Análise de iniciativas de REDD+ com financiamento de fundo público e do mercado voluntário de carbono

Main Article Content

Andressa de Oliveira Melo Maciel
Silvia Regina Stuchi Cruz
Sonia Regina Paulino

Resumo

O trabalho objetiva entender como o REDD+ configura-se no Brasil a partir da análise de semelhanças e distinções de iniciativas de REDD+ segundo duas modalidades de financiamento: fundo público e mercado voluntário de carbono. Essa análise justifica-se para melhor compreensão das estruturas (privadas e públicas) que podem ser adotadas na concepção e execução de instrumentos econômicos ambientais. No Brasil, ressalta-se o alinhamento com a Estratégia Nacional para REDD+ (ENREDD+), documento que formaliza as estratégias adotadas pelo governo federal para a adoção de medidas de REDD+. Em consulta a bases de acesso público, foram identificados 129 projetos de REDD+ e, aplicando-se os critérios de status e localização, foram selecionados 44 projetos. A análise das características dos projetos foi feita utilizando onze variáveis, definidas com base na literatura sobre REDD+, e agrupadas nas categorias ‘descrição do projeto’, ‘atores’ e ‘objetivos’. Identificou-se número reduzido de projetos do mercado voluntário em comparação com os de financiamento público. Com relação às semelhanças, pode-se destacar a categoria descrição do projeto - status, pois poucos ou nenhum projeto atingiu o período previsto para conclusão das atividades. Em ambas as modalidades pouco é demonstrado sobre o efetivo envolvimento dos atores, em especial quando se trata das comunidades locais, aspecto extremamente relevante nas discussões do REDD+. Sobre as distinções, os de fundo público possuem maior abrangência territorial (descrição do projeto) e maior diversidade de proponentes (atores envolvidos). Dificilmente os projetos de fundo privado demonstram cumprir efetivamente os aspectos referentes

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Maciel, A. de O. M., Cruz, S. R. S., & Paulino, S. R. (2020). Análise de iniciativas de REDD+ com financiamento de fundo público e do mercado voluntário de carbono . Revista Brasileira Multidisciplinar, 23(2). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2020.v23i2.773
Seção
Artigos Originais

Referências

ANGELSEN, A. (Ed.). Moving ahead with REDD: issues, options and implications. CIFOR, 2008.

ANGELSEN, A. et al. Análise de REDD+: Desafios e escolhas. CIFOR, 2013.

ANGELSEN, A. et al. Learning from REDD+: a response to Fletcher et al. Conservation Biology, v31: 718-720. June 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.1111/cobi.12933> Acesso em: 19 out. 2018.

ARIMA, E. Y. et al. Public policies can reduce tropical deforestation: Lessons and challenges from Brazil. Land use policy, v. 41, p. 465-473, 2014. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2014.06.026>. Acesso em 10 nov. 2018.

ARTAXO, Paulo. Working together for Amazonia. Science. January 25, p.323, v.363, issue 6425, 2019.

BAYRAK, M. M. & MARAFA, L. M. Ten Years of REDD+: A Critical Review of the Impact of REDD+ on Forest - Dependent Communities. Sustainability, v. 8 (7), 620, 2016.

BOSELLO, F. et al. REDD in the carbon market: a general equilibrium analysis. Environmental Modeling & Assessment, v. 20, n. 2, p. 103-115, 2015.

BRAGA, W. R. O. et al. Certificação florestal: acesso a mercado ou mercado de acesso? DRd - Desenvolvimento Regional em debate, v. 8, n. 1, p. 182-197, 2018. Disponível em: <http://www.periodicos.unc.br/index.php/drd/article/view/1559>. Acesso em:

dez. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016.

COE, M. T. et al. The forests of the Amazon and Cerrado moderate regional climate and are the key to the future. Tropical Conservation Science, v. 10, 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.1177/1940082917720671>. Acesso em: 12 dez. 2018.

