O CAPITAL SOCIAL E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS REGIÕES RURAIS

Main Article Content

Nilson Araujo Barbosa
José Ambrósio Ferreira Neto

Resumo

O presente artigo analisa a importância do Capital Social para o desenvolvimento rural sustentável, abordando os aspectos socioculturais como fatores fundamentais para o desenvolvimento numa perspectiva emancipadora. Portanto, parte-se da perspectiva defendida por Putnam (2006), quando enfatiza a importância do Capital Social presente nas comunidades para o desenvolvimento econômico e democrático, aliando-a a perspectiva de Sen (2000), quando afirma que o desenvolvimento deve proporcionar a expansão das liberdades substantivas como a educação, saúde, segurança e os direitos civis dos cidadãos. Nesse sentido, o conceito de Capital Social é entendido como um bom instrumento para análise dos processos de intervenção social, mediante a execução da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – PNATER, que tem como objetivo promover o desenvolvimento rural sustentável. Dessa forma procura-se entender a diferenciação entre os processos de desenvolvimento das regiões, tomando por base estudos empíricos sobre o desenvolvimento regional ocorridos no sul do país. Assim, o trabalho articula os conceitos de Capital Social e de desenvolvimento rural concluindo que as questões socioculturais intrínsecas das comunidades, colaboram para o desenvolvimento rural sustentável, tendo a ATER como seu agente promotor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Barbosa, N. A., & Neto, J. A. F. (2016). O CAPITAL SOCIAL E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS REGIÕES RURAIS. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 19(1), 62-69. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2016.v19i1.370
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Nilson Araujo Barbosa, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação em Tecnologia Agronômica com Habilitação em Adm Rural pelo Centro Universitário do Espírito Santo (2001). Especialista em Gestão e Educação Ambiental. É Agente de Extensão em Desenvolvimento Rural do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural - INCAPER. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Extensão Rural. Atua com assistência técnica e extensão rural e elaboração de projetos técnicos para agricultores de base familiar, visando a organização dos mesmos e da produção agropecuária, utilizando metodologias participativas no atendimento aos agricultores, com vistas a promover o Desenvolvimento Rural Sustentável. Coordenador das ações de ATER do Centro Regional de Desenvolvimento Rural Extremo Norte/Incaper-ES em 2012 e 2013. Atualmente Mestrando em Extensão Rural, no Programa de Pós-Graduação, do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa-MG.

José Ambrósio Ferreira Neto, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), mestrado em Extensão Rural - Universidade Federal de Viçosa (1994) e doutorado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1999). É Professor Titular da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Extensão Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: reforma agrária, meio ambiente, ação coletiva, organização territorial de projetos. Realizou estágio Pós-doutoral no LABORATE da Universidade de Santiago de Compostela, Lugo, Galicia, Espanha, onde trabalhou com sistemas de cartografia social e economia dos recursos naturais na organização territorial de assentamentos de reforma agrária. Coordena termo de cooperação entre o ICMBio e a UFV para diagnóstico socioeconômico em unidades de conservação de uso sustentável em todo o Brasil. Atualmente é o coordenador do Programa de Pós-graduação em Extensão Rural da Universidade Federal de Viçosa.

Referências

ABRAMOVAY, R. O capital social dos territórios: repensando o desenvolvimento. Economia aplicada, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 379-397, abr/jun 2000.

BANDEIRA, P. S. Algumas hipóteses sobre as causas das diferenças regionais quanto ao Capital Social no Rio Grande do Sul. In: CORREA, S. M. D. S. Capital Social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 15-59.

BECKER, D. Capital Social: uma nova derivação da economia de mercado? In: CORREA, S. M. D. S. Capital Social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 85-121.

BOURDIEU, P. Poder, derecho y clases sociales. 2. ed. Bilbao: Desclée de brouwer, 2001. 232 p.

CERNEA, M. M. Primero la gente: Variables sociológicas em el desarrollo rural. México: El Banco Mundial y Fondo de Cultura Económica, 1995. p.25-66.

CORREA, S. M. D. S. Migração e a (re) construção do capital social. In: CORREA, S. M. D. S. Capital Social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: [s.n.], 2003. p. 303-334.

FRANCO, A. Capital Social: Leituras de Tocqueville, Jacobs, Putnam, Fukuyama, Maturana, Castells e Levy. Brasília: Instituto de Política Millennium, 2001. 551 p.

D'ARAUJO , M. C. Capital Social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003. 65 p.

GRAZIANO DA SILVA, J. Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Revista Estudos Avançados, São Paulo, p. 37-50, 2001. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/ea/v15n43/v15n43a05.pdf>. Acesso em: 30 abr. 2015.

KAGEYAMA, A. A. Desenvolvimento rural. Porto Alegre: UFRGS, 2008. 233 p.

MIOR, L. C. Desenvolvimento Rural: a contribuição da abordagem das redes sociais e sociotécnicas. In: SCHNEIDER, S. A diversidade da agricultura familiar. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2009. p. 273-298.

MONASTERIO, L. M. Medindo o Capital Social: uma análise das regiões do Rio Grande do Sul. In: CORREA, S. M. D. S. Capital Social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 61-84.

MORAES, J. L. A. Capital social e desenvolvimento regional. In: CORREA, M. D. S. Capital social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 123-148.

NAVARRO, Z. Desenvolvimento rural no brasil: os limites do passado e os caminhos do futuro. Revista Estudos avançados, São Paulo, v. 15, n. 43, p. 83-100, set./dez. 2001. Disponivel em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142001000300009>. Acesso em: 15 fev. 2015.

PERICO, R. E. Identidade e território no Brasil. Brasília: Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, 2009. 209 p.

PROJETO CUT/CONTAG. Desenvolvimento e Sindicalismo Rural no Brasil. São Paulo, p. 1-17. 1999. Projeto CUT-CONTAG de pesquisa e formação sindical.

PUTNAM, R. D. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Tradução de Luiz Alberto MONJARDIM. 5. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006. 260 p.

RADOMSKY, G. W. Reciprocidade, redes sociais e desenvolvimento rural. In: SCHNEIDER, S. A diversidade da agricultura familiar. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2009. p. 107-136.

RIEDL, M.; VOGT, O. P. Associativismo e desenvolvimento: considerações sobre a existência de capital social. In: CORREA, M. D. S. Capital Social e desenvolvimento regional. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2003. p. 149-211.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. 3. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008. 95 p.

SCHNEIDER, S. A abordagem territorial do desenvolvimento rural e suas articulações externas. Sociologias, Porto Alegre, v. 6, n. 11, p. 88-125, jan/jun 2004. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/soc/n11/n11a06>. Acesso em: 23 jun. 2014.

SCHNEIDER, S. A pluriatividade na agricultura familiar. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2009. 260 p.

SEN, A. K. Desenvolvimento como liberdade. Tradução de Lauro Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 409 p.

VEIGA, J. E. A face rural do desenvolvimento: natureza, território e agricultura. Porto Alegre: UFRGS, 2000. 197 p.

VEIGA, J. E. Desenvolvimento Sustentável: o desafio do século XXI. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2006. 226 p.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)