A PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE TURISTAS, VERANISTAS E MORADORES DE PERUÍBE/SP

Mario Marcos Lopes, Anderson Ricardo Cornelian

Resumo


A preocupação com o meio ambiente tem crescido nas últimas décadas, se não nas práticas das pessoas em geral, ao menos nos discursos públicos e nas teorias acadêmicas. O presente texto é a exposição de uma pesquisa bibliográfica seguida de um estudo de campo de caráter exploratório. A pesquisa debruçou-se na busca pelas percepções sobre meio ambiente e preservação ambiental de três grupos distintos (veranistas, turistas e moradores) em uma praia da cidade de Peruíbe litoral de São Paulo no final do mês de dezembro de 2015. Os resultados apontam: 1. Existe uma identidade de percepção entre os membros dos grupos observados, bem como similaridades de compreensão/ideias entre os mesmos grupos no que tange à preservação ambiental; 2. Os moradores são vistos pela maioria como os principais responsáveis pela preservação ambiental; 3. Os turistas são encarados pela grande maioria como os principais responsáveis pela degradação ambiental; 4. A maioria dos respondentes afirma que preservação ambiental é muito importante, mas suas ações demonstram que o compromisso com a conservação do meio ambiente é periférico e casual; 5. A maior preocupação com a preservação ambiental dos membros dos três grupos pesquisados versa sobre o “futuro das próximas gerações”; 6. Os respondentes acusam os órgãos públicos, civis e privados de não auxiliarem os cidadãos quanto à conscientização e a construção de base concreta para uma atuação mais responsável com o meio ambiente.


Palavras-chave


Meio ambiente. Percepção. Educação ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BAPTISTA, M. da G. de A. Cultura e educação popular: a apropriação dos entes da cultura. Disponível em: . Acesso em: 09 mai. 2015.

BAUMAN, Z. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BAUMAN, Z. Ética pós-moderna. São Paulo: Paulus, 1997.

CASCINO, F.; JACOBI, P.; OLIVEIRA, J. F. de (Org.). Educação, Meio Ambiente e Cidadania: Reflexões e Experiências. São Paulo: SMA/CEAM, 1998. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2015.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; DA SILVA, R. Metodologia científica. 6.ed. São Paulo: Pearson, 2007.

CHAUÍ, M. Convite à filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2004.

CHINALI, J. S. T. et al. Conservação dos recursos naturais e equilíbrio ecológico. Jaboticabal/SP: Associação Jaboticabalense de Educação e Cultura, 2009.

CHINALIA, et al. Percepção e educação ambiental. Jaboticabal/SP: Associação Jaboticabalense de Educação e Cultura, 2009.

COTRIM, G. Fundamentos da Filosofia: ser, saber e fazer. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 1993.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2015.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, março/ 2003. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2015.

KLEBER, A. de O.; CORONA, H. M. P. A percepção ambiental como ferramenta de propostas educativas e de políticas ambientais. ANAP Brasil, ano 1, n.1, jul. 2008. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2015.

LESSA, S. Para compreender a ontologia de Lukács. 3.ed. Ijuí-RS: UNIJUÍ, 2007. (Coleção filosofia, 19).

LIMA, G. da C. O discurso da sustentabilidade e suas implicações para a educação. Ambiente & Sociedade, v.VI, n.2, p.99-119, jul./dez. 2003. Disponível em: . Acesso em 04 ago. 2015.

MACHADO, R. B. et al. A abordagem dos corredores de biodiversidade para a conservação dos recursos naturais. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2015.

MARAFANTE, L. J. Desenvolvimento sustentável e meio ambiente. Jaboticabal/SP: Associação Jaboticabalense de Educação e Cultura, 2009.

ROBBINS, S. P. Comportamento organizacional. 9.ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2002.

ROBBINS, S. P. Criando e Mantendo a Cultura da Organização. In: ROBBINS, S. P. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2003.

SANTOS, J. L. dos. O que é cultura. 16.ed. São Paulo: Brasiliense, 2006.




DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2017.v20i1.380

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340