivermectina comprimido no tratamento da sarna sarcóptica em cães naturalmente infestados. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 37, n. 4, p. 385-388, 2017. http://doi.org/10.1590/S0100-736X2017000400013

ARAÚJO, F. R.; ARAÚJO, C. P.; WERNECK, M. R.; GÓRSKI, A. Larva migrans cutânea em crianças de uma escola em área do Centro-Oeste do Brasil. Revista de Saúde Pública, 34 (1): 84-85, 2000. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rsp/2000.v34n1/84-85/pt/. Acesso em: 22 mar. de 2021.

ÁVILA-PIRES, F. D. Zoonoses: Hospedeiros e Reservatórios. Caderno de Saúde Pública, v. 5 n. 1, p. 82-97, 1989. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v5n1/07.pdf. Acesso em: 24 de mar de 2021.

BABBONI, S. D.; MODOLO, J. R. Raiva: Origem, Importância e Aspectos Históricos. UNOPAR, Científica. Ciências Biológicas e da Saúde, v. 13, n. Esp, p. 349-356, 2011. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/140925/ISSN1517-2570-2011-13-349-356.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 22 mar. 2021.

BARBOSA, A. D.; MARTINS, N. R. DA S.; MAGALHÃES, D. F DE M. Zoonoses e saúde pública: riscos da proximidade humana com a fauna silvestre. Ciência Veterinária nos Trópicos, v.14, n.1/2/3, p.1-9, 2011. Disponível em: http://rcvt.org.br/volume14/Volume%2014_%202011%20de%201%20a%209_ZOONOSES.pdf. Acesso em: 29 mar. 2021.

BASANO, S. DE A.; CAMARGO, L. M. A. Leishmaniose tegumentar americana: histórico, epidemiologia e perspectivas de controle. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 7, n. 3, pág. 328-337, 2004. Disponível em https://doi.org/10.1590/S1415-790X2004000300010

BATISTA, H. B. C. R.; FRANCO, A. C.; ROEHE, P. M. Raiva: uma breve revisão. Acta Scientiae Veterinariae, v. 35, n. 2, p. 125-144, 2007. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/ActaScientiaeVeterinariae/article/view/15959/9503. Acesso em: 22 mar. 2021.

BELLEI, N; MELCHIOR, T. B. H1N1: pandemia e perspectiva atual. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 47, n. 6, p. 611-617, 2011. https://doi.org/10.1590/S1676-24442011000600007

BIVANCO F. C., MACHADO C. D. S.; MARTINS E. L. 2006. Criptococose cutânea. Arquivos Médicos do ABC, v. 31, n. 2, p. 102-109, 2006. Disponível em: https://portalnepas.org.br/amabc/article/view/261. Acesso em: 18 mar. 2021.

BONATTO, M. Ocorrência de larva migrans cutânea (LCM) e ovos de ancilostomídeos na areia de praias artificias de Boa Vista da Aparecida, Paraná. Monografia (Curso de Farmácia) Faculdade Assis Gurgacz, 2013. Disponível em: https://www.fag.edu.br/upload/graduacao/tcc/53024cd2ad58c.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Brasília. Manual de vigilância, prevenção e controle de zoonoses: normas técnicas e operacionais. Ministério da Saúde, 2016. 121 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_vigilancia_prevencao_controle_zoonoses.pdf. Acesso em: 25 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Febre amarela. Guia para profissionais de saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. – 1. ed., atual. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018. 67 p. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/18/Guia-febre-amarela-2018.pdf. Acesso em: 23 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias. Guia de bolso. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 8. ed. rev. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 444 p. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_infecciosas_parasitaria_guia_bolso.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de vigilância e controle da peste. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2008. 92 p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_vigilancia_controle_peste.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 7. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. 816 p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_vigilancia_epidemiologica_7ed.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

BREGANÓ, R. M.; MORI, F. M. R. L.; NAVARRO, I. T. Toxoplasmose adquirida na gestação e congênita: Vigilância em Saúde, Diagnóstico, Tratamento e Condutas. EDUEL, Londrina: Eduel, 2010. Disponível em: https://static.scielo.org/scielobooks/cdtqr/pdf/mitsuka-9788572166768.pdf. Acesso em: 23 mar. 2021.

