Perfil Sociodemográfico, Epidemiológico e Clínico dos Casos de Hiv/Aids em Adolescentes no Estado de Pernambuco

Main Article Content

João Victor Batista Cabral
Siglya Soares Ferreira dos Santos
Conceição Maria de Oliveira

Resumo

Os adolescentes constituem um grupo que vem, nos últimos anos, apresentando importante vulnerabilidade e exposição a situações de riscos, sendo a infecção pelo HIV uma importante forma de expressão desta vulnerabilidade. Esta é a faixa de idade que apresenta a maior incidência de Infecções Sexualmente Transmissíveis, visto que mais de 25% dos novos casos de infecção pelo vírus HIV ocorrem entre jovens com menos de 25 anos. O objetivo deste estudo foi descrever o perfil sociodemográfico, epidemiológico e clínico dos casos de HIV/Aids em adolescentes no estado de Pernambuco, ocorridos no período de 2007 a 2012. Realizou-se um estudo epidemiológico do tipo seccional com todos os casos de HIV/Aids em indivíduos na faixa etária dos 13 a 19 anos, cadastrados no Sinan. Ao longo do período estudado constatou-se um crescimento do Coeficiente de Detecção dos casos de HIV/Aids em adolescentes, variando de 0,87 (2007) a 3,59 (2012) por 100.000 habitantes, com acréscimo de 312,64%. Estes casos caracterizaram-se por em sua maioria serem do sexo feminino (56,59%), com idade de 18 e 19 anos (67,45%), de raça/cor parda e negra (58,91%), residentes na zona urbana (95,35%), estarem concentrados de acordo com município de residência, notificação e tratamento em Recife e Jaboatão dos Guararapes, terem se infectado por meio de relações sexuais (74,42%), sendo, entre os homens (40,63%) através de relações homossexuais e entre as mulheres (93,75%) por meio de relações heterossexuais. A maioria dos casos foram definidos pelo critério CDC Modificado (93,80%) e (12,40%) evoluíram para óbito por Aids.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Cabral, J. V. B., Santos, S. S. F. dos, & Oliveira, C. M. de. (2015). Perfil Sociodemográfico, Epidemiológico e Clínico dos Casos de Hiv/Aids em Adolescentes no Estado de Pernambuco. Revista Brasileira Multidisciplinar, 18(1), 149-163. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i1.345
Seção
Artigos Originais

Referências

Albuquerque VS, Moço ETM, Batista CS. Mulheres Negras e HIV: determinantes de vulnerabilidade na região serrana do estado do Rio de Janeiro. Saúde Soc. v.19, n.2, p. 63-74, 2010.

Anjos RHD, Silva JAS, Val LF, Rincon LA, Nichiata LYI; Diferenças entre adolescentes do sexo feminino e masculino na vulnerabilidade

individual ao HIV. Rev Esc Enferm USP. v.46, n.4, p. 829-837,2012.

Araújo TM, Viera NFC, Araújo MFM, PINHEIRO PNC. Abordagem grupal na prevenção da Aids: Análise do conhecimento de jovens de Fortaleza. Rev Rene Fortal. V.11, n.3, p. 75-78, 2010.

Asinelli-Luz A, Júnior NF. Gênero, adolescências e prevenção ao HIV/Aids. Pro-s. Posições v.2, n.56, p.81-87, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde - Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico HIVAids 2012. Ministério da Saúde. v.1, n.1, 2012.

B R A S I L . M i n i s t é r i o d a S a ú d e . Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Jovem. Brasília: Portal sobre aids, d o e n ç a s s ex u a l m e n t e t r a n s m i s s í v e i s e hepatites virais, Ministério da Saúde. [Acesso em: 2013 Mar 03]. Disponível em: .

Brasil. Programa Nacional de DST e Aids. Adolescência e Aids: experiências e reflexões sobre o tema. Brasília: Saber Viver Comunicação, 2004.

Brêtas JRS, Ohara CVS, Jardim DP, Muroya RL. Conhecimento sobre DST/AIDS por estudantes adolescentes. Rev Esc Enferm USP.v. 43,n.3, p.551- 557., 2009.

Brêtas, JRS. A mudança corporal na adolescência: a grande metamorfose. Temas Sobre Desenvol. 2004; v.12, n.72, p. 29-38.

Camargo BV, Botelho LJ. Aids, sexualidade e atitudes de adolescentes sobre proteção contra o HIV. Rev Saúde Pública. p.1-8, 2007.