CONCEIÇÃO, H. R. da. et al. REDD+ as a Public Policy Dilemma: Understanding Conflict and Cooperation in the Design of Conservation Incentives. Forests, v. 9, n. 11, p. 725, 2018. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.3390/f9110725>. Acesso em: 21 dez. 2018.

DUCHELLE, A. E. et al. Linking forest tenure reform, environmental compliance, and incentives: lessons from REDD+ initiatives in the Brazilian Amazon. World Development, v. 55, p. 53-67, 2014. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2013.01.014>. Acesso em: 20 nov. 2018.

FCPF - Forest Carbon Partnership Facility. Countries. Disponível em: <https://www.forestcarbonpartnership.org/countries>. Acesso em: 25 jun. 2019.

FLETCHER, R. et al. Questioning REDD+ and the future of market‐ based conservation. Conservation Biology, v. 30, n. 3, p. 673-675, 2016.

FUNDO AMAZÔNIA. Diretrizes e critérios para a aplicação dos recursos e focos de atuação para o biênio 2017 e 2018. 2018.

GEIST, H. J. & LAMBIN, E. F. What drives tropical deforestation? LUCC Report Series No. 4. Land Use and Land Cover Change, International Geosphere - Biosphere Programme. 2001. Disponível em: < https://www.pik-potsdam.de/members/cramer/teaching/0607/Geist_2001_LUCC_Report.pdf >. Acesso em: 16 out. 2018.

GUADALUPE, V. et al. REDD+ implementation in a high forest low deforestation area: Constraints on monitoring forest carbon emissions. Land Use Policy, v. 76, p. 414-421, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2018.02.015>. Acesso em: 13 dez. 2018.

HISSA, L. V. et al. Historical carbon fluxes in the expanding deforestation frontier of Southern Brazilian Amazonia (1985–2012). Regional Environmental Change, v. 18, n. 1, p.77-89, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.1007/s10113-016-1076-2>. Acesso em: 17 nov. 2018.

HOUGHTON, R. A. & NASSIKAS, A. A. Global and regional fluxes of carbono from land use and land cover change 1850–2015. Global Biogeochemical Cycles, 31, 456 - 472. 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.1002/2016GB005546>. Acesso em: 16 out. 2018.

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. TerraBrasilis. Disponível em: <http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/>. Acesso em: 07 ago. 2019.

IPAM - Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia. REDD no Brasil: um enfoque amazônico: fundamentos, critérios e estruturas institucionais para um regime nacional de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal - REDD - 3ª Edição – Brasília, DF: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2012. Disponível em: <http://ipam.org.br/wpcontent/uploads/2015/12/redd_no_brasil_um_enfoque_amaz%C3%B4nico.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2018.

MAY, P. H. et al. A política de REDD+ na mídia: um estudo de caso do Brasil. Documento de trabalho 66. 2011. CIFOR, Bogor, Indonesia. Disponível em: <https://www.google.com/url?q=http://www.cifor.org/publications/pdf_files/WPapers/WP6CIFOR.pdf&sa=D&ust=1545438848010000&usg=AFQjCNFM2jVLdEUAn3qjNXkxXlCyR-t2Fw>. Acesso em: 13 dez. 2018.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Mudança do Clima e Florestas. Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado (PPCerrado) e Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm): fase 2016-2020. Brasília, DF: MMA, 2018a. Disponível em: <http://combateaodesmatamento.mma.gov.br/images/conteudo/Livro-PPCDam-e-PPCerrado_WEB_1.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2018.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Programa Piloto para Pagamento por Resultados

de REDD+. Secretaria de Mudança do Clima e Florestas. Departamento de Florestas e de Combate ao Desmatamento. Brasília, 2018b. Disponível em: <http://redd.mma.gov.br/images/gcf/gcf_redd_br_pngati.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2019.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Salvaguardas e o contexto brasileiro. 2017. Disponível em: <http://redd.mma.gov.br/pt/salvaguardas/salvaguardas-e-o-contexto-brasileiro>. Acesso em: 15 out. 2018.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. REDD+: Documento-síntese com subsídios de múltiplos atores para a preparação de uma Estratégia Nacional. Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental/ Departamento de Mudanças Climáticas / Gerência de Mudança do Clima e Florestas, 2011. Disponível em: <https://www.google.com/url?q=http://redd.mma.gov.br/images/publicacoes/doc-sintese-redd-mma.pdf&sa=D&ust=1551154346577000&usg=AFQjCNGcdM5OjVag0dOV06tW_5FHoU8vPw>. Acesso em: 25 fev. 2019.

