Intervenção educativa na atenção pré-natal e o cuidado ao recém-nascido

Main Article Content

Amanda de Assunção Lino
Carla Regina de Almeida Corrêa
Jamile Claro de Castro Bussadori
Maria Cândida de Carvalho Furtado
Luciana Mara Monti Fonseca
Monika Wernet

Resumo

Objetivou-se descrever a influência de ação educativa desenvolvida no pré-natal no manejo de intercorrências no cuidado do filho. Estudo de abordagem qualitativo apoiado nos referenciais do Interacionismo Simbólico e Análise de Conteúdo Temática de Bardin. Sete puérperas que integraram intervenção educativa no pré-natal foram entrevistadas sobre o cuidado do filho ao longo do primeiro mês de vida desse. As participantes revelaram dificuldades no manejo do aleitamento materno, retorno gástrico, cólica e integridade da pele da criança, assim como medos e limites vividos para cuidar da criança. Os resultados estão apresentados a partir de categorias temáticas e trazem os efeitos da intervenção educativa para o enfretamento destas situações. A intervenção educativa contribuiu com o cuidado materno, contudo não foi de suficiência, apontando a importância de ações continuas e próximas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Lino, A. de A., Corrêa, C. R. de A., Bussadori, J. C. de C., Furtado, M. C. de C., Fonseca, L. M. M., & Wernet, M. (2020). Intervenção educativa na atenção pré-natal e o cuidado ao recém-nascido. Revista Brasileira Multidisciplinar, 23(2Supl.). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2020.v23i2Supl.870
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Amanda de Assunção Lino, ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO - USP

Doutoranda em Enfermagem em Saúde Pública pela escola de Enfermagem de Ribeirão Preto

Referências

ALGARVES, T. R.; JULIÃO, A. M. S.; COSTA, H. M. Aleitamento materno: influência de mitos e crenças no desmame precoce. Rev. Saúde em foco, Teresina, v. 2, n. 1, art. 10, p. 151-167, jan./jul. 2015.

ALMEIDA J. M, Luz SAB, Ued FV. Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura. Rev Paul Pediatr. 2015; 33(3): 355-62.

ALMEIDA, J. M.; LINHARES, E. F.; DIAS, J. A. A.; LÔBO, M. P.; REIS, A. S. F.; NERY, P. I. G. Prática educativa no cuidado ao coto umbilical: relato de experiência. Rev enferm UFPE on line., Recife, 10(Supl. 5):4383-8, nov., 2016.

ALVES, T. R. M.; CARVALHO, J. B. L.; LOPES, T. R. G.; SILVA, G. W. S. S.; TEIXEIRA, G. A. Contribuições de enfermeiros na promoção do aleitamento materno exclusivo. Rev Rene. 2018;19:e33072.

AMORIM, T. S.; BACKES, M. T. S.; SANTOS, E. K. A.; CUNHA, K. S.; COLLAÇO, V. S. Assistência obstétrica/neonatal: ampliação da prática clínica do enfermeiro na Atenção Primária. Acta paul. enferm. vol.32 no.4 São Paulo July/Aug. 2019 Epub Aug 12, 2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 5ª reimpressão. São Paulo: Edições 70; p. 276, 2011.

BRASIL, Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Indicadores de Saúde [acessado 2019 Dez 09]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0205

CARDOSO, A. C. A.; VIVIAN, A. G. Maternidade e Suas Vicissitudes: a importância do apoio social no desenvolvimento da díade mãe-bebê. Diaphora | Porto Alegre, v. 17 (1) | jan/dez 2017.

CHARON, JM Symbolic interactionism: an introduction, an interpretation, an integration. 10 ed. Boston: Prentice Hall, 2010.

FOGAÇA, N. R.; FERRARI, R. A. P.; GABANI, F. L.; SOARES, N. T. I.; TACLA, M. T. G. M.; OLIVEIRA, G. S. Operacionalização de grupos de pré-natal: percepção dos profissionais do serviço da atenção primária à saúde. Revista Pesquisa Qualitativa. São Paulo (SP), v. 5, n. 7, p. 128-142, abr. 2017.

FOSTER, L. B.; OLIVEIRA, M. A.; BRANDÃO, S. M. O. C. O acolhimento nos moldes da humanização aplicada ao processo de trabalho do enfermeiro no pré-natal. Rev enferm UFPE on line., Recife, 11(Supl. 10):4617-24, out., 2017.

GOMES ALM, Rocha CR, Henrique DM, Santos MA, Silva LR. Conhecimentos de familiares sobre os cuidados com recém-nascidos. Rev Rene. 2015; 16(2):258-65.

MEDEIROS, T. M. L.; MARCELINO, J. F. Q. Percepção de puérperas sobre o seu desempenho ocupacional no pós-operatório da cesariana. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 26, n. 1, p. 97-109, 2018.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil/Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2012.

BRASIL, Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização. Rede Humaniza SUS. Brasília: Ministério da Saúde. 2013;

BRASIL, Ministério da Saúde. Programa de humanização do parto: humanização no Pré – Natal e Nascimento. Brasília, 2002.

OKAME ESH, Oliveira BB. Estratégias de ensino para educação e saúde: revisão integrativa. R Eletr de Extensão. 2016; 13(21):138-51.

PUCCINIFRS, Berretin-Felix G. Refluxo gastroesofágico e deglutição em recém nascidos e lactentes: revisão integrativa da literatura. Rev. CEFAC [Internet]. 2015; 17(5): 1664-73.

ROBLES, A. F. Regulações do corpo e da parentalidade durante o pré-natal em mulheres jovens de camadas populares. Civitas, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 190-213, abr.-jun. 2015

SILVA, D. S. S.; OLIVEIRA, M.; SOUZA, A. L. T. D.; SILVA, R. M. Promoção do aleitamento materno: políticas públicas e atuação do enfermeiro. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, n. 35, p. 135-140, dez. 2017.