Camilo VMB, Freitas FLS, Cunha VM, Castro RKS, Sherlock MSM, Pinheiro PNC, et al. Educação em saúde sobre DST/AIDS com

adolescentes de uma escola pública, utilizando a tecnologia educacional como instrumento. DST. J. Bras. Doen. Sex. Transm.v.21, n.3, p. 124-128, 2009.

Campos DP. Efeito do Critério de Diagnóstico da AIDS e da Adesão ao Tratamento Anti-Retroviral na Progressão Clínica em HIV/AIDS. (Tese). Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2009.

Campos TS, Ribeiro LCC. Perfil epidemiológico dos pacientes com Hiv/Aids no alto Vale do Jequitinhonha, 1995-2008. Rev Med Minas

Gerais.v.21, n.1, p. 14-18, 2011.

De Paula CC, Padoin SMM, Brum CN, Silva CB, Budadué RM; Albuquerque PVC, et al. Morbimortalidade de adolescentes com HIV/AIDS em serviço de referência no Sul do Brasil. DST – J Bras Doen Sex Transm. v.24, n.1, p.44-48, 2012;

Dourado I, Veras MASM, Barreira D, Brito AM. Tendênicias da epidemia de Aids no Brasil após a terapia anti-retroviral. Rev Saúde Pública.v.40 supl., p.9-17, 2006

Ferreira JC. Qualidade de Vida nas perspectivas de Crianças e Adolescentes Portadores de HIV/ AIDS. (Dissertação). Goiânia: Universidade Católica de Goiás; 2008.

Ferreira RCSL, Dias JO, Mello RS, Sakae TM. Perfil Epidemiológico da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida na região da Associação

de Municípios da Região de Laguna (AMUREL) de 1987 a 2006. Arquivos Catarinenses de Medicina.v.37, n.2, p.19-24, 2008.

Filho JFP, Bueno SMV. Vulnerabilidade às IST/ Aids entre atiradores do serviço militar obrigatório: uma apreciação sociocomportamental. Cogitare Enfermagem.v.11, n.3, p.218-225, 2006.

Gaspar EM, Bizzo MCS, Teixeira SE, Filho BGR. Levantamento sobre a prevenção e exposição quanto aos riscos de contrair HIV/Aids, entre adolescentes de uma escola pública da cidade de Amparo. Gestão em Foco, 2012.

Governo do Estado de Pernambuco. Gerências Regionais de Saúde. Recife: Secretaria Estadual de Saúde, Rede Estadual de Saúde [Acesso em: 2013 Abr 08]. Disponível em: <http://portal.saude.

pe.gov.br/institucional/rede-estadual-de-saude/gerencias-regionais-de-saude/>.

Governo do Estado de Pernambuco. Povo de Pernambuco. Recife: Conheça PE, População. [Acesso em: 2013 Abr 08]. Disponível em: .

Griep RH, Araújo CLF, Batista SM. Comportamento de risco para a infecção pelo HIV entre adolescentes atendidos em um centro

de testagem e aconselhamento em DST/Aids no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Epidemio e Serviços de Saúde. v.14, n.2, p.119-126, 2005.

Keels CL. Saving a generation: North Carolina public health department partners with state’s Black colleges to raise awareness about HIV/aids. Black Issues in Higher Education. v.22, n.3, p.34-35, 2005.

Koglin IM, Tassinari TT, Zuge SS, Brum CN, Bubadué RM, Aldrighi JD, Padoin SMM, De Paula CC. Sistema de informação em saúde:

a epidemia da Aids em adolescentes no Brasil, 2001-2010. SIMPÓSIO DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO, 14,. Anais, Unifra, 2012. v. 3.

Korrouski MFC, Lima RAG. Adesão ao tratamento: vivências de adolescentes com HIV/ Aids. Rev. Latino-am Enfermagem. v.17, n. 6, 2009.

Librelotto CS, Moreira PR, Ceccon R, Carvalho TS. Perfil epidemiológico dos portadores de HIV/ AIDS do SAE de Cruz Alta, RS. Revista Brasileira de Análises Clínicas. v.44, n.2, p.101-6, 2012.

Martins LBM, Costa-Paiva LHS, Osis MJD, Sousa MH, Pinto-Neto AM, Tadini V. Fatores associados ao uso de preservativo masculino e ao conhecimento sobre DST/AIDS em adolescentes de escolas públicas e privadas do município de São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. v. 22, n.2, p. 315-323, 2006.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Critérios de definição de casos de aids em adultos e crianças. Brasília: Ministério da Saúde, 2003.