COSTA, G. A.; CARVALHO, A. L., TEIXEIRA, D. C. Febre maculosa: atualização. Revista de Medicina de Minas Gerais, v. 26, Supl 6, p. S61-S64, 2016. https://doi.org/10.5935/2238-3182.20160059

CUTLER, S. J.; FOOKS, A. R; VAN DER POEL, W. H. Public health threat of new, reemerging, and neglected zoonoses in the industrialized world. Emerging Infectious Diseases, v. 16, n. 1, p. 1-7, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.3201%2Feid1601.081467

DEL FIOL F. S.; JUNQUEIRA, F. M.; ROCHA, M. C. P.; TOLEDO, M. I.; BARBERATO FILHO, S. A febre maculosa no Brasil. Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 27, n. 6, p. 461–466, 2010. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rpsp/2010.v27n6/461-466/pt. Acesso em: 19 mar. 2021.

EMANUEL, J.; MARZI, A.; FELDMANN, H. Filovírus: ecologia, biologia molecular e evolução. Advances in Virus Research, v. 100, p. 189-221, 2018. https://doi.org/10.1016/bs.aivir.2017.12.002

ESTEVAM, G.; JOB, J. R. P. P. Animais exóticos domesticados com potencial zoonótico - Revisão da literatura. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, v. 14, n. 2, p. 114-120, 2016. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2016/08/1259/142114.pdf. Acesso em: 5 abr. 2021.

FERNANDES, A. P.; ANDRADE, H. M; MELO, M. N.; COELHO, E. A. F.; AVELAR, D.; GAZZINELLI, R. T. Leishmaniose visceral canina: Novos antígenos para diagnostico e vacinas. Revista de Saúde Pública do SUS/MG, v. 1, n. 1. 2013. Disponível em: http://revistageraissaude.mg.gov.br/index.php/gerais41/article/view/284/135. Acesso em: 3 abr. 2021.

FIALHO, C. G.; TEIXEIRA, M. C.; ARAUJO, F. A. P. Toxoplasmose animal no Brasil. Acta Scientiae Veterinariae, v. 37, n. 1, p. 1-23, 2009. Disponível em: http://www.ufrgs.br/actavet/37-1/art805.pdf. Acesso em: 23 de mar de 2021.

FOLEGATTI, P. M. et al. Safety and immunogenicity of the ChAdOx1 nCoV-19 vaccine against SARS-CoV-2: a preliminary report of a phase 1/2, single-blind, randomised controlled trial. The Lancet, v. 396, n. 10.249, p. 467-478, 2020. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)31604-4

FONTANELLA, J., C.; FREITAS, A., P., C. Cenários Pós-Pandemia para a Malha de P&D e para a Produção de Vacinas no Brasil. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 14, n. 1, p. 5-22, 2021. Disponível em: https://cienciasmedicasbiologicas.ufba.br/index.php/nit/article/view/38916/23540. Acesso em: 06 abr. 2021.

FORLEO-NETO, E. HALKER, E.; SANTOS, V., J.; PAIVA, T., M; TONIOLO-NETO, J. Influenza. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 36, n. 2, p. 267-274, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v36n2/a11v36n2.pdf. Acesso em: 19 mar. 2021.

FORNAZARI, F. LANGONI, H. Principais zoonoses em mamíferos selvagens. Veterinária e Zootecnia, v. 21, n. 1, p. 10-24, 2014. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/140902/ISSN0102-5716-2014-21-01-10-24.pdf?sequence=1&isAllowed=y >. Acesso em: 22 mar. 2021.

FORTES, F. S.; BIONDO, A.W.; MOLENTO, M. B. Febre maculosa brasileira em cães. Semina: Ciências Agrárias, v. 32, n. 1, 2011, pp. 339-354. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4457/445744100037.pdf. Acesso em: 23 mar. 2021.

FRANZOT, S. P.; SALKIN, I. F.; CASADEVALL, A. Cryptococcus neoformans var. grubii: Status Varietal Separado para Isolados de Sorotipo A de Cryptococcus neoformans. Journal of Clinical Microbiology, v. 37, n. 3, p. 838-840, 1999. https://doi.org/10.1128/JCM.37.3.838-840.1999

GROSETH, A.; FELDMANN, H.; STRONG, J. E. The ecology of Ebola vírus. TRENDS in Microbiology, v. 15, n. 9, p. 408-416, 2007. https://doi.org/10.1016/j.tim.2007.08.001

HUBÁLEK, Z. Emerging human infectious diseases: anthroponoses, zoonoses, and sapronoses. Emerging Infectious Diseases, v. 9, n. 3, p. 403-404, 2003. 10.3201/eid0903.020208