NIELSEN, M. R. et al. Can PES and REDD+ match Willingness To Accept payments in contracts for reforestation and avoided forest degradation? The case of farmers in upland Bac Kan, Vietnam. Land Use Policy, v. 79, p. 822-833, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.landusepol.2018.09.010>. Acesso em: 21 dez. 2018.

PWC - PricewaterhouseCoopers. Funding for Forests: UK Government Support for REDD+. Climate Focus, Winrock International, IUCN (2011).

RAFTOPOULOS, M. & SHORT, D. Implementing free prior and informed consent: the United Nations Declaration on the Rights of Indigenous Peoples (2007), the challenges of REDD+ and the case for the precautionary principle. The International Journal of Human Rights, v. 23, n. 1-2, p. 87-103, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/13642987.2019.1579990>. Acesso em: 25 ago. 2019

SALLES, G. P., PAIVA, D. & PAULINO, S. R. Execução de Projetos de REDD+ no Brasil Por Meio de Diferentes Modalidades de Financiamento. Revista de Economia E Sociologia rural (Impresso), v. 55, p. 445-464, 2017.

SEEG - Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa. Emissões do setor de mudança de uso da terra. Período 1990-2016. Disponível em: <http://seeg.eco.br/wpcontent/uploads/2018/05/relatorios_SEEG_2018__MUT_Final_v1_.pdf>. Acesso em: 19 fev. 2019.

SKUTSCH, M. & TURNHOUT, E. How REDD+ Is Performing Communities. Forests, v. 9, n. 10, p. 638, 2018. Disponível em: <https://www.mdpi.com/1999-4907/9/10/638/htm>. Acesso em: 13 dez. 2018.

SOARES-FILHO, B. et al. Cracking Brazil's Forest Code. Science, 344 (6182), pp. 363-364. 2014. Disponível em: <http://www.sciencemag.org/content/344/6182/363.summary>. Acesso em: 20 fev. 2018.

STRECK, C. Financing REDD+: matching needs and ends. Current Opinion in Environmental Sustainability, v. 4, n. 6, p. 628-637, 2012. Disponível em: <https://doi.org/10.1016/j.cosust.2012.10.001>. Acesso em: 15 dez. 2018.

SUISEEYA, K. R. M. Transforming justice in REDD+ through a politics of difference approach. Forests, v. 7, n. 12, p. 300, 2016. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.3390/f7120300>. Acesso em: 21 dez. 2018.

TURNHOUT, E. et al. Envisioning REDD+ in a post Paris era: between evolving expectations and current practice. WIREs Clim Change, v. 8: January/February 2017, e425. Disponível em: <https://doi.org/10.1002/wcc.425>. Acesso em: 06 nov. 2018.

VAN DER HOFF, Richard et al. Clashing interpretations of REDD+ “results” in the Amazon Fund. Climatic Change, v. 150, n. 3-4, p. 433-445, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.1007/s10584-018-2288-x>. Acesso em: 21 dez. 2018.

VITAL, M. H. F. Aquecimento global: acordos internacionais, emissões de CO² e o surgimento dos mercados de carbono no mundo. BNDES Set., Rio de Janeiro, v. 24, n. 48, p. 167-244, set. 2018. Disponível em: <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/16043/2/PRArt214085_Aq

uecimento%20global_compl_P.pdf>. Acesso em: 19 fev. 2019.