Neves CVA, Araújo EC, Carvalho KEG, Silva ALMA, Vasconcelos EMR, Bezerra SMMS. Percepção e Sentimento do Adolescente Portador

de HIV/Aids: Revisão Integrativa. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. v.3, n.4, p. 2412-2425, 2011.

Oliveira DC, Pontes APM, Gomes AMT; Ribeiro MCM. Conhecimentos e práticas de adolescentes acerca das DST/HIV/Aids em duas escolas públicas municipais do Rio de Janeiro. Esc Anna Nery Rev

Enferm. v.13, n.4, p. 833-841, 2009.

Padoin SMM, De Paula CC, Tronco CS, Ribeiro AC, Santos EEP, Hoffmann IC, et al. Crianças que tem HIV/Aids e seus familiares/

cuidadores: experiência de acompanhamento multidisciplinar. Saúde, Santa Maria. v.35, n.2, p.51-56, 2009.

Patroclo MAA, Medronho RA. Evolução da contagem de células T CD4+ de portadores de AIDS em contextos socialmente desiguais. Cad. Saúde Pública. v.23, n.8, p.1955-1963, 2007.

Pereira GS. Perfil Clínico e Epidemiológico dos Indivíduos Infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIV) em Goiás. (Dissertação). Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2008.

Reis CT. A interiorização da epidemia de HIV/ AIDS e o fluxo intermunicipal de internação hospitalar na Zona da Mata – MG: uma análise espacial. [Dissertação]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca; 2006.

Ribeiro AC, De Paula CC, Neves ET, Padoin, SMM. Perfil clínico de adolescentes que têm Aids. Cogitare Enferm.v.15, n.2, 2010.

Rodrigues-Júnior AL, Castilho EA. AIDS e doenças oportunistas transmissíveis na faixa de fronteira brasileira. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.43, n.5, p.542-547, 2010.

Rouquayrol MZ, Filho NA. Epidemiologia & Saúde. 6.ed. Rio de Janeiro: MEDSI; 2003.

Sakae TM, Medeiros LS, Peres MAA, Santos R. Perfil da mortalidade por AIDS em Santa Catarina - 2000 a 2004. Arquivos Catarinenses de Medicina. v.35, n.22, p.21-27, 2006.

Santos CP, Rodrigues BMRD, Almeida IS. Vivência das adolescentes e jovens com HIV: um estudo fenomenológico. Adolescência & Saúde. v.1,n.7 p.40-44, 2010.

Schuelter-Trevisol F, Pucci P, Justino AZ, Pucci N, Silva ACB. Perfil epidemiológico dos pacientes com HIV atendidos no sul do Estado de Santa Catarina, Brasil, em 2010. Epidemiol. Serv. Saúde.v.22, n.1, p.87-94, 2013.

Silva ATP, Araújo EC. Intervenções educativas sobre o HIV/Aids de grupo de adolescentes de escolas públicas do Recife/PE. XIX Congresso de Iniciação Científica da UFPE (XIX CONIC). CONGRESSO DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

E INOVAÇÃO DA UFPE, 3 (III CONITI). JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FUNDAÇÃO JOAQUIM NABUCO (VII JOIC). Centro de Tecnologia e Geociência – CTG-UFPE. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2011.

Silva SFR, Pereira MRP, Neto RM, Ponte MF, Ribeiro IF, Costa PFF et al. Aids no Brasil: uma epidemia em transformação. Revista Brasileira de Análises Clínicas. v.42, n.3, p. 209-212, 2010.

Sousa ACA, Duarte LR, Costa SML. Análise Epidemiológica dos Pacientes HIV-Positivo Atendidos em Hospital de Referência da Rede

Pública de João Pessoa – PB. DST – J.Bras Doenças Sex Transm. V.20, n.3-4, p. 167-172, 2008.

Stephan C, Henn CA, Donalisio MR. Expressão geográfica da epidemia de Aids em Campinas, São Paulo, de 1980 a 2005; Rev Saúde Pública, v.44, n.5, p.812-9, 2010.

TAQUETTE, SR. Feminização da Aids e Adolescência. Adolescência & Saúde.v.6, n.1, 2009.

Thiengo MA, Oliveira DC, Rodrigues BMRD. Representações sociais do HIV/AIDS entre adolescentes: implicações para os cuidados de

enfermagem. Rev Esc Enferm USP. v.39, n.1, p. 68-76, 2005.

Toledo MM, Takahashi RF, De-La-Torre- Ugarte-Guanilo MC. Elementos de vulnerabilidade individual de adolescentes ao HIV/AIDS. Rev Bras Enferm. v.64, n.2, p. 370-375, 2011.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)