IBIAPINA, C. C.; COSTA, G. A.; FARIA, A. C. Influenza A aviária (H5N1): a gripe do frango. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 31, n. 5, p. 436-444, 2005. https://doi.org/10.1590/S1806-37132005000500012

JIN, Y., YANG H., JI, W., WU, W., CHEN, S., ZHANG, W., DUAN, G. Virology, Epidemiology, Pathogenesis, and Control of COVID-19. Viruses, v. 12, n. 372, 2020. https://doi.org/10.3390/v12040372

LACAZ, C. S.; HEINS-VACCARI, E. M.; HERNÁNDEZ-ARRIAGADA, G. L.; MARTINS, E. L.; PREARO, C. A. L.; CORIM, S. M.; MARTINS, M A. Primary cutaneous cryptococcosis due to Cryptococcus neoformans var. gattii serotype B, in an immunocompetent patient. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v. 44, n. 4, p. 225-228, 2002. https://doi.org/10.1590/S0036-46652002000400008

LEEFLANG, M.; WANYAMA, J.; PAGANI, P.; VAN 'T HOOFT, K. VAN’T.; BALOGH, K. Zoonoses. Doenças transmitidas pelos animais aos seres humanos. Série Agrodok, n. 46. 2008. Disponível em: http://publications.cta.int/media/publications/downloads/1502_PDF.pdf. Acesso em: 3 abr. 2021.

LIMA, A. M. A.; ALVES, L. C.; FAUSTINO, M. A. G.; LIRA, N. M. S. Percepção sobre o conhecimento e profilaxia das zoonoses e posse responsável em pais de alunos do pré-escolar de escolas situadas na comunidade localizada no bairro de Dois Irmãos na cidade do Recife (PE). Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, supl. 1, p. 1457-1464, 2010. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700057

MALVY, D.; MCELROY, A. K.; DE CLERCK, H.; GÜNTHER, S.; VAN GRIENSVEN, J. Ebola virus disease. Lancet, v. 2, n. 393, 10174, p. 936-948, 2019. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)33132-5. Erratum in: Lancet, v. 18, n. 393, 10185, p. 2038, 2019.

MANUAL MSD. Gripe H1N1 pandêmica (gripe suína). Versão saúde para a família. Manual MSD. 2020. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt/casa/infec%C3%A7%C3%B5es/v%C3%ADrus-respirat%C3%B3rios/gripe-h1n1-pand%C3%AAmica-gripe-su%C3%ADna. Acesso em: 3 abr. 2021.

MARTINS, F., S., V.; CASTIÑEIRAS, T., M., P., P. Leptospirose. Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ. UFRJ/CCS/Faculdade de Medicina. Cives - Centro de Informação em Saúde para Viajantes. 2016. Disponível em: http://www.cives.ufrj.br/informacao/leptospirose/lep-iv.html#:~:text=A%20leptospirose%20%C3%A9%20primariamente%20uma,porcos%2C%20cabras%2C%20ovelhas)>. Acesso em: 9 fev. 2021.

MATOS, A.C.; MARTINS, M.V.; COELHO, A.C.; PINTO, M.L.; MATOS, M.M.; FIGUEIRA, L. Zoonoses emergentes e reemergentes e vida selvagem. II Jornadas de Saúde Pública Veterinária, UTAD, Vila Real, 2011. Disponível em: https://repositorio.ipcb.pt/bitstream/10400.11/3500/1/Zoonoses%20Emergentes%20e%20Reemergentes%20e%20Vida%20Selvagem.pdf. Acesso em: 25 de mar de 2021.

MEDINA, I. P. M. L.; ANDRADE, P. F. M.; BENEDETTI, S. M. Manejo da escabiose. Revista Técnico-Científica do Grupo Hospitalar Conceição, v. 16, n. 1, 2002. Disponível em: https://www2.ghc.com.br/GepNet/docsrevista/revista2002.pdf#page=27. Acesso em: 24 mar. 2021.

MEGID J.; RIBEIRO M. G.; PAES A. C. Doenças infecciosas em animais de produção e de companhia. Rio de Janeiro: Roca, 2016.

MESSENGER, A. M.; BARNES, A. N.; GRAY, G. C. Reverse zoonotic disease transmission (zooanthroponosis): a systematic review of seldom documented human biological threats to animals. PLoS ONE, v. 9, n. 2, e89055, 2014. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0089055

MORAES-FILHO, J. Febre maculosa brasileira. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 15, n. 1, p. 38-45, 2017. Disponível em: https://www.revistamvez-crmvsp.com.br/index.php/recmvz/article/view/36765/41353. Acesso em: 19 mar. 2021.

