Percepções dos enfermeiros mediante a realização do teste rápido de HIV/AIDS na atenção primária à saúde

Main Article Content

Luana Rodrigues Barroso de Souza
Mariana Nazareth da Silva
Silvia Helena Tognoli
Adriana Aparecida Mendes
Márcia Niituma Ogata
Cibele Correia Semeão Binotto

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi identificar as percepções do enfermeiro relacionadas à realização do teste rápido para HIV/aids na atenção primária. Trata-se de uma pesquisa de campo, de caráter exploratório e transversal, realizada em três unidades de Estratégia Saúde da Família de um município paulista. Os dados foram coletados por meio de entrevista gravada utilizando um roteiro composto por questões semiestruturadas para enfermeiros, no qual participaram do estudo cinco enfermeiros. As entrevistas foram transcritas e analisadas segundo proposta do método de análise categorial temática. Os resultados revelaram 5 categorias; falta de tempo, reação do usuário mediante sorologia positiva para HIV, exposição do usuário, relação sexual desprotegida, tecnologias em saúde. Conclui-se que os desafíos enfrentados para o atendimento do usuário que busca a realização do teste de HIV/aids não se limita apenas a realização do mesmo. Destaca-se que compreender as dificuldades enfrentadas no atendimento desse usuário pode favorecer a adoção de boas práticas em saúde, além de subsidiar um atendimento acolhedor proporcionando adequado desfecho terapêutico.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
de Souza, L. R. B., da Silva, M. N., Tognoli, S. H., Mendes, A. A., Ogata, M. N., & Binotto, C. C. S. (2020). Percepções dos enfermeiros mediante a realização do teste rápido de HIV/AIDS na atenção primária à saúde . Revista Brasileira Multidisciplinar, 23(2Supl.). https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2020.v23i2Supl.858
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Luana Rodrigues Barroso de Souza

Enfermeira da Santa Casa de Misericórdia de Araraquara.

Mariana Nazareth da Silva

Enfermeira da Randon Implentos Araraquara.

Silvia Helena Tognoli

Enfermeira. Doutoranda do Programa de Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP).Professora Assistente I da Universidade de Araraquara, UNIARA.

Adriana Aparecida Mendes

Enfermeira. Pós-Doutoranda da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara da Universidade Estadual Paulista - UNESP. Professora Assistente I da Universidade de Araraquara - UNIARA

Márcia Niituma Ogata

PROFESSORA TITULAR SENIOR NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS NO DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM NA ÁREA DE SAÚDE COLETIVA.PÓS DOUTORA PELA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO, COM ESTÁGIO DE PESQUISA NA FACULDADE DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA/PORTUGAL.

Cibele Correia Semeão Binotto

Enfermeira. Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de São Carlos, UFSCar. Membro do Grupo de Estudos Políticas Públicas em Saúde, GEPPS. Professora assistente I do curso de enfermagem da Universidade de Araraquara, UNIARA.

Referências

ARAUJO, W. J. et al. Perception of nurses who perform rapid tests in Health Centers. Rev. Bras. Enferm, Brasília, v. 71, n.1, p. 631-636. 2018.

BRASIL. Departamento de IST, AIDS e Hepatites Virais. Portal sobre AIDS, infecções sexualmente transmissíveis e hepatites virais. Testagem. Brasília, 2016.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, 2012.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde - Departamento de IST, AIDS e Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico: HIV/AIDS. Brasília, DF, 2017.

______. Superintendência de Vigilância em saúde. Diretoria de Vigilância Epidemiológica. Aconselhamento para a realização de teste rápido de Sífilis/HIV/HV. Gerência de DST/Aids/HV, 2013.

DANTAS, M. S. et al. Representações sociais do HIV/AIDS por profissionais de saúde em serviços de referência. Rev. Gaúcha Enferm, Porto Alegre, v. 35, n. 4, p. 94-100, Dez. 2014.

FERREIRA, A. F. et al. Descentralização do teste rápido anti-hiv: elaboração de um instrumento avaliativo. Rev. de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v. 10, p. 44-48, jun 2018.

FERNANDES, I. A. et al. Orientação a pessoa vivendo com HIV: o papel do enfermeiro na adesão ao tratamento e no desenvolvimento da prática do autocuidado. Revista Fafibe On-Line, Bebedouro, v.1, n.1, p. 359-370, 2015.

GUIMARÃES, M. D. C. et al. Conhecimento sobre HIV/ aids entre HSH no Brasil: um desafio para as políticas públicas. Rev. Brasileira de epidemiologia, v. 22, n.1, set, São Paulo, 2019.

GOMES, R. R. F. M. et al. Fatores associados ao baixo conhecimento sobre HIV/aids entre homens que fazem sexo com homens no Brasil. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 33, n. 10. 2017.

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2007. p.94-112.

MERHY, E. E.; FEUERWERKER, L. C. M. Novo olhar sobre as tecnologias de saúde: uma necessidade contemporânea; In: BRASIL. Avaliação compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. 1ª. ed. - Rio de Janeiro: Hexis, 2016, p. 448.

MICCAS, F. L.; BATISTA, S. H. S. S. Educação permanente em saúde: metassíntese. Rev. de. Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 1, p.170-85. 2014.

MINAYO, M. C. de S. O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 14ª Ed. São Paulo: Hucitec editora, 2014.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Relatório Mundial de Saúde 2008. Cuidados de Saúde Primários: agora mais que nunca. Lisboa: Ministério da Saúde; 2008.

PIRES, et al. Cargas de trabalho da enfermagem na saúde da família: implicações no acesso universal. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 24, n.1, Dez. 2016.

ROCHA, K. B, et al. Transversalizando a rede: o matriciamento na descentralização do aconselhamento e teste rápido para HIV, sífilis e hepatites. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 40, n.109. p. 22-33. 2016.

SILVA, I. T. S., VALENÇA, C. N., SILVA, R. A. R. Cartografia da implementação do teste rápido anti-HIV na Estratégia da Saúde da Família: perspectivas de enfermeiros. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro. v. 21, n. 4. 2017.

SUTO, C. S. S. Representações sociais de trabalhadores da atenção básica acerca do teste rápido. Rev. Min. Enferm, Belo Horizonte, p. 23-1173, jan, 2019.

TAQUETTE, S. R., RODRIGUES, A. O., BORTOLOTTI, L. R. Percepções de pacientes com AIDS diagnosticada na adolescência sobre o aconselhamento pré e pós-teste HIV realizado. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, jan, p.23-30. 2017.

ZAKABI, D. Aconselhamento pré e pós-teste anti-HIV na atenção básica: a perspectiva dos profissionais de saúde. 2012. Dissertação (mestrado) – Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Medicina Preventiva. São Paulo, 2012.

WISNIEWSKI, D., GRÓSS, G., BITTENCOURT, R. A influência da sobrecarga de trabalho do enfermeiro na qualidade da assistência pré-natal. Rev. Bras Promoç Saúde, Fortaleza, v. 27, n. 2. p. 177-182, abr./jun. 2014.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)