MOREIRA, T. A.; FERREIRA, M. S.; RIBAS; R. M.; BORGES, A. S. Criptococose: estudo clínico-epidemiológico, laboratorial e das variedades do fungo em 96 pacientes. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 39, n. 3, p. 255-258, 2006. https://doi.org/10.1590/S0037-86822006000300005

MORETTI, M. L.; RESENDE, M. R.; LAZÉRA, M. DOS S.; COLOMBO, A. L.; SHIKANAI-YASUDA, M. A. Consenso em criptococose. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 41, n. 5, p. 524-544, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v41n5/a22v41n5. Acesso em: 18 de mar de 2021.

NASCIMENTO, D. R.; SILVA, M, A. D. DA. A peste bubônica no Rio no Rio de Janeiro e as estratégias públicas no seu combate (1900 – 1906). Revista Territórios & Fronteiras, v. 6, n. 2, 2013. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4807282. Acesso em: 22 mar. 2021.

NEVES, D. P. Parasitologia dinâmica. São Paulo: Atheneu (São Paulo), 2003. 474 p.

NUNES, F. B. P. Eliminação dos riscos de transmissão da Febre Maculosa Brasileira através do manejo de capivaras (Hydrochoerus hydrochaeris) em uma área de transmissão no município de Itu-SP. 2019. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10134/tde-27062019-101117/publico/Fernanda_Battistella_Passos_Nunes_corrigida.pdf. Acesso em: 23 mar .2021.

OLIVEIRA, N. A. S.; IGUTI, A. M. O vírus Influenza H1N1 e os trabalhadores da suinocultura: uma revisão. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 35, n. 122, p. 353-361, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0303-76572010000200017. Acesso em: 22 mar. 2021.

OLIVEIRA, N.; VIANA, R. B. Zoonoses: O que são? Série Doenças Zoonóticas. n. 1, 2018. Disponível em: https://petvet.ufra.edu.br/images/Cartilhas2018/ZOONOSES-jan.2018.pdf. Acesso em: 3 abr. 2021.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Conselhos sobre doença coronavírus (COVID-19) para o público: quando e como usar máscaras. Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/when-and-how-to-use-masks. Acesso em: 3 abr. 2021.

PAIVA, L. J. M.; OLIVEIRA, L. R.; AIRES, W. O.; PEREIRA, R. E. P. Influenza Aviária. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, v. 7, n. 12, 2009. Disponível em: http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/SEay6rMxZO51tAq_2013-6-21-11-45-53.pdf. Acesso em: 22 mar. 2021.

PEREIRA, E. R. Leptospirose. Monografia (TCC). Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA. Ariquemes – RO. 2014. Disponível em: http://repositorio.faema.edu.br/bitstream/123456789/368/1/PEREIRA%2c%20E.%20R.%20-%20LEPTOSPIROSE.pdf. Acesso em: 9 fev. 2021.

PIGNATTI, M.G. Saúde e ambiente: as doenças emergentes no Brasil. Ambiente & Sociedade, v. 7, n. 1, p. 133-147, 2004. https://doi.org/10.1590/S1414-753X2004000100008

POLACHINI, C. O.; FUJIMORI, K. Leptospirose canina e humana, uma possível transmissão conjuntival no Município de São Paulo, Estado de São Paulo, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 6, n. 3, p. 59-65, 2015. https://doi.org/10.5123/S2176-62232015000300008

QUEIROZ, J. P. A. F.; SOUSA, F. D. N.; LAGE, R. A.; IZAEL, M. A.; SANTOS, S. G. Criptococose – Uma revisão Bibliográfica. Acta Veterinaria Brasilica, v. 2, n. 2, p. 32-38, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/acta/article/view/699/310. Acesso em: 18 mar. 2021.

REIS-FILHO, J. B.; NEVES, A. C.; ZYMBERG, S. T.; OLIVEIRA R. M. C. O líquido cefalorraquiano inicial nas meningencefalites por Cryptococcus neoformans. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v. 27, n. 4, p. 173-178, 1985. https://doi.org/10.1590/S0036-46651985000400003

REY, L. Um século de experiência no controle da ancilostomíase. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 34, n. 1, p. 61-67, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0037-86822001000100010

RIBEIRO, M.; ANTUNES, C. M. F. Febre amarela: estudo de um surto. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 42, n. 5, p. 523-531, 2009. https://doi.org/10.1590/S0037-86822009000500009

ROCHA, M. J.; WEBER, D. M.; COSTA, J. P. Prevalência de larvas migrans em solos de parques públicos da cidade de Redenção, estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 10, e201901607, 2019. https://doi.org/10.5123/s2176-6223201901607

RODRIGUES, C. F. M.; ROGRIGUES, V. D.; NERES, J. C. I.; GUIMARÃES, A. P. M. Desafios da saúde pública no Brasil: relação entre zoonoses e saneamento. Scire Salutis, v. 7, n. 1, p. 27-37, 2017. https://doi.org/10.6008/SPC2236-9600.2017.001.0003

SANTOS, E. W.; VIANA, A. C.; CYRINO, G.; PORTO, K.; GENARI, P.; SOUZA S. L. P.; PEREIRA, C. A. D. Conhecimento sobre a transmissão e profilaxia da febre amarela no município de São Paulo, Brasil. PUBVET, v. 13, n. 11, a447, p.1-5, 2019. Disponível em: https://www.pubvet.com.br/uploads/7632d0f18a85a5f5c7000421703717d2.pdf. Acesso em: 23 mar. 2021.

SCHNEIDER M. C. ALMEIDA, G. A.; SOUZA, L. M.; MORARES, N. B.; DIAZ R. C. Controle da raiva no Brasil de 1980 a 1990. Revista de Saúde Pública, v. 30, n. 2, p. 196-203, 1996. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rsp/1996.v30n2/196-203/pt. Acesso em: 22 mar. 2021.

SEIMENIS, A.M. The spread of zoonoses and other infectious diseases through the international trade of animals and animal products. Veterinaria Italiana, v. 44, p. 591 599, 2008. Disponível em: https://www.izs.it/vet_italiana/2008/44_4/591.pdf. Acesso em: 25 mar. 2021.

SILVA, A. C. R.; NOGUEIRA, L. U.; ALVARES NETO, H. J.; ROCHA, F. R. T.; CARRIJO, M. S.; BARCELOS, K. A. Caracterização das zoonoses no Município de Iporá – GO. Pubvet, v. 3, n. 25, 623, 2009. Disponível em: http://www.pubvet.com.br/material/Carrijo623.pdf. Acesso em25 mar. 2021.

SILVA, A. C.; ARAÚJO, C. M. C.; BARBOSA, M. P. G.; FROTA, N. Q.; SÁ, P. B. S.; SOUSA, T. L.; TIMBÓ, V. S.; TEXEIRA, A. B. Febre Amarela. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v. 50, n. 3, 2018. https://doi.org/10.21877/2448-3877.201800731

SILVA, A. T. F., BRANDESPIM, D. F., PINHEIRO JÚNIOR, J. W. Manual de controle de zoonoses e agravos para agentes comunitários de saúde e agentes de controle de endemias. Recife: UFRPE, 2017. 103 p.

TASSINARI, W. S.; PELLEGRINI, D. C. P.; SABROZA, P. C.; CARVALHO, M. S. Distribuição espacial da leptospirose no Município do Rio de Janeiro, Brasil, ao longo dos anos de 1996-1999. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, n. 6, p. 1721-1729, 2004. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000600031

TAYLOR, M. A.; COOP, R. L.; WALL, R. L. Parasitologia Veterinária. Tradução da 3ª edição (2007). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

TOSCANO, C. KOSIM, L. Cartilha de vacinas: para quem quer mesmo saber das coisas. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003. 40p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cart_vac.pdf. Acesso em: 3 abr. 2021.

VASCONCELOS, P. F. C. Febre amarela. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 36, n. 2, p. 275-293, 2003. https://doi.org/10.1590/S0037-86822003000200012

VELLOSO, M. P. Os restos na história: percepções sobre resíduos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 6, p. 1953-1964, 2008. https://doi.org/10.1590/S1413-81232008000600031

ZHANG, Yan-Jun et al. Immunogenicity and Safety of a SARS-CoV-2 Inactivated Vaccine in Healthy Adults Aged 18-59 years: Report of the Randomized, Double-blind, and Placebo-controlled Phase 2 Clinical Trial. medRxiv, 2020. Disponível em: https://www.medrxiv.org/ content/10.1101/2020.07.31.20161216v1. Acesso em: 27 fev. 2021.

ZIMMER, C.; CORUM, J.; WEE, SL. Coronavirus Vaccine Tracker. The New York Times. Disponível em: https://www.nytimes.com/interactive/2020/science/coronavirus-vaccine-tracker.html. Acesso em: 6 abr. 2021.